sábado, 13 de fevereiro de 2016 0 comentários

Série: Rockeiros que se converteram ao Cristianismo - Pete Sandoval (Morbid Angel, Terrorizer)


 Série: Rockeiros que se converteram ao Cristianismo - Pete Sandoval (Morbid Angel, Terrorizer) 
por Edy Marques

Mais um Headbanger encontra JESUS. O baterista Pete Sandoval da banda  de Death Metal Old- School "Morbid Angel" mudou sua visão de mundo e agora é seguidor do Mestre Jesus Cristo. E agora não faz mais parte da banda.


Em uma entrevista ao Invisible Oranges, seu ex-companheiro de banda 'David Vicen' falou que o Peter Sandoval não está mais na banda.
" Vincent responde: "Pete não está mais no MORBID ANGEL”. " Ele acrescentou: " Todo o seu modo de vida mudou. Ele está em um lugar diferente, e o local que ele se encontra agora, torna Pete Sandoval e MORBID ANGEL não compatíveis."
Pressionado para a reflexão sobre esta suposta "incompatibilidade" entre Sandoval e MORBID ANGEL, Vincent disse: " Bem, [Pete] encontrou Jesus. Você pode ver de onde a incompatibilidade vem." [1]

A conversão ao Cristianismo deu-se em 2012, logo após gravar "hordes of Zombies" do Terrorizer, instigado pela mãe e irmã.
Acabou por ler partes da bíblia que o fizeram ver a luz nas trevas.

Em uma entrevista com a AndrewHaug.com, Sandoval falou como se deu o início de sua conversão:

“Bem, minha mãe e irmã são cristãs há vinte anos, então elas sempre me incentivaram. Falavam todo o tempo sobre Deus. Daí em 2012 eu comecei a ler partes da bíblia que minha mãe me indicava. Lia mas ainda não sentia que precisava achar Deus. Então algo aconteceu, eu diria que Deus entrou em meu coração quando eu lia que devemos procurar Deus com toda nosso coração e alma e rogar humildemente para Deus, que ele virá até você. Então enquanto em tentava entender as palavras de Deus ele veio até meu coração e abriu meus olhos. A luz se fez e percebi que eu vivia num mundo de escuridão, e foi aí que as coisas mudaram. Deus veio até meu coração e abriu meus olhos, e percebi sua existência, pois é preciso percebê-lo para compreender que ele existe. Daí em diante minha fé aumentou dramaticamente, e quanto mais sei sobre Deus mais quero saber sobre ele. Me apaixonei por Deus. É como seu primeiro amor. Foi o que aconteceu, amo Deus agora, e nada neste mundo pode me separar dele." [2]  


 Nessa mesma entrevista foi perguntado se o mesmo permaneceria tocando no Morbid Angel após se tornar cristão.

“Não, pois são duas coisas que não se conectam, só há duas alternativas – uma com Deus e outra sem ele. E o Morbid Angel é definitivamente uma banda satânica. Nunca retornaria ou tocaria novamente em uma banda satânica agora que encontrei Jesus Cristo, meu salvador e redentor, e quem me ajuda todos os dias. Eu gostaria de encorajar… gostaria de contar para as pessoas que Deus pode realmente mudar nossa vida e pode nos mostrar o caminho da vida em fartura, da vitória. Pois estou no caminho da vitória agora. Sinto que do jeito que toco hoje, do jeito que meu corpo se sente, Deus tem me ajudado imensamente, me sinto como se estivesse nos meus 20 ou 30 anos de idade, em plena forma física, tocando como toco da maneira que toco. Quero contar para as pessoas que Deus pode nos fazer dar o melhor de nós mesmos. Definitivamente, Deus é positivo. Deus é força. E Deus é vida em fartura. E Deus pode nos mostrar como viver do jeito que ele quer que a gente viva”. [3]
Curtam nossa página: 


quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016 0 comentários

Série: Rockeiros famosos que se converteram ao Cristianismo: David Ellefson

Série: Rockeiros famosos que se converteram ao Cristianismo: David Ellefson


Por Edy Marques

Outro rockeiro famoso que se converteu ao senhorio de Cristo é o baixista David Ellefson, da épica banda "Megadeth".
Em alguns entrevistas, Ellefson declarou:

Eu cresci um luterano confirmado, mas quando eu não tinha que ir mais à igreja, eu não fui. Eu estava tocando rock and roll, mas eu tive uma boa educação que me guiou na direção certa para os momentos em que eu precisava para ser redirecionado. Rock and roll é sobre balançar para fora contra o sistema, e balançando-se contra as coisas que têm autoridade sobre você. E, anos atrás, a igreja teve uma posição muito autoritária sobre mim. Não é tanto mais assim. É um momento diferente agora. Essas mesmas regras não se aplicam hoje. [1]


Em outra entrevista, Ellefson, informa como tudo começou:

Ellefson afirmou que tudo começou de maneira informal: “A igreja começou a me chamar: ‘Ei, nós precisamos de um baixista, esta semana. Você pode vir e tocar?'”, revelou o músico.

O baixista afirmou ainda que esse convite, a seu ver, foi uma situação proporcionada por Deus na medida certa para que seu coração se quebrantasse.

“É como se Deus soubesse que se eles me convidassem para ir com meu instrumento, eu provavelmente iria. Então é assim que eu comecei a me envolver em qualquer tipo de trabalho da igreja. Isso não era como aquelas coisas banais espirituais ou algo assim. Eu sou apenas um cara que toca baixo no Megadeth e um dia na igreja. Eu realmente gosto disso.

Segundo Ellefson, as experiências vividas durante as celebrações com a comunidade o levaram a viver sensações inéditas, mesmo sendo músico de uma das bandas mais conhecidas no mundo: “Assim, a música através da igreja é o que realmente me inspira a me envolver com isso. Eu me sinto muito bem. Eu saio do palco e [eu penso algo como], ‘Cara, eu estou flutuando agora. Isso é o mais alto que eu já pude chegar. Eu estou mais alto do que várias coisas, eu estou bem alto no momento. Isso é ótimo’. É aquele momento quando seu espírito é movido e é tão legal. Eu só queria mais”.

David Ellefson resume sua aproximação da fé como uma oportunidade de retribuir tudo que ele recebeu: “É bom saber que eu usei um dom que Deus me deu para entregá-lo de volta. E não foi apenas sexo, drogas e rock and roll. Como eu posso querer mais? Porque quando eu levava minha vida assim, eu vivia me dando mal. Mas quando eu comecei a usar a música para alguma utilidade, para ajudar as pessoas, para levantá-las e inspirá-las, e eu comecei a usar o que é conhecido por G.O.D. – Good Orderly Direction (algo como “Boa Direção Determinada”) quando eu comecei a ser adepto disso, as bênçãos vieram em minha vida e eu nunca imaginei isso. Para mim, essa é a direção certa”, afirmou em entrevista ao Yahoo! Music. [2]



“Eu percebi que minha fé no cristianismo é honesta e verdadeira, e não apenas para diversão e distração. Ser um cristão e um roqueiro não são duas coisas totalmente opostas. Algumas pessoas saem de uma para crer em outra, mas para mim, as duas trabalham muito bem juntas. Quando você quer começar a ser honesto e crer em si mesmo, você perseguirá as virtudes que o Senhor colocou em você”.[3]

A fé do David Ellefson, é uma inspiração pra qualquer Headbanger, Além disso o mesmo se inscreveu (2012) em um seminário Luterano (Concordia Seminary) para se tornar Pastor Luterano,  e segundo o próprio Mustaine, informou que o Ellefson é o pastor e não ele.




Fontes: 


[1] http://whiplash.net/materias/news_841/149571-megadeth.html#ixzz3z8NsM1HF


[2] http://noticias.gospelmais.com.br/megadeth-david-ellefson-testemunha-conversao-dom-deus-63237.html



[3] http://whiplash.net/materias/curiosidades/134693.html#ixzz3z8NDunmj




segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016 0 comentários

Série: Rockeiros famosos que se converteram ao Cristianismo - Michael Kiske


Série: Rockeiros famosos que se converteram ao Cristianismo

por Edy Marques

Outro Headbanger famoso que se converteu ao Cristianismo, é o excelente vocalista "Michael Kiske". Kiske é considerado uns dos melhores vocalistas de Metal do mundo, no segmento "melódico". É conhecido pelas passagens pela bandas: Helloween, Place Vendome, Avantasia, Kiske & Somerville, Unisonic ... além de sua carreira solo. Um Cantor versátil que tem uma voz que passeia do AOR ao Power Metal.

"Em 1994, ano de sua saída do Helloween, correu um boato que o ex-vocalista Michael Kiske tinha se convertido ao cristianismo. E ele se "mostrou" cristão após publicar um nota em sua página do Myspace na qual mostrava o seu repúdio ao Satanismo. “De tempos em tempos recebo pedidos para serem meus ''amigos'' de pessoas com perfis muito estranhos. E antes de eu ou Jutta (responsável pelo site) decidirmos a quem aceitar ou negar, nós os checamos primeiro, e se encontrarmos neles qualquer forma de brutalidade, satanismo, porcarias glorificando o mal, pornografia ou algo do gênero, eles simplesmente não podem ser meus amigos. Isso está muito longe de quem eu sou e do que eu quero me conectar. Alguns músicos e bandas aceitam todo mundo – quanto mais, melhor – mas para mim é muito mais importante quem será membro de uma coisa chamada 'Amigos do Kiske' e não quantos serão. Todo mundo que sabe quem eu sou e como eu penso entenderão isso perfeitamente”.

“Eu sei que algumas dessas pessoas simplesmente não sabem o que estão fazendo e com o que estão lidando, e para alguns isso é só 'coisa de criança'. E outras pessoas ainda não conseguem entender porque eu levo essas coisas a sério; bem, porque elas são! Mas eu também sei muito bem, que o materialismo não respeita mais nenhuma moral. Mas eu não sou materialista; sou um Cristão (de nenhuma igreja), e não quero NENHUM site oficial meu como plataforma para essa doença que é o Satanismo! Eu definitivamente não sou amigo de pessoas que servem o Anticristo. Não estamos do mesmo lado! - JESUS CRISTO para sempre”! [1]



A fé de Kiske é demostrada desde o seu tempo no Helloween, o que falar da música " I Believe" onde Kiske faz a seguinte declaração:
Eu sei que é verdade o que jesus Cristo disse
Eu tenho isso tudo claro em minha cabeça
Parece que nascemos para sermos injustos
Eu sou um pecador que está começando a ousar acreditar.
Dê-me sua mão até o final
E eu andarei pela terra prometida
Eu não mereço nada que você faz
Mas eu não consigo para de te amar;

"Sem mais mentiras, sem falsas religiões
Sem mais porquês e missões erradas de Deus
Sem luminosos padres de tv implorando por dinheiro
Sem mais guerras que nenhum deus nunca pediu" [2]

Kiske é um cara cristão declarado, no álbum "Streets of Fire" da banda Place Vendome, o mesmo regravou a música "Set Me Free" da banda cristã "Casting Crowns", onde a letra soa como um testemunho de vida pro Kiske.

Além disso, Kiske falou em artigos recentes sobre " A Adoração ao mal no Heavy Metal".

Estou convencido que nós, enquanto seres humanos, estamos numa luta constante entre trevas e luz, ódio e amor, morte e vida, espiritualismo e materialismo, bem e mal. Todos nós temos os dois lados enquanto potencialidades reais. Deus nos criou assim para que conhecêssemos o bem e o mal. A questão é o que estamos vivendo e de qual lado estamos. Qual caminho escolheremos? A quem ouviremos?

O modo de ser cristão verdadeiro não julga e foge, mas ama os irmãos e as irmãs, transforma os corações e salva almas! Nós TODOS temos o mal em nós a TODOS somos pecadores. Eu não sou nenhum santo. Eu não sou melhor que ninguém.

Não precisamos de tradições religiosas nem de igrejas para encontrar Deus. Não precisamos ir à igreja para ser uma pessoa espiritualizada, muito menos ser contra a ciência (assim como não é necessário ser materialista para ser cientista!). Não é necessário haver um Deus no qual se acredita para fazer o bem, amar e ter compaixão (mesmo se o nosso Pai no céu for mais verdadeiro do que nós).
Eu sou um cristão não-denominacional que acredita no bem, em Deus, em Cristo, no Espírito Santo e no sentido moral geral da nossa existência." [3]


Fontes:

http://whiplash.net/materias/curiosidades/134693.html#ixzz3yxnmqgL7 [1]

https://www.letras.mus.br/michael-kiske/341664/traducao.html [2]

http://whiplash.net/materias/opinioes/208794-michaelkiske.html#ixzz3yxr3xmwr [3]




sábado, 13 de fevereiro de 2016

Série: Rockeiros que se converteram ao Cristianismo - Pete Sandoval (Morbid Angel, Terrorizer)


 Série: Rockeiros que se converteram ao Cristianismo - Pete Sandoval (Morbid Angel, Terrorizer) 
por Edy Marques

Mais um Headbanger encontra JESUS. O baterista Pete Sandoval da banda  de Death Metal Old- School "Morbid Angel" mudou sua visão de mundo e agora é seguidor do Mestre Jesus Cristo. E agora não faz mais parte da banda.


Em uma entrevista ao Invisible Oranges, seu ex-companheiro de banda 'David Vicen' falou que o Peter Sandoval não está mais na banda.
" Vincent responde: "Pete não está mais no MORBID ANGEL”. " Ele acrescentou: " Todo o seu modo de vida mudou. Ele está em um lugar diferente, e o local que ele se encontra agora, torna Pete Sandoval e MORBID ANGEL não compatíveis."
Pressionado para a reflexão sobre esta suposta "incompatibilidade" entre Sandoval e MORBID ANGEL, Vincent disse: " Bem, [Pete] encontrou Jesus. Você pode ver de onde a incompatibilidade vem." [1]

A conversão ao Cristianismo deu-se em 2012, logo após gravar "hordes of Zombies" do Terrorizer, instigado pela mãe e irmã.
Acabou por ler partes da bíblia que o fizeram ver a luz nas trevas.

Em uma entrevista com a AndrewHaug.com, Sandoval falou como se deu o início de sua conversão:

“Bem, minha mãe e irmã são cristãs há vinte anos, então elas sempre me incentivaram. Falavam todo o tempo sobre Deus. Daí em 2012 eu comecei a ler partes da bíblia que minha mãe me indicava. Lia mas ainda não sentia que precisava achar Deus. Então algo aconteceu, eu diria que Deus entrou em meu coração quando eu lia que devemos procurar Deus com toda nosso coração e alma e rogar humildemente para Deus, que ele virá até você. Então enquanto em tentava entender as palavras de Deus ele veio até meu coração e abriu meus olhos. A luz se fez e percebi que eu vivia num mundo de escuridão, e foi aí que as coisas mudaram. Deus veio até meu coração e abriu meus olhos, e percebi sua existência, pois é preciso percebê-lo para compreender que ele existe. Daí em diante minha fé aumentou dramaticamente, e quanto mais sei sobre Deus mais quero saber sobre ele. Me apaixonei por Deus. É como seu primeiro amor. Foi o que aconteceu, amo Deus agora, e nada neste mundo pode me separar dele." [2]  


 Nessa mesma entrevista foi perguntado se o mesmo permaneceria tocando no Morbid Angel após se tornar cristão.

“Não, pois são duas coisas que não se conectam, só há duas alternativas – uma com Deus e outra sem ele. E o Morbid Angel é definitivamente uma banda satânica. Nunca retornaria ou tocaria novamente em uma banda satânica agora que encontrei Jesus Cristo, meu salvador e redentor, e quem me ajuda todos os dias. Eu gostaria de encorajar… gostaria de contar para as pessoas que Deus pode realmente mudar nossa vida e pode nos mostrar o caminho da vida em fartura, da vitória. Pois estou no caminho da vitória agora. Sinto que do jeito que toco hoje, do jeito que meu corpo se sente, Deus tem me ajudado imensamente, me sinto como se estivesse nos meus 20 ou 30 anos de idade, em plena forma física, tocando como toco da maneira que toco. Quero contar para as pessoas que Deus pode nos fazer dar o melhor de nós mesmos. Definitivamente, Deus é positivo. Deus é força. E Deus é vida em fartura. E Deus pode nos mostrar como viver do jeito que ele quer que a gente viva”. [3]
Curtam nossa página: 


quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Série: Rockeiros famosos que se converteram ao Cristianismo: David Ellefson

Série: Rockeiros famosos que se converteram ao Cristianismo: David Ellefson


Por Edy Marques

Outro rockeiro famoso que se converteu ao senhorio de Cristo é o baixista David Ellefson, da épica banda "Megadeth".
Em alguns entrevistas, Ellefson declarou:

Eu cresci um luterano confirmado, mas quando eu não tinha que ir mais à igreja, eu não fui. Eu estava tocando rock and roll, mas eu tive uma boa educação que me guiou na direção certa para os momentos em que eu precisava para ser redirecionado. Rock and roll é sobre balançar para fora contra o sistema, e balançando-se contra as coisas que têm autoridade sobre você. E, anos atrás, a igreja teve uma posição muito autoritária sobre mim. Não é tanto mais assim. É um momento diferente agora. Essas mesmas regras não se aplicam hoje. [1]


Em outra entrevista, Ellefson, informa como tudo começou:

Ellefson afirmou que tudo começou de maneira informal: “A igreja começou a me chamar: ‘Ei, nós precisamos de um baixista, esta semana. Você pode vir e tocar?'”, revelou o músico.

O baixista afirmou ainda que esse convite, a seu ver, foi uma situação proporcionada por Deus na medida certa para que seu coração se quebrantasse.

“É como se Deus soubesse que se eles me convidassem para ir com meu instrumento, eu provavelmente iria. Então é assim que eu comecei a me envolver em qualquer tipo de trabalho da igreja. Isso não era como aquelas coisas banais espirituais ou algo assim. Eu sou apenas um cara que toca baixo no Megadeth e um dia na igreja. Eu realmente gosto disso.

Segundo Ellefson, as experiências vividas durante as celebrações com a comunidade o levaram a viver sensações inéditas, mesmo sendo músico de uma das bandas mais conhecidas no mundo: “Assim, a música através da igreja é o que realmente me inspira a me envolver com isso. Eu me sinto muito bem. Eu saio do palco e [eu penso algo como], ‘Cara, eu estou flutuando agora. Isso é o mais alto que eu já pude chegar. Eu estou mais alto do que várias coisas, eu estou bem alto no momento. Isso é ótimo’. É aquele momento quando seu espírito é movido e é tão legal. Eu só queria mais”.

David Ellefson resume sua aproximação da fé como uma oportunidade de retribuir tudo que ele recebeu: “É bom saber que eu usei um dom que Deus me deu para entregá-lo de volta. E não foi apenas sexo, drogas e rock and roll. Como eu posso querer mais? Porque quando eu levava minha vida assim, eu vivia me dando mal. Mas quando eu comecei a usar a música para alguma utilidade, para ajudar as pessoas, para levantá-las e inspirá-las, e eu comecei a usar o que é conhecido por G.O.D. – Good Orderly Direction (algo como “Boa Direção Determinada”) quando eu comecei a ser adepto disso, as bênçãos vieram em minha vida e eu nunca imaginei isso. Para mim, essa é a direção certa”, afirmou em entrevista ao Yahoo! Music. [2]



“Eu percebi que minha fé no cristianismo é honesta e verdadeira, e não apenas para diversão e distração. Ser um cristão e um roqueiro não são duas coisas totalmente opostas. Algumas pessoas saem de uma para crer em outra, mas para mim, as duas trabalham muito bem juntas. Quando você quer começar a ser honesto e crer em si mesmo, você perseguirá as virtudes que o Senhor colocou em você”.[3]

A fé do David Ellefson, é uma inspiração pra qualquer Headbanger, Além disso o mesmo se inscreveu (2012) em um seminário Luterano (Concordia Seminary) para se tornar Pastor Luterano,  e segundo o próprio Mustaine, informou que o Ellefson é o pastor e não ele.




Fontes: 


[1] http://whiplash.net/materias/news_841/149571-megadeth.html#ixzz3z8NsM1HF


[2] http://noticias.gospelmais.com.br/megadeth-david-ellefson-testemunha-conversao-dom-deus-63237.html



[3] http://whiplash.net/materias/curiosidades/134693.html#ixzz3z8NDunmj




segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Série: Rockeiros famosos que se converteram ao Cristianismo - Michael Kiske


Série: Rockeiros famosos que se converteram ao Cristianismo

por Edy Marques

Outro Headbanger famoso que se converteu ao Cristianismo, é o excelente vocalista "Michael Kiske". Kiske é considerado uns dos melhores vocalistas de Metal do mundo, no segmento "melódico". É conhecido pelas passagens pela bandas: Helloween, Place Vendome, Avantasia, Kiske & Somerville, Unisonic ... além de sua carreira solo. Um Cantor versátil que tem uma voz que passeia do AOR ao Power Metal.

"Em 1994, ano de sua saída do Helloween, correu um boato que o ex-vocalista Michael Kiske tinha se convertido ao cristianismo. E ele se "mostrou" cristão após publicar um nota em sua página do Myspace na qual mostrava o seu repúdio ao Satanismo. “De tempos em tempos recebo pedidos para serem meus ''amigos'' de pessoas com perfis muito estranhos. E antes de eu ou Jutta (responsável pelo site) decidirmos a quem aceitar ou negar, nós os checamos primeiro, e se encontrarmos neles qualquer forma de brutalidade, satanismo, porcarias glorificando o mal, pornografia ou algo do gênero, eles simplesmente não podem ser meus amigos. Isso está muito longe de quem eu sou e do que eu quero me conectar. Alguns músicos e bandas aceitam todo mundo – quanto mais, melhor – mas para mim é muito mais importante quem será membro de uma coisa chamada 'Amigos do Kiske' e não quantos serão. Todo mundo que sabe quem eu sou e como eu penso entenderão isso perfeitamente”.

“Eu sei que algumas dessas pessoas simplesmente não sabem o que estão fazendo e com o que estão lidando, e para alguns isso é só 'coisa de criança'. E outras pessoas ainda não conseguem entender porque eu levo essas coisas a sério; bem, porque elas são! Mas eu também sei muito bem, que o materialismo não respeita mais nenhuma moral. Mas eu não sou materialista; sou um Cristão (de nenhuma igreja), e não quero NENHUM site oficial meu como plataforma para essa doença que é o Satanismo! Eu definitivamente não sou amigo de pessoas que servem o Anticristo. Não estamos do mesmo lado! - JESUS CRISTO para sempre”! [1]



A fé de Kiske é demostrada desde o seu tempo no Helloween, o que falar da música " I Believe" onde Kiske faz a seguinte declaração:
Eu sei que é verdade o que jesus Cristo disse
Eu tenho isso tudo claro em minha cabeça
Parece que nascemos para sermos injustos
Eu sou um pecador que está começando a ousar acreditar.
Dê-me sua mão até o final
E eu andarei pela terra prometida
Eu não mereço nada que você faz
Mas eu não consigo para de te amar;

"Sem mais mentiras, sem falsas religiões
Sem mais porquês e missões erradas de Deus
Sem luminosos padres de tv implorando por dinheiro
Sem mais guerras que nenhum deus nunca pediu" [2]

Kiske é um cara cristão declarado, no álbum "Streets of Fire" da banda Place Vendome, o mesmo regravou a música "Set Me Free" da banda cristã "Casting Crowns", onde a letra soa como um testemunho de vida pro Kiske.

Além disso, Kiske falou em artigos recentes sobre " A Adoração ao mal no Heavy Metal".

Estou convencido que nós, enquanto seres humanos, estamos numa luta constante entre trevas e luz, ódio e amor, morte e vida, espiritualismo e materialismo, bem e mal. Todos nós temos os dois lados enquanto potencialidades reais. Deus nos criou assim para que conhecêssemos o bem e o mal. A questão é o que estamos vivendo e de qual lado estamos. Qual caminho escolheremos? A quem ouviremos?

O modo de ser cristão verdadeiro não julga e foge, mas ama os irmãos e as irmãs, transforma os corações e salva almas! Nós TODOS temos o mal em nós a TODOS somos pecadores. Eu não sou nenhum santo. Eu não sou melhor que ninguém.

Não precisamos de tradições religiosas nem de igrejas para encontrar Deus. Não precisamos ir à igreja para ser uma pessoa espiritualizada, muito menos ser contra a ciência (assim como não é necessário ser materialista para ser cientista!). Não é necessário haver um Deus no qual se acredita para fazer o bem, amar e ter compaixão (mesmo se o nosso Pai no céu for mais verdadeiro do que nós).
Eu sou um cristão não-denominacional que acredita no bem, em Deus, em Cristo, no Espírito Santo e no sentido moral geral da nossa existência." [3]


Fontes:

http://whiplash.net/materias/curiosidades/134693.html#ixzz3yxnmqgL7 [1]

https://www.letras.mus.br/michael-kiske/341664/traducao.html [2]

http://whiplash.net/materias/opinioes/208794-michaelkiske.html#ixzz3yxr3xmwr [3]




 
;