quinta-feira, 20 de agosto de 2015

As últimas palavras de John Wesley

As últimas palavras de John Wesley - 02 de março de 1791
No dia 2 de março de 1791, aos 88 anos, tendo pregado o Evangelho por 65 anos, um pouco antes de morrer, Wesley disse: “Eu me levantarei”.
Enquanto lhe ajeitavam as roupas, ele começou a cantar de uma maneira tal que surpreendeu a todos os presentes:
Eu louvarei meu Criador enquanto viver
E quando a morte minha voz emudecer,
O louvor ocupará as habilidades mais nobres do meu ser:
Enquanto durar a vida, mente e coração
Ou mesmo a vida imortal,
Meus dias de louvor nunca cessarão.
Feliz é o homem cuja confiança
No Deus de Israel está,
Ele fez o céu, a terra e o mar,
E tudo o que neles há.
Sua verdade para sempre permanece firme,
Ele salva o oprimido, o pobre sustente
E suas promessas não são vãs.
Ao assentar-se outra vez em sua poltrona, ele disse com a voz débil: ”Fala, Senhor, a todos os nossos corações, e faça com que saibam que Tu soltas as línguas”. E então, cantou mais uns versos:
Ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
Que docemente concordam juntos…
Sua voz falhou, mas depois de descansar um pouco, ele chamou os que estavam com ele para “orar e louvar”. Ele tomou a cada um pela mão, e depois de saudá-los carinhosamente, despediu-se deles. Depois de tentar dizer alguma coisa que eles não puderam entender, ele fez uma pequena pausa e, reunindo toas as forças que lhe restavam, disse: “O melhor de tudo é que Deus está conosco!”.
Durante a maior parte da noite que se seguiu, ele várias vezes tentou cantar novamente o hino que havia cantado anteriormente, mas só conseguiu dizer: ‘Eu louvarei, eu louvarei”.
Na quarta-feira de manhã, o fim se aproximou. Joseph Bradford orou com ele por volta das 10 horas, enquanto onze amigos se ajoelhavam ao redor de sua cama.
“Adeus”, disse o moribundo – e esta foi a última palavra que ele pronunciou.
Imediatamente depois, sem um gemido ou suspiro, ele faleceu.
Seus amigos silenciosamente se levantaram e, em pé ao redor de sua cama, cantaram:
Às portas do céu espera o Salvador
Seu espírito a receber está.
E de suas mãos nós vamos obter
Coroa de amor divinal! 

Fontes: http://www.metodistavilaisabel.org.br/artigosepublicacoes/descricaocolunas.asp?Numero=2768

0 comentários:

Postar um comentário

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

As últimas palavras de John Wesley

As últimas palavras de John Wesley - 02 de março de 1791
No dia 2 de março de 1791, aos 88 anos, tendo pregado o Evangelho por 65 anos, um pouco antes de morrer, Wesley disse: “Eu me levantarei”.
Enquanto lhe ajeitavam as roupas, ele começou a cantar de uma maneira tal que surpreendeu a todos os presentes:
Eu louvarei meu Criador enquanto viver
E quando a morte minha voz emudecer,
O louvor ocupará as habilidades mais nobres do meu ser:
Enquanto durar a vida, mente e coração
Ou mesmo a vida imortal,
Meus dias de louvor nunca cessarão.
Feliz é o homem cuja confiança
No Deus de Israel está,
Ele fez o céu, a terra e o mar,
E tudo o que neles há.
Sua verdade para sempre permanece firme,
Ele salva o oprimido, o pobre sustente
E suas promessas não são vãs.
Ao assentar-se outra vez em sua poltrona, ele disse com a voz débil: ”Fala, Senhor, a todos os nossos corações, e faça com que saibam que Tu soltas as línguas”. E então, cantou mais uns versos:
Ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
Que docemente concordam juntos…
Sua voz falhou, mas depois de descansar um pouco, ele chamou os que estavam com ele para “orar e louvar”. Ele tomou a cada um pela mão, e depois de saudá-los carinhosamente, despediu-se deles. Depois de tentar dizer alguma coisa que eles não puderam entender, ele fez uma pequena pausa e, reunindo toas as forças que lhe restavam, disse: “O melhor de tudo é que Deus está conosco!”.
Durante a maior parte da noite que se seguiu, ele várias vezes tentou cantar novamente o hino que havia cantado anteriormente, mas só conseguiu dizer: ‘Eu louvarei, eu louvarei”.
Na quarta-feira de manhã, o fim se aproximou. Joseph Bradford orou com ele por volta das 10 horas, enquanto onze amigos se ajoelhavam ao redor de sua cama.
“Adeus”, disse o moribundo – e esta foi a última palavra que ele pronunciou.
Imediatamente depois, sem um gemido ou suspiro, ele faleceu.
Seus amigos silenciosamente se levantaram e, em pé ao redor de sua cama, cantaram:
Às portas do céu espera o Salvador
Seu espírito a receber está.
E de suas mãos nós vamos obter
Coroa de amor divinal! 

Fontes: http://www.metodistavilaisabel.org.br/artigosepublicacoes/descricaocolunas.asp?Numero=2768

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
;