sábado, 31 de outubro de 2015 0 comentários

498 Anos da Reforma Protestante: Que Sejamos Cristãos, antes de Protestantes.

498 Anos da Reforma Protestante: Que Sejamos Cristãos, antes de Protestantes.



Por Edy Marques

31 de Outubro, mais um aniversário da reforma protestante. Especificamente seu 498 anos. Considero-me protestante desde 2009 (quando conheci e passei a estudar a história deste movimento), apesar de ser evangélico desde os 11 anos.  E aqui queiro deixar minha homenagem a esse movimento que resgatou o sentido do Evangelho pregado por Cristo e ensinado pelos os apóstolos.

Sabemos muito bem da importância da Reforma protestante para o Cristianismo e a fé Cristã. Além de suas falhas para com a liberdade religiosa em seu início.  Mas houve um grande legado deixado para nós cristãos. Além de seus 5 pilares, os famosos cincos Solas. Mas aqui nos atentaremos a falar sobre o movimento protestante brasileiro.

O crescimento do protestantismo no Brasil é nítido. O sentimento de  anseio por uma nova reforma é algo crescente em meio a igreja evangélica brasileira. Talvez para alguns, ser protestante hoje é criticar/condenar as práticas neo-pentecostais e pentecostais (confundir praticas neo-pentecostais com as pentecostais). 
Ou chamar de herege, o irmão que pensa diferente de você. Para outros, não basta discordar e denunciar esses atos antibíblicos, mas ganhar 'fama' e passar  '25 horas' por dia denunciando as 'heresias e os hereges' nas redes sociais, ou incentivar queimas de livros 'hereges' na internet. 
Mas, o ponto é: muitos condenam, poucos oram por mudança.  Poucos oram por esses 'hereges' telepa$toRe$ (vocês tem orado por eles, eu me incluo nessa reflexão. Nós temos orado por eles?), para que eles se arrependam e creiam no verdadeiro EVANGELHO ENSINADO PRO CRISTO NAS ESCRITURAS. 

Sabemos que o sentimento de indignação para com tais atitudes é forte.  Mas não basta ser apenas PROTESTANTE. E condenar tudo e todos. Temos que ser acima de tudo,  PEQUENOS CRISTOS, ESSE É O SENTIDO DE SER CHAMADO DE CRISTÃO.
Devemos ser reconhecidos pelo o AMOR. Onde fica o amor para com o outro? Muitas das vezes nós 'protestantes e evangélicos' se achamos 'os donos da verdade'. E condenamos os nossos irmãos católicos, adventistas e entre outros, achando que eles não irão para o céu, por ter uma crença diferente.    Como se quando o nosso REI voltar, ele sairia perguntando de qual placa de instituição religiosa você fez parte.

Não adianta ser só protestante e não ser cristão. Tem que haver mudança, negação de si mesmo, amar ao próximo com a si mesmo, e amar a Deus acima de TODAS as coisas, inclusive da REFORMA PROTESTANTE, OU QUALQUER OUTRA LINHA TEOLÓGICA. A marca do Cristão é o AMOR. E como longe estamos disso?!

Que antes de sermos identificados como protestantes, que sejamos conhecidos por Cristão/discípulos/seguidores de Cristo. 

E como disse o teólogo protestante reformado, Jacobs Arminíus: 
"Queira Deus que todos concordemos plenamente nas coisas necessárias para Sua glória e para a salvação da Igreja. E se, entre outras coisas, não houver harmonia de opiniões, que haja pelo menos harmonia de sentimentos, e que assim possamos ‘manter a unidade do Espírito no vínculo da paz." 

Que esse sentimento se perpetue durantes todas essas 'futuras reformas no seio do cristianismo em geral'. 

Feliz Dia da Reforma protestante! 



Curtam nossa página: Cristianismounderground
domingo, 11 de outubro de 2015 2 comentários

Resenha do show: The Gates of Hell Shall not Prevail




Resenha: “The Gates of Hell Shall not Prevail'' 

Ontem (10/10/15) a noite foi regada de muito metal extremo. Um evento histórico que aconteceu na nossa Rainha da Borborema. Guerreiros do Underground do Nordeste, reunidos em um só lugar, com o propósito de curti um som extremo, baseados nos pilares da fé Cristã e na liberdade.  Um Evento destruidor, com 7 bandas que demostraram sua qualidade musical através do metal extremo e tiraram o folego dos headbangers presentes. O evento começou por volta das 17 hrs, e reuniu uma boa galera que curte esse tipo de som, o evento contou com a presença da galera de alguns estados do Nordeste Brasileiro: Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte.

A abertura do evento, foi por conta da banda Estater (Death/Grind-PB), Com um repertório curto, porém destruidor, tocando uma música autoral e 4 covers, dentre eles, covers do  Mortification, Antidemon e Sepultura, a Estater demostrou firmeza e agressividade em seu som, fazendo os headbangers bagearem loucamente com o seu Death/Grind.
 A segunda banda foi a Ex-Defuntos (Death/Grind/Punk-RN). O som dos caras foi de impressionar qualquer um, uma mistura de elementos Death, Grind e com elementos do Punk, que fez a galera curtir, polgar, bangear bastante e refletir nas mensagens passadas pelo vocalista Dragão, ao longo do show. Foi um show insano.

 Após essas duas boas apresentações, foi a vez da Horda Cearense, Darkaliel (Black Metal- CE). Uma banda veterana e umas das mais esperadas por mim, a horda fez um show insano, com um black metal cru, com letras impactantes, fazendo a galera curtir o show do início ao fim, o público marcou presença cantando o hino “Metal Negro” junto com a banda, foi insanidade e brutalidade do começo ao fim.
Depois da apresentação do Darkaliel, veio a surpresa da noite, a banda paraibana “Divine Cry” (BlackMetal- PB), Esse foi o primeiro show da banda e foi totalmente instigante, destruidor. Sinceramente eu me surpreendi com o som da banda, e creio que a maioria dos headbangers que marcaram presença no show, também.  A banda detonou do início ao fim, destaque para o jovem baterista que detonou a bateria (no bom sentido, hehe) tornando o black metal da banda bem mais instigante. A banda tocou muitas músicas autorais e finalizou com um clássico do Slecthvalk “War Of The Ancients”. Parabéns pra banda, foi a banda que mais curti no evento.

Logo após a apresentação da horda Paraibana, foi a vez dos irmãos pernambucanos da Vox Sanguinnis (BlackMetal/ PE), se apresentarem. Ao som de músicas autorais, a horda fez um show insano, onde os headbangers não paravam de bangear e polgar ao som da banda.  Destaque para as músicas “As paredes da Cidade Santa”, “Atomic Bomb” e o cover da música “Rites of Death” da lendária horda Norueguesa “Antestor”. Em seguida foi a vez da banda veterana  Desinfernality( Technical/Death/Black- PE).  O que falar do show desses caras? Foi totalmente insano. A banda possui uma qualidade musical excelente, demostrando técnica e brutalidade do início ao fim. Com a presença do novo vocalista da banda “João Dias”, que se saiu muito bem na apresentação, com um gutural insano e com a brutalidade da banda, não tinha como ficar parado, foi pancadaria até o fim. Além de suas músicas autorais, a banda também proporcionou ao público, um cover de um clássico, e talvez o hino do Death metal Cristão, “ Scrolls of Megilloth” do Mortification. Foi sensacional.

E para encerrar o evento com chave de ouro, teve a apresentação de mais uma horda oriunda do Ceará, a “Vozes Noturnas (Black Metal/CE)”. Apesar de ser a última banda, a galera continuou lá de frente ao palco, curtindo, apreciando a banda de perto e transmitido toda a energia para os caras encerrarem com brutalidade esse grande show.

Este foi o “The Gates of Hell Shall not Prevail'', o primeiro evento aqui na Paraíba, só com bandas do metal extremo com temáticas cristãs. Foi histórico, épico, insano e destruidor. E aqui quero parabenizar a organização do evento, a IXOYE Produções que enfrentaram todos os obstáculos com coragem, fé e honra e fizeram o evento acontecer, mais uma vez. Também quero parabenizar todo o público presente, seja a galera de Campina Grande, como, também a toda galera dos estados vizinhos. O underground do Nordeste sem dúvida é uns dos melhores do Brasil.  Que essa união se fortaleça cada dia e que mais eventos como este venha acontecer. Hail! Headbangers, até a próxima.

Cristianismo & Underground,  Edy Marques.


sábado, 3 de outubro de 2015 0 comentários

A história do Jesus Movement - Parte 2

AS PRIMEIRAS IGREJAS A ACEITAR A JESUS MOVEMENT E SUAS FORMAS DE PREGAR (2 DE 4)
Por Oscar Head
As reuniões de estudo bíblico na Calvary Chappel aconteciam ás quartas-feiras á noite, e por volta das quatro da tarde os jovens começavam a chegar, tamanha era a sede e a fome da Palavra! Essas reuniões eram recheadas de música e testemunhos. Os jovens convidavam seus amigos não salvos e havia um momento para que eles pudessem aceitar o convite de entrega de suas vidas a Cristo. O movimento de jovens cabeludos e vestidos de maneira estranha era tal que a polícia frequentemente ficava nas redondezas da igreja.
 O que fazer com essa moçada que dia a dia ia sendo acrescentada á Igreja? Conforme o movimento todo ia aumentando, a mídia publicava o vertiginoso crescimento e isso atraía mais pessoas ainda. Uma das soluções foi organizar pequenos grupos caseiros, onde esse pessoal se reunia quase que diariamente. Uma das situações mais emocionantes de tudo isso eram os batismos na praia. Os “malucos” saiam pregando o evangelho aos surfistas e banhistas e os batizavam ali mesmo, no melhor estilo “João Batista”!





sexta-feira, 2 de outubro de 2015 0 comentários

A história do JESUS MOVEMENT - Parte 1

A história do JESUS MOVEMENT - Parte 1

Por Oscar Head



Jesus Movement , 'Movimento de Jesus' ou ainda Jesus People, foi um movimento cristão estabelecido em oposição ao Movimento Hippie, pois o mesmo tinha uma filosofia de que uma pessoa vivem em paz e amor a partir de drogas e sexo praticados de modo livre, foi um agir soberano do Espírito Santo no meio da juventude americana na década de 60/70. Esse mover de Deus teve início de forma independente e isolada em regiões que pouco contato tinham entre si. Esses jovens experimentaram uma mudança de vida radical ao se encontrarem com Cristo. Esses jovens se reuniam nas casas, nas igrejas, nos ginásios e nas lanchonetes a fim de entenderem o que estava acontecendo e para aprender mais sobre a Bíblia e sobre Jesus.

A ampla adesão de jovens, grande parte oriundos desse movimento, ao Cristianismo Protestante nos EUA no final dos anos 1960 provocou algumas conseqüências para aquele campo religioso (segundo CUNHA): Igrejas tradicionais adotaram estilos mais informais nos cultos para incluir os novos convertidos e passaram a admitir até mesmo no seu staff pessoas provenientes do Movimento Hippie; Novas igrejas e denominações cristãs surgiram, adequadas ao estilo hippie mais descontraído na aparência e na forma de cultuar; O uso de diferentes formas de comunicação pelos hippies cristãos, como os jornais alternativos (meio comum daquele movimento) e as artes (teatro , pintura , desenho, caricatura), com fins conversionistas; O surgimento da Jesus Music (Música de Jesus), uma combinação de Rock e Música Cristã que se tornou a base do movimento de Avivamento da juventude, cuja teologia assumia bases pietistas com ênfase conversionista. Respondendo às reações negativas dos grupos tradicionalistas, cantores e compositores da Jesus Music diziam estar usando a música para combater os efeitos negativos do Rock secular. 
E repetiam uma frase do reformador Martinho Lutero para fundamentar sua causa: "Por que o demônio deve ficar com os melhores tons?". Um dos efeitos desse processo foi a realização em larga escala de festivais de "Jesus Rock", com apoio de gravadoras que viram no movimento um filão para a indústria fonográfica , e o surgimento de cafés para jovens do movimento.
Outro desdobramento foi o aparecimento de teologias apocalípticas que apontavam o movimento de reavivamento da juventude como um prelúdio para o Juízo Final, e a necessidade de uma preparação para o Arrebatamento dos santos, que seriam liberados do Dia do Julgamento .
O livro The Late Great Planet Earth ( O Último Grande Planeta Terra ), de Hal Lindsey, que tratava do tema, tornou-se Best-seller e alimentou a formação de grupos como Children of God ( Meninos de Deus ) ou The Alamo Foundation (Fundação Álamo ). Estes levaram o movimento ao extremo ao criarem comunidades alternativas, inicialmente qualificadas como comunidades de compromisso, mas depois denunciadas como heréticas, por terem desenvolvido "desvios doutrinários" por meio de suas práticas. 

Fontes: Cristianismounderground

sábado, 31 de outubro de 2015

498 Anos da Reforma Protestante: Que Sejamos Cristãos, antes de Protestantes.

498 Anos da Reforma Protestante: Que Sejamos Cristãos, antes de Protestantes.



Por Edy Marques

31 de Outubro, mais um aniversário da reforma protestante. Especificamente seu 498 anos. Considero-me protestante desde 2009 (quando conheci e passei a estudar a história deste movimento), apesar de ser evangélico desde os 11 anos.  E aqui queiro deixar minha homenagem a esse movimento que resgatou o sentido do Evangelho pregado por Cristo e ensinado pelos os apóstolos.

Sabemos muito bem da importância da Reforma protestante para o Cristianismo e a fé Cristã. Além de suas falhas para com a liberdade religiosa em seu início.  Mas houve um grande legado deixado para nós cristãos. Além de seus 5 pilares, os famosos cincos Solas. Mas aqui nos atentaremos a falar sobre o movimento protestante brasileiro.

O crescimento do protestantismo no Brasil é nítido. O sentimento de  anseio por uma nova reforma é algo crescente em meio a igreja evangélica brasileira. Talvez para alguns, ser protestante hoje é criticar/condenar as práticas neo-pentecostais e pentecostais (confundir praticas neo-pentecostais com as pentecostais). 
Ou chamar de herege, o irmão que pensa diferente de você. Para outros, não basta discordar e denunciar esses atos antibíblicos, mas ganhar 'fama' e passar  '25 horas' por dia denunciando as 'heresias e os hereges' nas redes sociais, ou incentivar queimas de livros 'hereges' na internet. 
Mas, o ponto é: muitos condenam, poucos oram por mudança.  Poucos oram por esses 'hereges' telepa$toRe$ (vocês tem orado por eles, eu me incluo nessa reflexão. Nós temos orado por eles?), para que eles se arrependam e creiam no verdadeiro EVANGELHO ENSINADO PRO CRISTO NAS ESCRITURAS. 

Sabemos que o sentimento de indignação para com tais atitudes é forte.  Mas não basta ser apenas PROTESTANTE. E condenar tudo e todos. Temos que ser acima de tudo,  PEQUENOS CRISTOS, ESSE É O SENTIDO DE SER CHAMADO DE CRISTÃO.
Devemos ser reconhecidos pelo o AMOR. Onde fica o amor para com o outro? Muitas das vezes nós 'protestantes e evangélicos' se achamos 'os donos da verdade'. E condenamos os nossos irmãos católicos, adventistas e entre outros, achando que eles não irão para o céu, por ter uma crença diferente.    Como se quando o nosso REI voltar, ele sairia perguntando de qual placa de instituição religiosa você fez parte.

Não adianta ser só protestante e não ser cristão. Tem que haver mudança, negação de si mesmo, amar ao próximo com a si mesmo, e amar a Deus acima de TODAS as coisas, inclusive da REFORMA PROTESTANTE, OU QUALQUER OUTRA LINHA TEOLÓGICA. A marca do Cristão é o AMOR. E como longe estamos disso?!

Que antes de sermos identificados como protestantes, que sejamos conhecidos por Cristão/discípulos/seguidores de Cristo. 

E como disse o teólogo protestante reformado, Jacobs Arminíus: 
"Queira Deus que todos concordemos plenamente nas coisas necessárias para Sua glória e para a salvação da Igreja. E se, entre outras coisas, não houver harmonia de opiniões, que haja pelo menos harmonia de sentimentos, e que assim possamos ‘manter a unidade do Espírito no vínculo da paz." 

Que esse sentimento se perpetue durantes todas essas 'futuras reformas no seio do cristianismo em geral'. 

Feliz Dia da Reforma protestante! 



Curtam nossa página: Cristianismounderground

domingo, 11 de outubro de 2015

Resenha do show: The Gates of Hell Shall not Prevail




Resenha: “The Gates of Hell Shall not Prevail'' 

Ontem (10/10/15) a noite foi regada de muito metal extremo. Um evento histórico que aconteceu na nossa Rainha da Borborema. Guerreiros do Underground do Nordeste, reunidos em um só lugar, com o propósito de curti um som extremo, baseados nos pilares da fé Cristã e na liberdade.  Um Evento destruidor, com 7 bandas que demostraram sua qualidade musical através do metal extremo e tiraram o folego dos headbangers presentes. O evento começou por volta das 17 hrs, e reuniu uma boa galera que curte esse tipo de som, o evento contou com a presença da galera de alguns estados do Nordeste Brasileiro: Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte.

A abertura do evento, foi por conta da banda Estater (Death/Grind-PB), Com um repertório curto, porém destruidor, tocando uma música autoral e 4 covers, dentre eles, covers do  Mortification, Antidemon e Sepultura, a Estater demostrou firmeza e agressividade em seu som, fazendo os headbangers bagearem loucamente com o seu Death/Grind.
 A segunda banda foi a Ex-Defuntos (Death/Grind/Punk-RN). O som dos caras foi de impressionar qualquer um, uma mistura de elementos Death, Grind e com elementos do Punk, que fez a galera curtir, polgar, bangear bastante e refletir nas mensagens passadas pelo vocalista Dragão, ao longo do show. Foi um show insano.

 Após essas duas boas apresentações, foi a vez da Horda Cearense, Darkaliel (Black Metal- CE). Uma banda veterana e umas das mais esperadas por mim, a horda fez um show insano, com um black metal cru, com letras impactantes, fazendo a galera curtir o show do início ao fim, o público marcou presença cantando o hino “Metal Negro” junto com a banda, foi insanidade e brutalidade do começo ao fim.
Depois da apresentação do Darkaliel, veio a surpresa da noite, a banda paraibana “Divine Cry” (BlackMetal- PB), Esse foi o primeiro show da banda e foi totalmente instigante, destruidor. Sinceramente eu me surpreendi com o som da banda, e creio que a maioria dos headbangers que marcaram presença no show, também.  A banda detonou do início ao fim, destaque para o jovem baterista que detonou a bateria (no bom sentido, hehe) tornando o black metal da banda bem mais instigante. A banda tocou muitas músicas autorais e finalizou com um clássico do Slecthvalk “War Of The Ancients”. Parabéns pra banda, foi a banda que mais curti no evento.

Logo após a apresentação da horda Paraibana, foi a vez dos irmãos pernambucanos da Vox Sanguinnis (BlackMetal/ PE), se apresentarem. Ao som de músicas autorais, a horda fez um show insano, onde os headbangers não paravam de bangear e polgar ao som da banda.  Destaque para as músicas “As paredes da Cidade Santa”, “Atomic Bomb” e o cover da música “Rites of Death” da lendária horda Norueguesa “Antestor”. Em seguida foi a vez da banda veterana  Desinfernality( Technical/Death/Black- PE).  O que falar do show desses caras? Foi totalmente insano. A banda possui uma qualidade musical excelente, demostrando técnica e brutalidade do início ao fim. Com a presença do novo vocalista da banda “João Dias”, que se saiu muito bem na apresentação, com um gutural insano e com a brutalidade da banda, não tinha como ficar parado, foi pancadaria até o fim. Além de suas músicas autorais, a banda também proporcionou ao público, um cover de um clássico, e talvez o hino do Death metal Cristão, “ Scrolls of Megilloth” do Mortification. Foi sensacional.

E para encerrar o evento com chave de ouro, teve a apresentação de mais uma horda oriunda do Ceará, a “Vozes Noturnas (Black Metal/CE)”. Apesar de ser a última banda, a galera continuou lá de frente ao palco, curtindo, apreciando a banda de perto e transmitido toda a energia para os caras encerrarem com brutalidade esse grande show.

Este foi o “The Gates of Hell Shall not Prevail'', o primeiro evento aqui na Paraíba, só com bandas do metal extremo com temáticas cristãs. Foi histórico, épico, insano e destruidor. E aqui quero parabenizar a organização do evento, a IXOYE Produções que enfrentaram todos os obstáculos com coragem, fé e honra e fizeram o evento acontecer, mais uma vez. Também quero parabenizar todo o público presente, seja a galera de Campina Grande, como, também a toda galera dos estados vizinhos. O underground do Nordeste sem dúvida é uns dos melhores do Brasil.  Que essa união se fortaleça cada dia e que mais eventos como este venha acontecer. Hail! Headbangers, até a próxima.

Cristianismo & Underground,  Edy Marques.


sábado, 3 de outubro de 2015

A história do Jesus Movement - Parte 2

AS PRIMEIRAS IGREJAS A ACEITAR A JESUS MOVEMENT E SUAS FORMAS DE PREGAR (2 DE 4)
Por Oscar Head
As reuniões de estudo bíblico na Calvary Chappel aconteciam ás quartas-feiras á noite, e por volta das quatro da tarde os jovens começavam a chegar, tamanha era a sede e a fome da Palavra! Essas reuniões eram recheadas de música e testemunhos. Os jovens convidavam seus amigos não salvos e havia um momento para que eles pudessem aceitar o convite de entrega de suas vidas a Cristo. O movimento de jovens cabeludos e vestidos de maneira estranha era tal que a polícia frequentemente ficava nas redondezas da igreja.
 O que fazer com essa moçada que dia a dia ia sendo acrescentada á Igreja? Conforme o movimento todo ia aumentando, a mídia publicava o vertiginoso crescimento e isso atraía mais pessoas ainda. Uma das soluções foi organizar pequenos grupos caseiros, onde esse pessoal se reunia quase que diariamente. Uma das situações mais emocionantes de tudo isso eram os batismos na praia. Os “malucos” saiam pregando o evangelho aos surfistas e banhistas e os batizavam ali mesmo, no melhor estilo “João Batista”!





sexta-feira, 2 de outubro de 2015

A história do JESUS MOVEMENT - Parte 1

A história do JESUS MOVEMENT - Parte 1

Por Oscar Head



Jesus Movement , 'Movimento de Jesus' ou ainda Jesus People, foi um movimento cristão estabelecido em oposição ao Movimento Hippie, pois o mesmo tinha uma filosofia de que uma pessoa vivem em paz e amor a partir de drogas e sexo praticados de modo livre, foi um agir soberano do Espírito Santo no meio da juventude americana na década de 60/70. Esse mover de Deus teve início de forma independente e isolada em regiões que pouco contato tinham entre si. Esses jovens experimentaram uma mudança de vida radical ao se encontrarem com Cristo. Esses jovens se reuniam nas casas, nas igrejas, nos ginásios e nas lanchonetes a fim de entenderem o que estava acontecendo e para aprender mais sobre a Bíblia e sobre Jesus.

A ampla adesão de jovens, grande parte oriundos desse movimento, ao Cristianismo Protestante nos EUA no final dos anos 1960 provocou algumas conseqüências para aquele campo religioso (segundo CUNHA): Igrejas tradicionais adotaram estilos mais informais nos cultos para incluir os novos convertidos e passaram a admitir até mesmo no seu staff pessoas provenientes do Movimento Hippie; Novas igrejas e denominações cristãs surgiram, adequadas ao estilo hippie mais descontraído na aparência e na forma de cultuar; O uso de diferentes formas de comunicação pelos hippies cristãos, como os jornais alternativos (meio comum daquele movimento) e as artes (teatro , pintura , desenho, caricatura), com fins conversionistas; O surgimento da Jesus Music (Música de Jesus), uma combinação de Rock e Música Cristã que se tornou a base do movimento de Avivamento da juventude, cuja teologia assumia bases pietistas com ênfase conversionista. Respondendo às reações negativas dos grupos tradicionalistas, cantores e compositores da Jesus Music diziam estar usando a música para combater os efeitos negativos do Rock secular. 
E repetiam uma frase do reformador Martinho Lutero para fundamentar sua causa: "Por que o demônio deve ficar com os melhores tons?". Um dos efeitos desse processo foi a realização em larga escala de festivais de "Jesus Rock", com apoio de gravadoras que viram no movimento um filão para a indústria fonográfica , e o surgimento de cafés para jovens do movimento.
Outro desdobramento foi o aparecimento de teologias apocalípticas que apontavam o movimento de reavivamento da juventude como um prelúdio para o Juízo Final, e a necessidade de uma preparação para o Arrebatamento dos santos, que seriam liberados do Dia do Julgamento .
O livro The Late Great Planet Earth ( O Último Grande Planeta Terra ), de Hal Lindsey, que tratava do tema, tornou-se Best-seller e alimentou a formação de grupos como Children of God ( Meninos de Deus ) ou The Alamo Foundation (Fundação Álamo ). Estes levaram o movimento ao extremo ao criarem comunidades alternativas, inicialmente qualificadas como comunidades de compromisso, mas depois denunciadas como heréticas, por terem desenvolvido "desvios doutrinários" por meio de suas práticas. 

Fontes: Cristianismounderground
 
;