segunda-feira, 31 de agosto de 2015 2 comentários

Curiosidades do Metal Cristão - 7 horns 7 Eyes e o seu mascote.

Série: Curiosidades do Metal Cristão.



Você sabia o significado do mascote utilizado pela banda de Progressive Death Metal "7 Horns 7 Eyes"?


Esse mascote lindo ou horrendo pra alguns, é a representação do Cordeiro de Deus (Jesus, O Cristo) se levando literalmente conforme o livro de Apocalipse.

A imagem é baseada no versículo:
"Com efeito, entre o trono com os quatro Seres vivos e os Anciãos, vi um Cordeiro de pé, como que imolado. TINHA SETE CHIFRES E SETE OLHOS, que são os Sete Espíritos de Deus enviados por toda a terra. Apocalipse 5:6.

E aí vc que gosta de interpretar apocalipse(revelação) literalmente, gostou ?

Curtam: https://www.facebook.com/Cristianismounderground
0 comentários

Curiosidades do Metal Cristão- Oh, Sleeper e o o "Broken Pentagram"


Série: Curiosidades do Metal Cristão

Oh, Sleeper é uma banda Cristã de Metalcore formada no Texas.
O nome da banda é uma referência a passagem bíblica Efésios 5:14:

Pelo que diz: Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te iluminará.
Efésios 5:14

Você sabia qual o significado do símbolo utilizado pela banda Oh, Sleeper, em seu álbum 'Son Of The Morning'?

 A capa do Son Of The Morning é um "Broken Pentagram" (Pentagrama Quebrado) de acordo com Micah (Vocalista). A mensagem passada pelo álbum é "Eu vou cortar os seus chifres!" na canção "The Finisher" a canção "Grand Finale" do álbum. [1]




Curtam nossa página:
https://www.facebook.com/Cristianismounderground
domingo, 30 de agosto de 2015 0 comentários

Os Arminianos e a Sola Scriptura

Graça e Paz, curtidores e seguidores do nosso blog e página "Cristianismo Underground".


O Artigo de hoje é sobre o tema da Sola Scriptura (Somente a Escritura) e a Teologia Arminiana. Muitos sabem que já faz mais de um ano que deixei de ser calvinista. E agora após estudos, leituras e reflexões, me identifico mais com a teologia Arminiana. E antes de tudo  algumas observações devem ser feitas antes de iniciar o breve artigo.

Primeira observação:
1    1-     O artigo não é de cunho acadêmico, por este motivo não seguirei as regras da ABNT no meu blog.
2- O motivo do post é só para esclarecer alguns mitos que são ditos sobre a teologia arminiana e que deve ser desmistificado. Abaixo segue o breve artigo.





Alguns teólogos acusam a teologia Arminiana clássica e Wesleyana de negar o princípio da Sola Scriptura. Talvez essa acusação, seja por falta de leitura da teologia arminiana escrita por Arminianos, ou por desonestidade intelectual mesmo. Outros, acusam a teologia arminiana de se basear mais na filosofia do que nas Sagradas Escrituras. Mas isso é um erro, pois assim como a ortodoxia protestante, os arminianos acreditam na Sola Scriptura. Segundo Olson (2013,  p. 107): “os Arminianos creem e seguem o princípio da Sola Scriptura (Escritura acima de quaisquer outras fontes e normas) na teologia.” [1]

No post de hoje iremos de forma rápida, citar algumas frases ditas por Armínio e Teólogos Arminianos que comprovam que a teologia Arminiana está de acordo com esse princípio da Reforma Protestante.  

O que Armínio disse sobre a Sola Scriptura? Para Armínio, a única esperança da humanidade ter o verdadeiro conhecimento de Deus, jaz na revelação divina: Armínio, citado por Olson (2013, p.107): “Toda nossa esperança ... para alcançar este conhecimento [teológico] está colocada na revelação divina”, pois” Deus não pode ser conhecido exceto por meio dele mesmo.” [2]

E onde podemos encontrar essa revelação de Deus? Onde Deus revelou a si mesmo? Primeiro e acima de tudo em Jesus Cristo, que é revelado pela Escritura.

Outra citação, que merece destaque aqui no nosso texto: “Conferimos unicamente à palavra de Deus a honra apropriada e devida, e a estabelecemos além (ou preferencialmente acima) de todas as disputas, grande demais para ser sujeitada a qualquer exceção e digna de toda aceitação” e “ a igreja sempre tem Moisés e os Profetas, os Evangelistas e os Apóstolos, - ou seja, as Escrituras do Antigo e Novo Testamento, e estas escrituras plena e claramente abrangem tudo o que é necessário para a salvação.” [3]

 Por fim, outra fase do Armínio: “A regra da Verdade Teológica não é dupla, uma Primária e a outra Secundária; mas é uma e simples, as Sagradas Escrituras.” [4]

E o que o João Wesley falou acerca das escrituras?

O teólogo metodista evangélico Thomas Oden e autoridade em Wesley, rebateu as acusações de que John Wesley negava o Sola Scriptura. Oden cita:

"É a 'fé dos protestantes' em acreditar em nada mais ou nada menos que está manifestamente contido e provado pelas Santas Escrituras. A palavra escrita é a única e plena regra de sua fé, assim como prática. Acreditamos que a Escritura seja de Deus. Somos orientados a não sermos sábios acima do que está escrito. Não devemos impor nada que a Bíblia claramente não imponha. Não devemos proibir nada que ela claramente não proíba." [5]

E o que a teologia Wesleyana ensina?

O metodista Richard Watson, do século XIX, segue o mesmo princípio, ele afirmou: “Quando uma doutrina nos é claramente revelada, permanecendo como permanece sobre uma autoridade infalível [Escritura], nenhuma doutrina contrária pode ser verdadeira; isso é, na verdade, o mesmo que dizer que as opiniões humanas devem ser testadas pela autoridade divina, e que a revelação deve ser consistente consigo mesma.” [6]

E o quadrilátero Wesleyano [Escritura, Tradição, Razão e experiência]? Esse método utilizado, não põe por água abaixo o princípio da Sola Scriptura? Estariam todos no mesmo patamar? Estaria a razão acima das Escrituras?
Veja o que o teólogo Nazareno “ H. Ray Dunning”, fala pelos herdeiros de Wesley (movimentos de Santidade):
“Seguindo João Wesley, a teologia Wesleyana sempre construiu sua obra doutrinária sobre quatro pilares essenciais comumente referidos como quadrilátero Wesleyano. Além da Escritura, elas são a tradição, razão e experiência. Estas, todavia, não estão em pé de igualdade. Na verdade, se propriamente entendidas, as três fontes auxiliares corroboram diretamente a prioridade da autoridade bíblica.” [7] DUNNING, H. Ray. Grace, Faith, and Holiness. Kansas City, Mo.: Beaconc Hill, 1998. p.77

Portanto, percebemos que a teologia arminiana, sejam outorgadas pelos os Arminianos clássicos e os Metodistas, seguiram esse princípio da reforma protestante. E aos acusadores que ainda insistem em fazer falsas acusações, cabem a eles demostrarem com citações que neguem que os Arminianos neguem este princípio, a partir das fontes arminianas clássicas.



Fontes: OLSON, Roger. Teologia Arminiana: Mitos e Realidades, pg.107[1]
ARMINIUS. “Oration III”, Works.v.v1,p.374 [2]
ARMINIUS. “Oration III”, Works.v.v1,p. 701, 723.  [3]
ARMINIUS. Works.v.2 ,p. 706 [4]
ODEN, Thomas, John Wesley’s Scriptural Christianity. Grand Rapids: Zondervan, 1994. P.56 [5]
WATSON, Richard, Theological Institutes, Or, a view of The Evidences, Doctrines, Morals, and Institutions of Christianity. New York: Lane & Scott, 1851. v.1,p. 99. [6]
 DUNNING, H. Ray. Grace, Faith, and Holiness. Kansas City, Mo.: Beaconc Hill, 1998. p.77 [7]

sexta-feira, 28 de agosto de 2015 1 comentários

Impending Doom e o significado do REPENTAGRAM


Série: Curiosidades do Metal Cristão

Você sabe qual o real significado do Símbolo 'REPENTAGRAM' utilizada pela banda Impending Doom em seu logo tipo?

O nome do símbolo é chamado de REPENTAGRAM, pois é uma combinação de duas palavras:
1. Repent (em inglês)= Arrepender
2. Pentagram (em inglês) = Pentagrama


Basicamente o seu significado seria, se arrepender, sentir tristeza pelo pecados praticados em um contexto satânico, o qual é representado na cena black metal secular pelo pentagrama.

A banda certa vez explicou o significado e uso do termo/símbolo:


"Nós temos recebido muito e-mails questionando a Repentagram. Logo, gostaria de termpo agora para explicar-lhe tudo. Primeiro nós somos uma banda cristã verdadeira e nunca iriamos colocar algo que tem significado satânico ou qualquer coisa negativa. Achamos que a palavra "REPENTEGRAM" basicamente colocando duas palavras juntas. 1. ARREPENDIDO (Significado: Sentir tanta tristeza pelo pecado ou falha como estar disposto a mudar de vida para melhor; ser penitente. 2. PENTAGRAM ( que no mundo do black metal é um símbolo satânico.) Como somos uma banda Cristã de Death Metal queríamos pensar em algo inteligente; assim a REPENTAGRAM entrou em pensamento. Não é a mesma quantidade de lados, como um pentagrama, nós estamos fazendo um simbolo cristão de Death Metal. Assim como críamos a palavra "GORSHIP" (que como todos devem saber, NÃO SIGNIFICA culto gore, mas significa adorar a Deus através da nossa música soando gore) o REPENTAGRAM é apenas uma nova palavra. Por favor, passe esta informação para alguém que você conheça que pensa algo mais do que ele realmente é". [1]

Fontes:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Impending_Doom [1]

quinta-feira, 27 de agosto de 2015 0 comentários

Mortification: O que significa "Megilloth" ?

Série: CURIOSIDADES SOBRE O METAL CRISTÃO.

 O que são os 'Megilloth', relatado na música do Mortification?

A música "Scrolls Of The Megilloth" do grande álbum do Mortification,​ fala sobre 'Os Cincos Rolos' que fazem parte da divisão da Bíblia Hebraica. A bíblia hebraica diferente da septuaginta (LXX) sua tradução pro grego,  que é dividida em 4 partes, é dividida em  3 partes: A lei (Tora), Os profetas ( Nebhim) e os Escritos ( Kethubhim). Dentro dos Kethubhim, temos 3 partes: Livros Poéticos, Cinco Rolos, e Livros Históricos.

Os Megilloth ou 5 rolos que fazem parte dos (Kethubhim), são:

1- Os Cânticos dos Cânticos
2- Rute
3. Lamentações
4. Ester
5. Eclesiastes

Além disso a  letra da música fala de forma rápida sobre a história e o papel de cada livro, e ainda traz uma lição/conselho para se aplicar aos nossos dias.
Ex:
Rute: Rute é um livro de amor. Para vencer dificuldades
Boaz, simbolo de Cristo libertando Sua Santa Igreja.

Para ver a tradução da música, clique aqui:


 Confira o som:

0 comentários

Religião Aprisiona, Jesus Liberta



"Eles querem sempre condenar 

Pesado fardo estão fazendo você levar 
Não importa a hora, seja dia ou noite 
O importante é você respeitar 
Ele nunca podem te escutar 
Mas a regra vai permanecer 
Lindas palavras sempre vão dizer 
Religiosos Hipócritas vão morrer
Mas lá vem eles pra nos "ensinar"
O que se pode e não se pode fazer
Tem a honra nos seus lábios
Mas distante o coração
Os doutores da lei
Permanecem inertes
Sob as tábuas da lei
Criadas pelas próprias mãos
Homens cegos querer te guiar 
Você não sabe por onde andar 
A religião veio dizer 
Viva a sua liberdade, mais não saia da prisão.
Mas...
Quem conhece a liberdade
A quem o próprio Deus chamou
Não aceitará se submeter
A nenhuma escravidão..."

'Religião' Não salva ninguém ,ela te destrói! Mas Cristo Liberta e Salva! Pense nisso! Die just, die religion die, just die.

Obs 1: Religião aqui, se refere aos dogmas religiosos de igrejas de todos os tipos, o Evangelho de Cristo se resume em viver em amor a Deus e com o próximo.  O Evangelho é diferente de Religião.

Obs2: Texto feito com algumas letras de músicas das bandas, como: Brian Head, Resgate e Militantes..


quarta-feira, 26 de agosto de 2015 0 comentários

Diferenças entre: Pelagianismo, Semipelagianismo e Arminianismo.



Diferenças entre: Pelagianismo, Semipelagianismo e Arminianismo.

Pelagianismo- seu fundador foi: Pelágio era um monge que viveu no fim do século 4 e início do século 5 D.C. Ele ensinava que os seres humanos nasciam inocentes, sem a mancha do pecado original e pecado herdado. Também acreditava que Deus criava diretamente toda alma humana e, portanto, toda alma era livre do pecado. Pelágio acreditava que o pecado de Adão não tinha afetado as gerações futuras da humanidade. Essa interpretação ficou conhecida como Pelagianismo. [1]

Semipelagianismo - seu fundador foi: João Cassiano, monge de Marselha na França, foi o principal teólogo da controvérsia semipelagiana. Ele nasceu por volta do ano de 360 e ingressou ainda jovem no mosteiro de Belém, na Palestina. Visitou mosteiros no Egito e em outros lugares do Império Romano, depois fundou seu próprio mosteiro em Marselha, no ano de 410. Sua fama na história da igreja é mais como fundador do monasticismo ocidental, do que como teólogo do semipelagianismo. No mosteiro de Marselha estudaram vários teólogos relativamente brilhantes e o local se transformou no principal foco de oposição à teoria monergística, defendida por Agostinho de Hipona. [2]

Em síntese:
Pelagianismo: qualquer sistema em que o ser humano seja capaz de alcançar a salvação inteiramente por si mesmo sem a assistência divina, além da graça comum (isto é, a graça necessária para que qualquer ser exista). Além do fato que o pelagianismo negou o pecado original. [3]

Semipelagianismo: qualquer sistema em que o processo de salvação seja iniciado pelo ser humano sem assistência da graça. [4]

Percebemos que ambos o pelagianismo e semi-pelagianismo coloca o homem como ponto inicial de sua salvação e negam a doutrina da depravação TOTAL. Algo que a teologia Arminiana não nega.
Mas existe alguns calvinistas e algumas páginas que afirma que o Arminianismo é a mesma coisa que o semi-pelagianismo, talvez eles nunca leram sobre o Arminianismo escrito por Arminianos.

Vejamos algumas frases de alguns teólogos arminianos:

Armínio disse:
Neste estado [caído], o livre-arbítrio do homem para o verdadeiro bem não está apenas ferido, enfermo, inclinado, e enfraquecido; mas ele está também preso, destruído, e perdido. E os seus poderes não só estão debilitados e inúteis a menos que seja assistido pela graça, mas não tem poder algum exceto quando é animado pela graça divina. [5]

Simon Episcopius, discipulo de Armínio disse:
Homem não tem fé salvadora em si mesmo; nem ele nasce de novo ou se converte pelo poder de seu próprio livre arbítrio: se achando no estado de pecado, ele não pode pensar, muito menos querer ou fazer qualquer bem que seja de fato salvificamente bom a partir de si mesmo: mas é necessário que ele seja regenerado e totalmente renovado por Deus em Cristo pela Palavra do Evangelho e pela virtude do Espírito Santo, em conjunto com o seguinte: no entendimento, afeições, vontade e todos os seus poderes e faculdades, para que ele possa ser capaz de compreender, meditar, querer e realizar essas coisas que são salvificamente boas.[6]

H. Orton Wiley falou em perfeita harmonia com Arminius, dizendo: “Depravação é total na medida em que afeta todo o ser do homem”. [7]
Por essa declarações, percebemos que o Semipelagianismo e Arminianismo não são as mesmas coisas.

Fontes:
[1]http://www.gotquestions.org/Portugues/pelagianismo.html
[2] https://pt.wikipedia.org/wiki/Semipelagianismo
[3] http://www.cacp.org.br/sinergismo-nao-e-semipelagianismo/
[4] http://www.cacp.org.br/sinergismo-nao-e-semipelagianismo/
[5] Jacobus Arminius, Works, trans. James Nichols(Grand Rapids, MI: Baker Book House, 1956), 2:192.
[6] Simon Episcopius, Confessions of Faith of Those Called Arminians (London: Heart & Bible, 1684), 118.
[7] H. Orton Wiley, Christian Theology (Kansas City, MO: Beacon Hill, 1941), 2:98.

Para mais informações, leiam esses artigos:

http://www.arminianismo.com/index.php/o-que-e-o-arminianismo 
http://deusamouomundo.com/arminianismo/distinguindo-o-arminianismo-classico-do-semi-pelagianismo/ 

http://deusamouomundo.com/arminianismo/remonstrantes-contra-a-acusacao-de-semipelagianismo-pelagianismo/
segunda-feira, 24 de agosto de 2015 0 comentários

Entrevista com a banda de Heavy Metal 'Templo de Fogo'


Olá Headbangers e apreciadores do Metal.  Nós da página "Cristianismo & Underground" continuamos nossa maratona de entrevista com as bandas brasileiras. E a Entrevista de hoje é com a veterana Templo de Fogo.
A banda já está na estrada há 17 anos. E com uma boa discografia: GUERREIROS - 1998; LIVRAMENTO - 1999; SACRIFÍCIO - 2002; JUDGMENT - 2003; SONHO REAL - 2005; BABILÔNIA - 2009; O PREÇO - 2013 e  A MARCA -2015. Recentemente a banda lançou o álbum " A Marca" e com ele um clipe, onde a banda demostra o bom e velho Heavy Metal Cantando em Português.
Segue a entrevista abaixo, feita por Edy Marques:

1 - Nos conte um pouco sobre a banda, como e quando surgiu a banda?

Moisés: A Templo de Fogo surgiu em 1998. Fazíamos parte de um grupo de louvor na Igreja Renascer em Cristo de Itu.

Zé Ronaldo: Basicamente o Templo de Fogo surgiu com a iniciativa do vocalista Moisés. Ele era integrante de uma banda chamada Sagrada Cruz, mas sentiu necessidade de romper e começar um novo projeto; Naquele tempo, ele era mais experiente, casado, com filhos e já com uma grande caminhada na música. Eu era apenas um adolescente e inexperiente com este cenário – Moisés foi paciente, me ensinando os passos para se tornar um baterista. A evolução da banda foi apenas consequência; nome, músicas, gravação, mas o Templo de Fogo deve reconhecimento a essa atitude do Moisés.     

2- Quais influências musicais da banda?

Moisés: Bloodgoood, Stryper, Helloween, Iron Maiden, Black Sabath, Sacred Warrior.

Zé Ronaldo: Concordo com essa lista do Moisés, grandes bandas, apenas acrescento bandas antigas e algumas atuais como Holy Soldier, Jacobs Dream, Bride, Guardian, Whitecross, BarrenCross, Oficina G3 (hard Rock), Skillet (metal alternativo), Narnia, Balance of Power, Rob Rock, Impellitteri, seventh avenue (heavy metal), deliverance e Tourniquet.       


 3- Sabemos que não é fácil fazer um Heavy metal cantado em português, principalmente com uma temática cristã. Pois infelizmente, existe uma desvalorização do metal cantado em português no Brasil. Qual o fator que levaram vocês a optar por cantar em português?

Moisés: Eu sempre gostei de cantar em português e as bandas brasileiras que assim faziam eram demais! Começamos cantando em português e a galera aceitou muito bem. As resenhas que saíram em revistas como a Rock Brigade e Metal Mission foram bem positivas e isso nos deu bastante motivação!

Zé Ronaldo: Devemos lembrar antes de tudo que somos Cristãos e temos um compromisso, que se baseia em uma missão de proclamar a palavra de Deus (Mc.16.15), não podemos e não devemos criar uma banda; ou ter um trabalho, uma família, montarmos um negócio e esquecermos desta ordem. Acredito que isso se relaciona ao nosso posicionamento de cantar em português, ter letras fortes e impactantes – o objetivo é tocar pessoas, e ao longo dos anos, temos vários testemunhos de pessoas não cristãs sendo alcançadas pelas letras e também de cristãos que acabam sendo fortalecidos na fé.       

Acham que essa desvalorização está diminuindo?

Moisés: Acredito que existam pessoas condenadas por um modismo. Nada que esteja fora daqueles padrões estabelecidos por grandes selos possa ser alterado ou aquelas pessoas que acreditam que metal em inglês soa melhor. Bom , existe a questão do gosto também e isso tem que ser respeitado. Eu gosto de ouvir o som que fazemos e acredito que qualquer músico precisa antes de tudo gostar da música que produz. A Templo de Fogo não pode reclamar. Desde 1998 fazendo metal em português com 2 demos, 4 singles e 2 Álbuns! Sempre com o incentivo do nosso público. 


 4- Todos os trabalhos da banda foram lançados de forma independente?

Moisés: Sim! O Sonho Real teve a produção dos amigos Dennis Martins e Sebastian Amorim e foi um trabalho maravilhoso.

5- Da discografia que vocês lançaram, qual o melhor Álbum pra vocês, ou qual o mais especial? Por quê?

Moisés: Os dois foram incríveis. O “Sonho Real” que foi gravado em 2005 teve uma ótima repercussão e "A Marca" está sendo fantástico.

Zé Ronaldo: Cada Álbum é acompanhado por uma fase da banda, aprendizados e mudanças. As músicas do Templo de Fogo falam sobre nossa fé, mas também relatam um pouco do que estamos vivendo naquele momento – então, em cada lançamento, temos um carinho especial pelas músicas, definir dessa forma é um pouco complicado, mas a primeira demo “Guerreiros” foi fantástica para nós como início de Banda, outro trabalho foi o “Sacrifício” com grande repercussão internacional e com a impactante música “Tua Voz”.   

6- Nesses 17 anos de banda e em suas apresentações, qual o show que mais marcaram vocês?

Zé Ronaldo: Cada Show possuí uma história diferente e novas expectativas, talvez cada integrante da banda falará o seu preferido, tivemos ótimos momentos em eventos feitos na antiga Zadoque e em várias cidades no Estado de São Paulo. Mas particularmente, sempre gostei de eventos onde conseguia me comunicar com pessoas, que tiveram algum despertamento sobre a existência de Deus através das músicas do Templo de Fogo, e isso acontecia em vários Shows.  

Já tocaram em algum evento 'secular'? Aconteceu algum fato inusitado?

Zé Ronaldo: Sempre tocamos mais em eventos seculares do que cristãos, bares, casa de shows, etc. Mas o inusitado nessa empreitada, é que algumas bandas seculares já nos trataram melhor do que bandas cristãs – pode parecer um pouco estranho, mas houve grandes surpresas quando passamos por isso. Mas isso não ocorria por causa de fé ou preconceito, mas sim por imaturidade de alguns e maturidade de outros, tanto social como musical das bandas.      


7-  Vocês sofrem algum preconceito  pelo fato da banda ser Cristã?

Zé Ronaldo: Atualmente o preconceito tem ocorrido em todas as partes, e a vitimização, é a atitude deste século de pessoas que querem chamar a atenção. Nunca fomos ou teremos atitudes como essa, somos cristãos, lemos as Escrituras e encontramos homens simples sendo mortos pela fé em Cristo. O livro de Hebreus no capitulo 11, retrata homens, mulheres e crianças sendo perseguidos e aniquilados por causa da fé em Jesus. Quando lemos situações como essa; uma crítica, um xingamento na plateia, costas viradas de alguns no público em nossas apresentações - tornam-se fracas diante daqueles que já sofreram horrores por Cristo. Consideramos algum tipo de preconceito, mas não focamos e nem iremos sustentá-lo em nossa caminhada como banda e como Cristãos, preferimos focar em Cristo e amar a todos, como Ele nos ensinou.        

Como é a cena da Cidade de Itu-SP?

Zé Ronaldo: A cidade de Itu já foi bem mais forte sobre shows e eventos de metal, mas o cenário atual é bem fraco, como em várias partes do Brasil. Mas lugares históricos, ainda mantém o ponto onde bandas se reúnem. 

8- Ronaldo, Sabemos que você também é pastor, nos conte um pouco sobre o seu ministério pastoral. Já te criticaram pelo fato de você ser pastor e tocar Heavy Metal?


Zé Ronaldo: O círculo que frequento é bem compreensível com o que faço, membros da minha Igreja gostam da banda. Talvez em outros ambientes, algum tipo de crítica possa surgir. Mas estou em paz com o que faço e tenho orgulho de chegar onde o Templo de Fogo está. Nosso ministério é uma nova proposta de reunião como Igreja, nos reunimos em lares, com um aspecto familiar, em pequenos grupos. Estamos bem no centro de São Paulo, em Higienópolis, e quem desejar conhecer mais acesse meu blog: http://www.lagrimasportuacausa.blogspot.com.br/


9- Sobre o Álbum "A Marca", e o clipe, como tem sido a recepção da galera?

Zé Ronaldo: O Álbum tem surpreendido a própria banda, chegamos a falar que é o melhor que já lançamos. O Clipe alcançou 10 mil visualizações em uma semana na nossa página do facebook. Estamos muito satisfeitos. 

Quais os planos futuros pra banda?

Zé Ronaldo: A banda está em processo de recuperar o tempo, estamos tentando retornar a agenda de Shows, tivemos vários momentos de dificuldades, a principal delas foi o tempo em que estive fazendo missões, atuando em seminários e Igrejas, em 2005 deixei a cidade de Itu e só voltei a morar na cidade de São Paulo em 2013, então foram 8 anos atuando ministerialmente – no Rio de Janeiro e Minas Gerais. Trabalhava nos ministérios e tentava continuar com os projetos do Templo de Fogo. Com meu retorno para perto da banda, estamos trabalhando para voltar a estar na ativa. 

10 - O que você acha da cena underground Cristã no País? Falta mais apoio e união?

Zé Ronaldo: A falta de incentivo é um problema social brasileiro, somos uma nação que não procura talentos e não ajuda em outras áreas. Esperar que o Brasil tenha ações igualadas aos Estados Unidos ou outras nações de primeiro mundo é ilusão, mas poderíamos pelo menos ser mais unidos. Toda união de pessoas na história sempre ocorreu mudanças, as bandas brasileiras deveriam ser mais unidas - aqueles que possuem um alcance maior na mídia, ou em divulgações, deveriam pensar em bandas que são boas, mas nunca tiveram oportunidades.   

Obrigado pela entrevista, Templo de Fogo, agora  faça suas considerações finais e  deixe um recado para os bangers que curtem a página 'Cristianismo Underground.'

Moisés : Muito obrigado Edy pelo apoio e espaço! Deus abençoe todos vocês que nos acompanham e fazem parte da nossa história!

Curtam a nossa página no facebook: facebook.com/bandatemplodefogo e também nosso blog – bandatemplodefogor, lá você saberá um pouco sobre a ideia do nome da banda. Somo um templo de Deus (ICor.3.16), e este Deus é um fogo santo (Hb.12.29).  
  

Templo de Fogo é formada por:
Moises Missão - Guitarra/Vocal
Zé Ronaldo - Bateria
Fernando Miguel  - Teclado
Marquinhos Jabur - Baixo
Anderson Américo (Participal especial/Guitarra Solo)




0 comentários

Jesus e tatuagem ...



Stephen Sawyer apresenta Jesus como um homem forte e tatuado. O artista de 58 anos criou um projeto para aproximar os jovens da religião. No “Art4God”, Jesus Cristo aparece em quadros com o peitoral marcado, braços musculosos e atitude de vencedor.

Interessante notar que alguns cristãos mais tradicionais chocaram-se com essa imagem. Parece que os mesmos não perceberam que essa caricatura de Jesus "Branco dos olhos azuis" não passam de um criação eurocêntrica.
Mas voltando à imagem, essa é apenas uma imagem representativa e não o próprio Jesus Cristo.

Agora uma pequena reflexão:
Imaginem se quando chegarmos a ver Jesus, de fato estive escrito na sua coxa:
Em seu manto e em sua coxa está escrito este nome: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES. - Apocalipse 19:16

Digamos que se isso escrito na coxa de Cristo for uma tatuagem, tais cristãos olhariam torto para o próprio Criador/Salvador??

Curtam nossa página: https://www.facebook.com/Cristianismounderground
2 comentários

O que a teologia Arminiana ensina sobre a salvação das crianças?


Graça e Paz irmãos, no post de hoje, iremos tratar de uma maneira rápida sobre a salvação das crianças na bíblia e o que a teologia Arminiana  ensina a respeito.
De uma forma simples, temos um relato clássico nas escrituras encontrado no livro do Mateus, no qual o nosso senhor afirma de forma clara:

 Então disse Jesus: "Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino dos céus pertence aos que são semelhantes a elas". Mateus 19:14. 
Baseado nesse ensino percebemos que todas as crianças que são incapacitadas de entender o Evangelho de Cristo, serão salvas. Isso também serve para as criancinhas que não tenham algum problema mental.


E O que a teologia Arminiana ensina sobre a salvação das crianças?
"Em geral, o arminianismo clássico concorda com a ortodoxia protestante que a união da raça humana no pecado faz com que todos nasçam "filhos da ira".Todavia, os arminianos acreditam que a morte de Cristo na cruz fornece uma solução universal para a culpa do pecado herdado, de maneira que ele não é imputado aos infantes por causa de Cristo. [...] Na teologia arminiana, portanto, todas as crianças que morrem antes de alcançarem a idade do despertamento da consciência e de pecarem efetivamente (em oposição ao pecado inato) são consideradas inocentes por Deus e levadas ao paraíso." OLSON, Roger in: Teologia Arminiana: Mitos e Realidades, pg. 42-43
“A teologia arminiana tradicional diz que na cruz e através da cruz de Cristo o pecado de Adão herdado por todos foi perdoado (Romanos 5) de maneira que as pessoas só são condenáveis por seus próprios pecados. A cruz remove completamente todo obstáculo para a salvação do ser humano, exceto sua resistência à graça de Deus livremente ofertada, que é dada a todos em certa medida, mas principalmente através da pregação da palavra. “Fontes: Olson, Roger. Contra o Calvinismo, 2013, p. 103. 

Curtam nossa página:  https://www.facebook.com/Cristianismounderground
quinta-feira, 20 de agosto de 2015 0 comentários

Underoath: Estamos de volta- o Hiato Acabou


Uma excelente notícias para os fãs do Underoath. Recentemente a banda anunciou seu retorno.  Ecom o Aaron novamente na banda.

Todo os créditos dessa postagem vai para a página MPSi ROCK.
Você pode acessar o link da material original clicando aqui >> A volta do Underoath


Vamos a entrevista.
Por que vocês decidiram tocar no Self Help?

Gillespie: Foi uma oferta que fizeram. É um festival muito bacana e parece que a maioria das bandas que surgiram depois da gente também estarão nele. Acho que é um ótimo lugar para reunir todos. O A Day To Remember começou na mesma cidade que o Underoath, então acho que vai ser algo fantástico. Estou muito animado.



Vocês vão tocar o “They’re Only Chasing Safety” e o “Define the Gret Line” do começo ao fim durante os shows?

Chamberlain:Sim, provavelmente vai ser o “Define The Great Line” inteiro e depois, dependendo da duração do set, vamos tocar algumas do They’re Only Chasing Safety e outras do Lost in The Sound of Separation. Não definimos ainda um set, mas eu conversei com o Tim em fazer dessa forma já que 2016 marca 10 anos do lançamento do Define The Great Line. Assim a gente não teria que voltar muito no tempo [risos]. Se pudesse escolher, tocaria todos os álbuns do começo até o fim.



No documentário de despedida, “Tired Violence”, o conceito do Underoath ser uma banda cristã é discutido e finalmente encerrado. Quando vocês subirem no palco em 2016, como ficará esse aspecto?

Gillespie: Pessoalmente, eu acredito que a banda não deve colocar um rótulo naquilo que é. É algo completamente diferente para cada um na banda, assim como isso varia de acordo com cada indivíduo que comprou esses CDs. Para algumas pessoas, é algo cristão, para outros não. As nossas músicas com certeza têm elementos cristãos, mas todos nós acreditamos em algo diferente hoje. E isso não quer dizer que tem algum integrante que está sacrificando um bode debaixo de uma árvore. Eu sou cristão, mas não acho que a banda deve receber o rótulo de “banda cristã”. Acredito que precisa ser algo ambíguo o suficiente para que cada um possa encontrar algo interessante e se aprofundar nisso. E eu acho que essa é a beleza do que o Underoath é. Ela ganhou vida própria e tornou-se algo que nem nós mesmos conseguimos controlar ou até mesmo entender. Desejo que as pessoas tirem do Underoath algo positivo para suas vidas, seja intelectualmente ou espiritualmente, independentemente da crença que possuírem.



Esse show vai ser a única apresentação da banda? Com certeza vocês têm algo a mais planejado não é?

Chaberlain: Eu adoraria celebrar esse disco com os nossos fãs do mundo inteiro. As oportunidades que a gente teve aconteceram somente por causa deles. Então adoraria subir no palco para esses fãs e todos aqueles que não puderam comparecer na nossa turnê de despedida.



Vocês descartam a ideia de compor novas músicas juntos?

Chamberlain: Quero deixar as coisas da forma mais aberta possível. Não acho que a gente vai voltar a ser o tipo de banda que vive de música, mas não gosto da ideia de não estar aberto a nada mais. Por isso que fazer uma turnê de despedida foi tão difícil; a realidade é que a gente podia simplesmente ter entrado em um hiato por tempo indeterminado. E pensando hoje, o hiato acabou. A gente vai compor? Essa reposta só será dada quando reunirmos em um ambiente de ensaio. Vamos fazer outra turnê? Não sei. Todos precisam ajustar seus horários, mas quem sabe quando voltarmos para casa, a gente não decide incluir shows pela Europa e Austrália se tudo der certo. Acho que as bandas mais velhas chegam em um determinado momento que só conseguem fazer uma ou duas turnês por ano; isso quando não fazem apenas uma turnê a cada dois anos. Talvez esse será o futuro do Underoath. Eu simplesmente não sei. Como disse antes, estou aberto a essa possibilidade, mas preciso continuar trabalhando na minha vida e como será o futuro. Não posso ficar dependendo do meu passado para garantir o dia de amanhã. Preciso seguir focado nos próximos passos. Se isso for um novo álbum do Underoath, então colocarei todas as minhas energias nisso. Será que vamos compor outra música? Talvez. Nunca se sabe. Eu não passo tempo com o resto da banda há muito tempo, mas quem sabe a gente começa a ensaiar e de repente, “caramba, a gente acabou de escrever três músicas”. Eu não quero forçar nada.

Gillespie: Eu nunca descartaria isso, mas pessoalmente, não sei se isso é possível. Eu estou tão ocupado: tenho um estúdio, estou tocando com o Paramore, segiundo minha carreira solo e todos nós temos famílias, etc. A grande questão que precisa ser feita é: levando em consideração a vida de cada integrante, é viável essa possibilidade? Essa é a parte principal de tudo que está acontecendo.



Fontes original:  http://mpsirock.com.br/noticias/detalhe/underoath-confirma-o-hiato-acabou


0 comentários

As últimas palavras de John Wesley

As últimas palavras de John Wesley - 02 de março de 1791
No dia 2 de março de 1791, aos 88 anos, tendo pregado o Evangelho por 65 anos, um pouco antes de morrer, Wesley disse: “Eu me levantarei”.
Enquanto lhe ajeitavam as roupas, ele começou a cantar de uma maneira tal que surpreendeu a todos os presentes:
Eu louvarei meu Criador enquanto viver
E quando a morte minha voz emudecer,
O louvor ocupará as habilidades mais nobres do meu ser:
Enquanto durar a vida, mente e coração
Ou mesmo a vida imortal,
Meus dias de louvor nunca cessarão.
Feliz é o homem cuja confiança
No Deus de Israel está,
Ele fez o céu, a terra e o mar,
E tudo o que neles há.
Sua verdade para sempre permanece firme,
Ele salva o oprimido, o pobre sustente
E suas promessas não são vãs.
Ao assentar-se outra vez em sua poltrona, ele disse com a voz débil: ”Fala, Senhor, a todos os nossos corações, e faça com que saibam que Tu soltas as línguas”. E então, cantou mais uns versos:
Ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
Que docemente concordam juntos…
Sua voz falhou, mas depois de descansar um pouco, ele chamou os que estavam com ele para “orar e louvar”. Ele tomou a cada um pela mão, e depois de saudá-los carinhosamente, despediu-se deles. Depois de tentar dizer alguma coisa que eles não puderam entender, ele fez uma pequena pausa e, reunindo toas as forças que lhe restavam, disse: “O melhor de tudo é que Deus está conosco!”.
Durante a maior parte da noite que se seguiu, ele várias vezes tentou cantar novamente o hino que havia cantado anteriormente, mas só conseguiu dizer: ‘Eu louvarei, eu louvarei”.
Na quarta-feira de manhã, o fim se aproximou. Joseph Bradford orou com ele por volta das 10 horas, enquanto onze amigos se ajoelhavam ao redor de sua cama.
“Adeus”, disse o moribundo – e esta foi a última palavra que ele pronunciou.
Imediatamente depois, sem um gemido ou suspiro, ele faleceu.
Seus amigos silenciosamente se levantaram e, em pé ao redor de sua cama, cantaram:
Às portas do céu espera o Salvador
Seu espírito a receber está.
E de suas mãos nós vamos obter
Coroa de amor divinal! 

Fontes: http://www.metodistavilaisabel.org.br/artigosepublicacoes/descricaocolunas.asp?Numero=2768
quarta-feira, 19 de agosto de 2015 2 comentários

Entrevista com a Banda Zurisadai




Mais uma entrevista para o nosso blog/página "Cristianismo Underground". Dessa vez a entrevista é com a banda brasileira "Zurisidai". Entrevista feita pelo  nosso administrador da page 'Oscar Head'. 
Abaixo segue a entrevista:

Entrevista com o Líder e Vocalista da Banda Zurisadai.


~Oscar_Head:Como a banda iniciou?

- ANDRYSON KHABOD:
A banda se iniciou em fevereiro/2001 cem São Luis/MA tendo como proposta inicial o unblack metal voltado na linha de horde e vomoth, como no começo de toda banda enfrentamos dificuldades, fomos discriminados, porém tivemos êxito na nossa primeira fase que vai de 2001 a 2006!!!

~Oscar_Head: Teve outro nome?

-ANDRYSON KHABOD:
Não! sempre tivemos o nome de Zurisadai!!!

~Oscar_Head: Porque Zurisadai?

-ANDRYSON KHABOD:
Zurisadai significa ‘MINHA ROCHA É O DEUS TODO PODEROSO”, o porque o nome já diz...nossa fé está na ROCHA!!!

~Oscar_Head: Saíram do Black? porque?

-ANDRYSON KHABOD:
Nunca saímos do black, apenas acrescentamos outros estilo dentro do black metal como vc pode ver em “THE COMING OF THE ANNIHILATION”elementos de death, thrash 80 e heavy aliados ao black metal praticado por nós desde do EP “SYMPHONY OF THE SOULS” (2002).

~Oscar_Head: banda esteve parada?

-ANDRYSON KHABOD:
Sim, paramos no ano de 2006, devido a circunstancias da vida, casamentos, empregos, filhos e isso contribuiu para pararmos e ter dado fim a banda mesmo no ano de 2006...porém sempre aquela vontade de voltar com a banda existia, o que se concretizou em 2012!!!

~Oscar_Head: Qual seu pensamento a respeito do Death Metal e o Cristianismo?

-ANDRYSON KHABOD:
O Meu pensamento sobre Death metal e Cristianismo é esse: MORTE... devido que, se vc quer servir a Deus tem que morrer, morrer para o mundo e viver para Deus...O death metal é um estilo que fala sobre coisas fortes e aliado a fé cristã e indestrutível...com certeza Death Metal e o cristianismo é uma parceira brutal!!!

~Oscar_Head: Algum fato que ninguém saiba sobre a banda?

-ANDRYSON KHABOD:
Cara existem muitos fatos, porém nada de interessantes somente brincadeiras como existe em todo banda.

~Oscar_Head: Vocês já foram agredidos?

-ANDRYSON KHABOD:
Eu já fui agredido por um grupo secular aqui no maranhão de black metal no qual fazia parte antes da minha conversão, foi algo muito difícil e chato, porém são profecias bíblicas , mais já passou isso, pois foi há muito tempo atrás, hoje é página virada!



~Oscar_Head: Nova formação?

-ANDRYSON KHABOD:
Zurisadai está com uma nova formação, quando lançamos “THE COMING OF THE ANNIHILATION” estávamos coesos e seguros, porém novamente dificuldades apareceram e os membros começaram a sair um por um e foi quando em março/2015 eu  (ANDRYSON KHABOD) fiquei literalmente sozinho na banda, eu tinha dado o fim como certo, porém quando pegava o contrabaixo ou violão vinham novas ideias de sons, daí pensei por que parar??? Foi quando recrutei novos membros o que não Foi uma tarefa fácil, pois substituir os músicos que gravaram nosso álbum é uma pedreira amigo, mais graças a Deus hoje a formação é a seguinte: ANDRYSON KHABOD (BASS/VOCAL), JOHNNY SANTUARIO (GUITAR), DIO NOGUEIRA (GUITAR) E TINHO LOUZEIRO (DRUMS).

~Oscar_Head:Algum novo trabalho em vista?

-ANDRYSON KHABOD:
Estamos idealizando um novo trabalho no qual provavelmente se chamará “WORLD OF THE ILLUSIONS” que poderá ser lançado entre 2016/2017, seguirá a mesma linha sonora do álbum anterior, porém mais trabalhado ainda!!!

~Oscar_Head: Conte um pouco sobre o seu chamado nesse meio?

-ANDRYSON KHABOD:
O meu chamado se iniciou em 2000, após minha conversão, pois como falei acima vinha de uma banda secular de black metal, e a vontade de tocar era muito grande, mais não foi logo de imediato, passei um ano pensando em fundar uma banda cristã de Black metal, orei bastante, me preparei e foi quando surgiu o Zurisadai, o que é uma grande benção em minha vida...

~Oscar_Head: Tocam em "igrejas" convencionais?

-ANDRYSON KHABOD:
Cara não tocamos em igrejas convencionais, por motivos óbvios: discriminação e por não ser nosso público alvo!!!

~Oscar_Head: Uma palavra pra galera que tá iniciando aí no meio do Metal.

-ANDRYSON KHABOD:
O que posso falar para a galera que está começando é o seguinte: “FOQUEM SUAS VIDAS EM DEUS, SE VOCÊ DESEJAR TER UMA BANDA, FAÇAM AS COISAS CORRETAS, PEÇA DIREÇÃO PRO SENHOR, ESTUDE MÚSICA, POIS PRESCISAMOS DE QUALIDADE NO MEIO CRISTÃO”.
A essência é um fator primordial numa banda, não copie outras bandas e sim busquem uma identidade sonora própria! Deus abençoe.

Formação Atual:
ANDRYSON KHABOD -(Baixo/Vocal)
JOHNNY SANTUARIO (Guitarra )
DIO NOGUEIRA -(Guitarra)
E TINHO LOUZEIRO -(Bateria).

Fique por dentro da novidades da banda acompanha sua página no facebook: Zurisadai

3 comentários

Jesus Skins - Banda Cristã de Oi! da Alemanha

Já imaginou uma banda cristã formada por Skin Heads? Está afim de conhecer?
Eis a banda que quero apresentar para vocês. Conheçam um pouco sobre o "Jesus Skins".


Jesus Skins é uma banda Cristã de Oi!(Street Punk). Eles são considerados como os pioneiros e único representante da música cristã Oi! na Alemanha.

A banda foi fundada na Primavera de 1997 por Mathäus, Markus, Lukas und Johannes gegründet. Os pseudônimos são alusões aos quatro Evangelistas. (Mateus, Marcos e Lucas) participavam de um grupo de jovens da igreja na década de 1980 e faziam música juntos em volta da fogueira com os escudeiros cristãos. Depois de uma viagem a Londres em 1991, Matthew estava entusiasmado com Cena Oi!Britânica e Relacionado-se com o movimento Skinhead Cult, invetivou seus amigos e formaram o 'Jesus Skins" [1]



Após o lançamento da single'8 Fäuste für ein Halleluja' eles publicaram em 2002 o seu álbum 'Unser Kreuz Braucht coveriza velhos clássicos do punk alemão e coloca uma temática cristã.
Infelizmente a banda encerrou suas atividades em 2012.

Discografia-
Seven Boots From Heaven" (MC, 1998)
Gospel Oi (MC, 1998)
Im Auftrag des Herr’n (MC, 1999)
8 Fäuste für ein Halleluja (Single, 2001)
Unser Kreuz Braucht Keine Haken (LP/CD, 2002)
Neuer Wein aus Alten Schläuchen / Hail the Jew Dawn (Split-CD/Picture Disc mit Jewdriver, 2004)
Let the Bombs Fall (Split-LP/CD mit Small Town Riot, Eight Balls und The Detectors, 2007)

Fontes: https://de.wikipedia.org/wiki/Jesus_Skins [1]

Confira o som da banda:



terça-feira, 18 de agosto de 2015 1 comentários

3 Bandas cristãs de Celtic/Folk/Medieval/Rock que você precisa conhecer/ouvir


Odon Soterias - Celtic/Folk/Hippie
Odon Soterias é uma banda cristã que faz um som único. Eles misturam elementos do Folk, Celtic e Medieval ... e traz forte influência da música hippie dos anos 60. É algo bem diferente, indicado para os que curtem um som alternativo e das antigas. 


Confira o som da banda:




Mais informações:
http://sanguearterial.blogspot.com.br/2008/07/odon-soterias.html


Deep Stil/Celtic/Folk/Worship


Deep Still é uma banda Irlandesa que faz releituras de músicas de adoração ao Deus TODO PODEROSO Yahweh, em versões célticas e folks com características de músicas Irlandesas. Eles se utilizam de instrumentos culturais, como: apitos de estanho, , , gaitas de foles escocesas das montanhas, dulcimer martelado, harpa celta, dulcimer, Appalachian, sanfona, acordeão, bandolim e flauta de madeira, entres outros.
Assim como o Odon Soteriais, o som dos caras é único, e ao ouvir 'te transporta' pra um ambiente bem diferente, bem medieval e o clima passado é de adoração a Deus em todas as músicas. Vale a pena conferir o som dos caras

Confira o som:




Download: http://sanguearterial.blogspot.com.br/2008/07/deep-still.html



Eden's Bridge - Celtic/Folk/Prog Rock




Mais uma banda excelente do estilo. Conheçam o Eden's Bridge. A banda foi formada em 1993 e ainda está na ativa. O som consiste em uma mistura de elementos celtas,folks, progressive Rock, e uma pegada "worship".
As letras tbm retratam temas de adoração a Yahweh.
Para dormir ouvindo, é excelente rs.
Vale a pena conferir o som dos caras.

E como vocês são curtidores da nossa página, vou disponibilizar um link no qual eu achei um blog que possui alguns links de downloads ativos de alguns álbuns da banda. Para mais informações, clique nesse link:
download

Confira o som da banda:






segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Curiosidades do Metal Cristão - 7 horns 7 Eyes e o seu mascote.

Série: Curiosidades do Metal Cristão.



Você sabia o significado do mascote utilizado pela banda de Progressive Death Metal "7 Horns 7 Eyes"?


Esse mascote lindo ou horrendo pra alguns, é a representação do Cordeiro de Deus (Jesus, O Cristo) se levando literalmente conforme o livro de Apocalipse.

A imagem é baseada no versículo:
"Com efeito, entre o trono com os quatro Seres vivos e os Anciãos, vi um Cordeiro de pé, como que imolado. TINHA SETE CHIFRES E SETE OLHOS, que são os Sete Espíritos de Deus enviados por toda a terra. Apocalipse 5:6.

E aí vc que gosta de interpretar apocalipse(revelação) literalmente, gostou ?

Curtam: https://www.facebook.com/Cristianismounderground

Curiosidades do Metal Cristão- Oh, Sleeper e o o "Broken Pentagram"


Série: Curiosidades do Metal Cristão

Oh, Sleeper é uma banda Cristã de Metalcore formada no Texas.
O nome da banda é uma referência a passagem bíblica Efésios 5:14:

Pelo que diz: Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te iluminará.
Efésios 5:14

Você sabia qual o significado do símbolo utilizado pela banda Oh, Sleeper, em seu álbum 'Son Of The Morning'?

 A capa do Son Of The Morning é um "Broken Pentagram" (Pentagrama Quebrado) de acordo com Micah (Vocalista). A mensagem passada pelo álbum é "Eu vou cortar os seus chifres!" na canção "The Finisher" a canção "Grand Finale" do álbum. [1]




Curtam nossa página:
https://www.facebook.com/Cristianismounderground

domingo, 30 de agosto de 2015

Os Arminianos e a Sola Scriptura

Graça e Paz, curtidores e seguidores do nosso blog e página "Cristianismo Underground".


O Artigo de hoje é sobre o tema da Sola Scriptura (Somente a Escritura) e a Teologia Arminiana. Muitos sabem que já faz mais de um ano que deixei de ser calvinista. E agora após estudos, leituras e reflexões, me identifico mais com a teologia Arminiana. E antes de tudo  algumas observações devem ser feitas antes de iniciar o breve artigo.

Primeira observação:
1    1-     O artigo não é de cunho acadêmico, por este motivo não seguirei as regras da ABNT no meu blog.
2- O motivo do post é só para esclarecer alguns mitos que são ditos sobre a teologia arminiana e que deve ser desmistificado. Abaixo segue o breve artigo.





Alguns teólogos acusam a teologia Arminiana clássica e Wesleyana de negar o princípio da Sola Scriptura. Talvez essa acusação, seja por falta de leitura da teologia arminiana escrita por Arminianos, ou por desonestidade intelectual mesmo. Outros, acusam a teologia arminiana de se basear mais na filosofia do que nas Sagradas Escrituras. Mas isso é um erro, pois assim como a ortodoxia protestante, os arminianos acreditam na Sola Scriptura. Segundo Olson (2013,  p. 107): “os Arminianos creem e seguem o princípio da Sola Scriptura (Escritura acima de quaisquer outras fontes e normas) na teologia.” [1]

No post de hoje iremos de forma rápida, citar algumas frases ditas por Armínio e Teólogos Arminianos que comprovam que a teologia Arminiana está de acordo com esse princípio da Reforma Protestante.  

O que Armínio disse sobre a Sola Scriptura? Para Armínio, a única esperança da humanidade ter o verdadeiro conhecimento de Deus, jaz na revelação divina: Armínio, citado por Olson (2013, p.107): “Toda nossa esperança ... para alcançar este conhecimento [teológico] está colocada na revelação divina”, pois” Deus não pode ser conhecido exceto por meio dele mesmo.” [2]

E onde podemos encontrar essa revelação de Deus? Onde Deus revelou a si mesmo? Primeiro e acima de tudo em Jesus Cristo, que é revelado pela Escritura.

Outra citação, que merece destaque aqui no nosso texto: “Conferimos unicamente à palavra de Deus a honra apropriada e devida, e a estabelecemos além (ou preferencialmente acima) de todas as disputas, grande demais para ser sujeitada a qualquer exceção e digna de toda aceitação” e “ a igreja sempre tem Moisés e os Profetas, os Evangelistas e os Apóstolos, - ou seja, as Escrituras do Antigo e Novo Testamento, e estas escrituras plena e claramente abrangem tudo o que é necessário para a salvação.” [3]

 Por fim, outra fase do Armínio: “A regra da Verdade Teológica não é dupla, uma Primária e a outra Secundária; mas é uma e simples, as Sagradas Escrituras.” [4]

E o que o João Wesley falou acerca das escrituras?

O teólogo metodista evangélico Thomas Oden e autoridade em Wesley, rebateu as acusações de que John Wesley negava o Sola Scriptura. Oden cita:

"É a 'fé dos protestantes' em acreditar em nada mais ou nada menos que está manifestamente contido e provado pelas Santas Escrituras. A palavra escrita é a única e plena regra de sua fé, assim como prática. Acreditamos que a Escritura seja de Deus. Somos orientados a não sermos sábios acima do que está escrito. Não devemos impor nada que a Bíblia claramente não imponha. Não devemos proibir nada que ela claramente não proíba." [5]

E o que a teologia Wesleyana ensina?

O metodista Richard Watson, do século XIX, segue o mesmo princípio, ele afirmou: “Quando uma doutrina nos é claramente revelada, permanecendo como permanece sobre uma autoridade infalível [Escritura], nenhuma doutrina contrária pode ser verdadeira; isso é, na verdade, o mesmo que dizer que as opiniões humanas devem ser testadas pela autoridade divina, e que a revelação deve ser consistente consigo mesma.” [6]

E o quadrilátero Wesleyano [Escritura, Tradição, Razão e experiência]? Esse método utilizado, não põe por água abaixo o princípio da Sola Scriptura? Estariam todos no mesmo patamar? Estaria a razão acima das Escrituras?
Veja o que o teólogo Nazareno “ H. Ray Dunning”, fala pelos herdeiros de Wesley (movimentos de Santidade):
“Seguindo João Wesley, a teologia Wesleyana sempre construiu sua obra doutrinária sobre quatro pilares essenciais comumente referidos como quadrilátero Wesleyano. Além da Escritura, elas são a tradição, razão e experiência. Estas, todavia, não estão em pé de igualdade. Na verdade, se propriamente entendidas, as três fontes auxiliares corroboram diretamente a prioridade da autoridade bíblica.” [7] DUNNING, H. Ray. Grace, Faith, and Holiness. Kansas City, Mo.: Beaconc Hill, 1998. p.77

Portanto, percebemos que a teologia arminiana, sejam outorgadas pelos os Arminianos clássicos e os Metodistas, seguiram esse princípio da reforma protestante. E aos acusadores que ainda insistem em fazer falsas acusações, cabem a eles demostrarem com citações que neguem que os Arminianos neguem este princípio, a partir das fontes arminianas clássicas.



Fontes: OLSON, Roger. Teologia Arminiana: Mitos e Realidades, pg.107[1]
ARMINIUS. “Oration III”, Works.v.v1,p.374 [2]
ARMINIUS. “Oration III”, Works.v.v1,p. 701, 723.  [3]
ARMINIUS. Works.v.2 ,p. 706 [4]
ODEN, Thomas, John Wesley’s Scriptural Christianity. Grand Rapids: Zondervan, 1994. P.56 [5]
WATSON, Richard, Theological Institutes, Or, a view of The Evidences, Doctrines, Morals, and Institutions of Christianity. New York: Lane & Scott, 1851. v.1,p. 99. [6]
 DUNNING, H. Ray. Grace, Faith, and Holiness. Kansas City, Mo.: Beaconc Hill, 1998. p.77 [7]

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Impending Doom e o significado do REPENTAGRAM


Série: Curiosidades do Metal Cristão

Você sabe qual o real significado do Símbolo 'REPENTAGRAM' utilizada pela banda Impending Doom em seu logo tipo?

O nome do símbolo é chamado de REPENTAGRAM, pois é uma combinação de duas palavras:
1. Repent (em inglês)= Arrepender
2. Pentagram (em inglês) = Pentagrama


Basicamente o seu significado seria, se arrepender, sentir tristeza pelo pecados praticados em um contexto satânico, o qual é representado na cena black metal secular pelo pentagrama.

A banda certa vez explicou o significado e uso do termo/símbolo:


"Nós temos recebido muito e-mails questionando a Repentagram. Logo, gostaria de termpo agora para explicar-lhe tudo. Primeiro nós somos uma banda cristã verdadeira e nunca iriamos colocar algo que tem significado satânico ou qualquer coisa negativa. Achamos que a palavra "REPENTEGRAM" basicamente colocando duas palavras juntas. 1. ARREPENDIDO (Significado: Sentir tanta tristeza pelo pecado ou falha como estar disposto a mudar de vida para melhor; ser penitente. 2. PENTAGRAM ( que no mundo do black metal é um símbolo satânico.) Como somos uma banda Cristã de Death Metal queríamos pensar em algo inteligente; assim a REPENTAGRAM entrou em pensamento. Não é a mesma quantidade de lados, como um pentagrama, nós estamos fazendo um simbolo cristão de Death Metal. Assim como críamos a palavra "GORSHIP" (que como todos devem saber, NÃO SIGNIFICA culto gore, mas significa adorar a Deus através da nossa música soando gore) o REPENTAGRAM é apenas uma nova palavra. Por favor, passe esta informação para alguém que você conheça que pensa algo mais do que ele realmente é". [1]

Fontes:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Impending_Doom [1]

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Mortification: O que significa "Megilloth" ?

Série: CURIOSIDADES SOBRE O METAL CRISTÃO.

 O que são os 'Megilloth', relatado na música do Mortification?

A música "Scrolls Of The Megilloth" do grande álbum do Mortification,​ fala sobre 'Os Cincos Rolos' que fazem parte da divisão da Bíblia Hebraica. A bíblia hebraica diferente da septuaginta (LXX) sua tradução pro grego,  que é dividida em 4 partes, é dividida em  3 partes: A lei (Tora), Os profetas ( Nebhim) e os Escritos ( Kethubhim). Dentro dos Kethubhim, temos 3 partes: Livros Poéticos, Cinco Rolos, e Livros Históricos.

Os Megilloth ou 5 rolos que fazem parte dos (Kethubhim), são:

1- Os Cânticos dos Cânticos
2- Rute
3. Lamentações
4. Ester
5. Eclesiastes

Além disso a  letra da música fala de forma rápida sobre a história e o papel de cada livro, e ainda traz uma lição/conselho para se aplicar aos nossos dias.
Ex:
Rute: Rute é um livro de amor. Para vencer dificuldades
Boaz, simbolo de Cristo libertando Sua Santa Igreja.

Para ver a tradução da música, clique aqui:


 Confira o som:

Religião Aprisiona, Jesus Liberta



"Eles querem sempre condenar 

Pesado fardo estão fazendo você levar 
Não importa a hora, seja dia ou noite 
O importante é você respeitar 
Ele nunca podem te escutar 
Mas a regra vai permanecer 
Lindas palavras sempre vão dizer 
Religiosos Hipócritas vão morrer
Mas lá vem eles pra nos "ensinar"
O que se pode e não se pode fazer
Tem a honra nos seus lábios
Mas distante o coração
Os doutores da lei
Permanecem inertes
Sob as tábuas da lei
Criadas pelas próprias mãos
Homens cegos querer te guiar 
Você não sabe por onde andar 
A religião veio dizer 
Viva a sua liberdade, mais não saia da prisão.
Mas...
Quem conhece a liberdade
A quem o próprio Deus chamou
Não aceitará se submeter
A nenhuma escravidão..."

'Religião' Não salva ninguém ,ela te destrói! Mas Cristo Liberta e Salva! Pense nisso! Die just, die religion die, just die.

Obs 1: Religião aqui, se refere aos dogmas religiosos de igrejas de todos os tipos, o Evangelho de Cristo se resume em viver em amor a Deus e com o próximo.  O Evangelho é diferente de Religião.

Obs2: Texto feito com algumas letras de músicas das bandas, como: Brian Head, Resgate e Militantes..


quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Diferenças entre: Pelagianismo, Semipelagianismo e Arminianismo.



Diferenças entre: Pelagianismo, Semipelagianismo e Arminianismo.

Pelagianismo- seu fundador foi: Pelágio era um monge que viveu no fim do século 4 e início do século 5 D.C. Ele ensinava que os seres humanos nasciam inocentes, sem a mancha do pecado original e pecado herdado. Também acreditava que Deus criava diretamente toda alma humana e, portanto, toda alma era livre do pecado. Pelágio acreditava que o pecado de Adão não tinha afetado as gerações futuras da humanidade. Essa interpretação ficou conhecida como Pelagianismo. [1]

Semipelagianismo - seu fundador foi: João Cassiano, monge de Marselha na França, foi o principal teólogo da controvérsia semipelagiana. Ele nasceu por volta do ano de 360 e ingressou ainda jovem no mosteiro de Belém, na Palestina. Visitou mosteiros no Egito e em outros lugares do Império Romano, depois fundou seu próprio mosteiro em Marselha, no ano de 410. Sua fama na história da igreja é mais como fundador do monasticismo ocidental, do que como teólogo do semipelagianismo. No mosteiro de Marselha estudaram vários teólogos relativamente brilhantes e o local se transformou no principal foco de oposição à teoria monergística, defendida por Agostinho de Hipona. [2]

Em síntese:
Pelagianismo: qualquer sistema em que o ser humano seja capaz de alcançar a salvação inteiramente por si mesmo sem a assistência divina, além da graça comum (isto é, a graça necessária para que qualquer ser exista). Além do fato que o pelagianismo negou o pecado original. [3]

Semipelagianismo: qualquer sistema em que o processo de salvação seja iniciado pelo ser humano sem assistência da graça. [4]

Percebemos que ambos o pelagianismo e semi-pelagianismo coloca o homem como ponto inicial de sua salvação e negam a doutrina da depravação TOTAL. Algo que a teologia Arminiana não nega.
Mas existe alguns calvinistas e algumas páginas que afirma que o Arminianismo é a mesma coisa que o semi-pelagianismo, talvez eles nunca leram sobre o Arminianismo escrito por Arminianos.

Vejamos algumas frases de alguns teólogos arminianos:

Armínio disse:
Neste estado [caído], o livre-arbítrio do homem para o verdadeiro bem não está apenas ferido, enfermo, inclinado, e enfraquecido; mas ele está também preso, destruído, e perdido. E os seus poderes não só estão debilitados e inúteis a menos que seja assistido pela graça, mas não tem poder algum exceto quando é animado pela graça divina. [5]

Simon Episcopius, discipulo de Armínio disse:
Homem não tem fé salvadora em si mesmo; nem ele nasce de novo ou se converte pelo poder de seu próprio livre arbítrio: se achando no estado de pecado, ele não pode pensar, muito menos querer ou fazer qualquer bem que seja de fato salvificamente bom a partir de si mesmo: mas é necessário que ele seja regenerado e totalmente renovado por Deus em Cristo pela Palavra do Evangelho e pela virtude do Espírito Santo, em conjunto com o seguinte: no entendimento, afeições, vontade e todos os seus poderes e faculdades, para que ele possa ser capaz de compreender, meditar, querer e realizar essas coisas que são salvificamente boas.[6]

H. Orton Wiley falou em perfeita harmonia com Arminius, dizendo: “Depravação é total na medida em que afeta todo o ser do homem”. [7]
Por essa declarações, percebemos que o Semipelagianismo e Arminianismo não são as mesmas coisas.

Fontes:
[1]http://www.gotquestions.org/Portugues/pelagianismo.html
[2] https://pt.wikipedia.org/wiki/Semipelagianismo
[3] http://www.cacp.org.br/sinergismo-nao-e-semipelagianismo/
[4] http://www.cacp.org.br/sinergismo-nao-e-semipelagianismo/
[5] Jacobus Arminius, Works, trans. James Nichols(Grand Rapids, MI: Baker Book House, 1956), 2:192.
[6] Simon Episcopius, Confessions of Faith of Those Called Arminians (London: Heart & Bible, 1684), 118.
[7] H. Orton Wiley, Christian Theology (Kansas City, MO: Beacon Hill, 1941), 2:98.

Para mais informações, leiam esses artigos:

http://www.arminianismo.com/index.php/o-que-e-o-arminianismo 
http://deusamouomundo.com/arminianismo/distinguindo-o-arminianismo-classico-do-semi-pelagianismo/ 

http://deusamouomundo.com/arminianismo/remonstrantes-contra-a-acusacao-de-semipelagianismo-pelagianismo/

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Entrevista com a banda de Heavy Metal 'Templo de Fogo'


Olá Headbangers e apreciadores do Metal.  Nós da página "Cristianismo & Underground" continuamos nossa maratona de entrevista com as bandas brasileiras. E a Entrevista de hoje é com a veterana Templo de Fogo.
A banda já está na estrada há 17 anos. E com uma boa discografia: GUERREIROS - 1998; LIVRAMENTO - 1999; SACRIFÍCIO - 2002; JUDGMENT - 2003; SONHO REAL - 2005; BABILÔNIA - 2009; O PREÇO - 2013 e  A MARCA -2015. Recentemente a banda lançou o álbum " A Marca" e com ele um clipe, onde a banda demostra o bom e velho Heavy Metal Cantando em Português.
Segue a entrevista abaixo, feita por Edy Marques:

1 - Nos conte um pouco sobre a banda, como e quando surgiu a banda?

Moisés: A Templo de Fogo surgiu em 1998. Fazíamos parte de um grupo de louvor na Igreja Renascer em Cristo de Itu.

Zé Ronaldo: Basicamente o Templo de Fogo surgiu com a iniciativa do vocalista Moisés. Ele era integrante de uma banda chamada Sagrada Cruz, mas sentiu necessidade de romper e começar um novo projeto; Naquele tempo, ele era mais experiente, casado, com filhos e já com uma grande caminhada na música. Eu era apenas um adolescente e inexperiente com este cenário – Moisés foi paciente, me ensinando os passos para se tornar um baterista. A evolução da banda foi apenas consequência; nome, músicas, gravação, mas o Templo de Fogo deve reconhecimento a essa atitude do Moisés.     

2- Quais influências musicais da banda?

Moisés: Bloodgoood, Stryper, Helloween, Iron Maiden, Black Sabath, Sacred Warrior.

Zé Ronaldo: Concordo com essa lista do Moisés, grandes bandas, apenas acrescento bandas antigas e algumas atuais como Holy Soldier, Jacobs Dream, Bride, Guardian, Whitecross, BarrenCross, Oficina G3 (hard Rock), Skillet (metal alternativo), Narnia, Balance of Power, Rob Rock, Impellitteri, seventh avenue (heavy metal), deliverance e Tourniquet.       


 3- Sabemos que não é fácil fazer um Heavy metal cantado em português, principalmente com uma temática cristã. Pois infelizmente, existe uma desvalorização do metal cantado em português no Brasil. Qual o fator que levaram vocês a optar por cantar em português?

Moisés: Eu sempre gostei de cantar em português e as bandas brasileiras que assim faziam eram demais! Começamos cantando em português e a galera aceitou muito bem. As resenhas que saíram em revistas como a Rock Brigade e Metal Mission foram bem positivas e isso nos deu bastante motivação!

Zé Ronaldo: Devemos lembrar antes de tudo que somos Cristãos e temos um compromisso, que se baseia em uma missão de proclamar a palavra de Deus (Mc.16.15), não podemos e não devemos criar uma banda; ou ter um trabalho, uma família, montarmos um negócio e esquecermos desta ordem. Acredito que isso se relaciona ao nosso posicionamento de cantar em português, ter letras fortes e impactantes – o objetivo é tocar pessoas, e ao longo dos anos, temos vários testemunhos de pessoas não cristãs sendo alcançadas pelas letras e também de cristãos que acabam sendo fortalecidos na fé.       

Acham que essa desvalorização está diminuindo?

Moisés: Acredito que existam pessoas condenadas por um modismo. Nada que esteja fora daqueles padrões estabelecidos por grandes selos possa ser alterado ou aquelas pessoas que acreditam que metal em inglês soa melhor. Bom , existe a questão do gosto também e isso tem que ser respeitado. Eu gosto de ouvir o som que fazemos e acredito que qualquer músico precisa antes de tudo gostar da música que produz. A Templo de Fogo não pode reclamar. Desde 1998 fazendo metal em português com 2 demos, 4 singles e 2 Álbuns! Sempre com o incentivo do nosso público. 


 4- Todos os trabalhos da banda foram lançados de forma independente?

Moisés: Sim! O Sonho Real teve a produção dos amigos Dennis Martins e Sebastian Amorim e foi um trabalho maravilhoso.

5- Da discografia que vocês lançaram, qual o melhor Álbum pra vocês, ou qual o mais especial? Por quê?

Moisés: Os dois foram incríveis. O “Sonho Real” que foi gravado em 2005 teve uma ótima repercussão e "A Marca" está sendo fantástico.

Zé Ronaldo: Cada Álbum é acompanhado por uma fase da banda, aprendizados e mudanças. As músicas do Templo de Fogo falam sobre nossa fé, mas também relatam um pouco do que estamos vivendo naquele momento – então, em cada lançamento, temos um carinho especial pelas músicas, definir dessa forma é um pouco complicado, mas a primeira demo “Guerreiros” foi fantástica para nós como início de Banda, outro trabalho foi o “Sacrifício” com grande repercussão internacional e com a impactante música “Tua Voz”.   

6- Nesses 17 anos de banda e em suas apresentações, qual o show que mais marcaram vocês?

Zé Ronaldo: Cada Show possuí uma história diferente e novas expectativas, talvez cada integrante da banda falará o seu preferido, tivemos ótimos momentos em eventos feitos na antiga Zadoque e em várias cidades no Estado de São Paulo. Mas particularmente, sempre gostei de eventos onde conseguia me comunicar com pessoas, que tiveram algum despertamento sobre a existência de Deus através das músicas do Templo de Fogo, e isso acontecia em vários Shows.  

Já tocaram em algum evento 'secular'? Aconteceu algum fato inusitado?

Zé Ronaldo: Sempre tocamos mais em eventos seculares do que cristãos, bares, casa de shows, etc. Mas o inusitado nessa empreitada, é que algumas bandas seculares já nos trataram melhor do que bandas cristãs – pode parecer um pouco estranho, mas houve grandes surpresas quando passamos por isso. Mas isso não ocorria por causa de fé ou preconceito, mas sim por imaturidade de alguns e maturidade de outros, tanto social como musical das bandas.      


7-  Vocês sofrem algum preconceito  pelo fato da banda ser Cristã?

Zé Ronaldo: Atualmente o preconceito tem ocorrido em todas as partes, e a vitimização, é a atitude deste século de pessoas que querem chamar a atenção. Nunca fomos ou teremos atitudes como essa, somos cristãos, lemos as Escrituras e encontramos homens simples sendo mortos pela fé em Cristo. O livro de Hebreus no capitulo 11, retrata homens, mulheres e crianças sendo perseguidos e aniquilados por causa da fé em Jesus. Quando lemos situações como essa; uma crítica, um xingamento na plateia, costas viradas de alguns no público em nossas apresentações - tornam-se fracas diante daqueles que já sofreram horrores por Cristo. Consideramos algum tipo de preconceito, mas não focamos e nem iremos sustentá-lo em nossa caminhada como banda e como Cristãos, preferimos focar em Cristo e amar a todos, como Ele nos ensinou.        

Como é a cena da Cidade de Itu-SP?

Zé Ronaldo: A cidade de Itu já foi bem mais forte sobre shows e eventos de metal, mas o cenário atual é bem fraco, como em várias partes do Brasil. Mas lugares históricos, ainda mantém o ponto onde bandas se reúnem. 

8- Ronaldo, Sabemos que você também é pastor, nos conte um pouco sobre o seu ministério pastoral. Já te criticaram pelo fato de você ser pastor e tocar Heavy Metal?


Zé Ronaldo: O círculo que frequento é bem compreensível com o que faço, membros da minha Igreja gostam da banda. Talvez em outros ambientes, algum tipo de crítica possa surgir. Mas estou em paz com o que faço e tenho orgulho de chegar onde o Templo de Fogo está. Nosso ministério é uma nova proposta de reunião como Igreja, nos reunimos em lares, com um aspecto familiar, em pequenos grupos. Estamos bem no centro de São Paulo, em Higienópolis, e quem desejar conhecer mais acesse meu blog: http://www.lagrimasportuacausa.blogspot.com.br/


9- Sobre o Álbum "A Marca", e o clipe, como tem sido a recepção da galera?

Zé Ronaldo: O Álbum tem surpreendido a própria banda, chegamos a falar que é o melhor que já lançamos. O Clipe alcançou 10 mil visualizações em uma semana na nossa página do facebook. Estamos muito satisfeitos. 

Quais os planos futuros pra banda?

Zé Ronaldo: A banda está em processo de recuperar o tempo, estamos tentando retornar a agenda de Shows, tivemos vários momentos de dificuldades, a principal delas foi o tempo em que estive fazendo missões, atuando em seminários e Igrejas, em 2005 deixei a cidade de Itu e só voltei a morar na cidade de São Paulo em 2013, então foram 8 anos atuando ministerialmente – no Rio de Janeiro e Minas Gerais. Trabalhava nos ministérios e tentava continuar com os projetos do Templo de Fogo. Com meu retorno para perto da banda, estamos trabalhando para voltar a estar na ativa. 

10 - O que você acha da cena underground Cristã no País? Falta mais apoio e união?

Zé Ronaldo: A falta de incentivo é um problema social brasileiro, somos uma nação que não procura talentos e não ajuda em outras áreas. Esperar que o Brasil tenha ações igualadas aos Estados Unidos ou outras nações de primeiro mundo é ilusão, mas poderíamos pelo menos ser mais unidos. Toda união de pessoas na história sempre ocorreu mudanças, as bandas brasileiras deveriam ser mais unidas - aqueles que possuem um alcance maior na mídia, ou em divulgações, deveriam pensar em bandas que são boas, mas nunca tiveram oportunidades.   

Obrigado pela entrevista, Templo de Fogo, agora  faça suas considerações finais e  deixe um recado para os bangers que curtem a página 'Cristianismo Underground.'

Moisés : Muito obrigado Edy pelo apoio e espaço! Deus abençoe todos vocês que nos acompanham e fazem parte da nossa história!

Curtam a nossa página no facebook: facebook.com/bandatemplodefogo e também nosso blog – bandatemplodefogor, lá você saberá um pouco sobre a ideia do nome da banda. Somo um templo de Deus (ICor.3.16), e este Deus é um fogo santo (Hb.12.29).  
  

Templo de Fogo é formada por:
Moises Missão - Guitarra/Vocal
Zé Ronaldo - Bateria
Fernando Miguel  - Teclado
Marquinhos Jabur - Baixo
Anderson Américo (Participal especial/Guitarra Solo)




Jesus e tatuagem ...



Stephen Sawyer apresenta Jesus como um homem forte e tatuado. O artista de 58 anos criou um projeto para aproximar os jovens da religião. No “Art4God”, Jesus Cristo aparece em quadros com o peitoral marcado, braços musculosos e atitude de vencedor.

Interessante notar que alguns cristãos mais tradicionais chocaram-se com essa imagem. Parece que os mesmos não perceberam que essa caricatura de Jesus "Branco dos olhos azuis" não passam de um criação eurocêntrica.
Mas voltando à imagem, essa é apenas uma imagem representativa e não o próprio Jesus Cristo.

Agora uma pequena reflexão:
Imaginem se quando chegarmos a ver Jesus, de fato estive escrito na sua coxa:
Em seu manto e em sua coxa está escrito este nome: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES. - Apocalipse 19:16

Digamos que se isso escrito na coxa de Cristo for uma tatuagem, tais cristãos olhariam torto para o próprio Criador/Salvador??

Curtam nossa página: https://www.facebook.com/Cristianismounderground

O que a teologia Arminiana ensina sobre a salvação das crianças?


Graça e Paz irmãos, no post de hoje, iremos tratar de uma maneira rápida sobre a salvação das crianças na bíblia e o que a teologia Arminiana  ensina a respeito.
De uma forma simples, temos um relato clássico nas escrituras encontrado no livro do Mateus, no qual o nosso senhor afirma de forma clara:

 Então disse Jesus: "Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino dos céus pertence aos que são semelhantes a elas". Mateus 19:14. 
Baseado nesse ensino percebemos que todas as crianças que são incapacitadas de entender o Evangelho de Cristo, serão salvas. Isso também serve para as criancinhas que não tenham algum problema mental.


E O que a teologia Arminiana ensina sobre a salvação das crianças?
"Em geral, o arminianismo clássico concorda com a ortodoxia protestante que a união da raça humana no pecado faz com que todos nasçam "filhos da ira".Todavia, os arminianos acreditam que a morte de Cristo na cruz fornece uma solução universal para a culpa do pecado herdado, de maneira que ele não é imputado aos infantes por causa de Cristo. [...] Na teologia arminiana, portanto, todas as crianças que morrem antes de alcançarem a idade do despertamento da consciência e de pecarem efetivamente (em oposição ao pecado inato) são consideradas inocentes por Deus e levadas ao paraíso." OLSON, Roger in: Teologia Arminiana: Mitos e Realidades, pg. 42-43
“A teologia arminiana tradicional diz que na cruz e através da cruz de Cristo o pecado de Adão herdado por todos foi perdoado (Romanos 5) de maneira que as pessoas só são condenáveis por seus próprios pecados. A cruz remove completamente todo obstáculo para a salvação do ser humano, exceto sua resistência à graça de Deus livremente ofertada, que é dada a todos em certa medida, mas principalmente através da pregação da palavra. “Fontes: Olson, Roger. Contra o Calvinismo, 2013, p. 103. 

Curtam nossa página:  https://www.facebook.com/Cristianismounderground

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Underoath: Estamos de volta- o Hiato Acabou


Uma excelente notícias para os fãs do Underoath. Recentemente a banda anunciou seu retorno.  Ecom o Aaron novamente na banda.

Todo os créditos dessa postagem vai para a página MPSi ROCK.
Você pode acessar o link da material original clicando aqui >> A volta do Underoath


Vamos a entrevista.
Por que vocês decidiram tocar no Self Help?

Gillespie: Foi uma oferta que fizeram. É um festival muito bacana e parece que a maioria das bandas que surgiram depois da gente também estarão nele. Acho que é um ótimo lugar para reunir todos. O A Day To Remember começou na mesma cidade que o Underoath, então acho que vai ser algo fantástico. Estou muito animado.



Vocês vão tocar o “They’re Only Chasing Safety” e o “Define the Gret Line” do começo ao fim durante os shows?

Chamberlain:Sim, provavelmente vai ser o “Define The Great Line” inteiro e depois, dependendo da duração do set, vamos tocar algumas do They’re Only Chasing Safety e outras do Lost in The Sound of Separation. Não definimos ainda um set, mas eu conversei com o Tim em fazer dessa forma já que 2016 marca 10 anos do lançamento do Define The Great Line. Assim a gente não teria que voltar muito no tempo [risos]. Se pudesse escolher, tocaria todos os álbuns do começo até o fim.



No documentário de despedida, “Tired Violence”, o conceito do Underoath ser uma banda cristã é discutido e finalmente encerrado. Quando vocês subirem no palco em 2016, como ficará esse aspecto?

Gillespie: Pessoalmente, eu acredito que a banda não deve colocar um rótulo naquilo que é. É algo completamente diferente para cada um na banda, assim como isso varia de acordo com cada indivíduo que comprou esses CDs. Para algumas pessoas, é algo cristão, para outros não. As nossas músicas com certeza têm elementos cristãos, mas todos nós acreditamos em algo diferente hoje. E isso não quer dizer que tem algum integrante que está sacrificando um bode debaixo de uma árvore. Eu sou cristão, mas não acho que a banda deve receber o rótulo de “banda cristã”. Acredito que precisa ser algo ambíguo o suficiente para que cada um possa encontrar algo interessante e se aprofundar nisso. E eu acho que essa é a beleza do que o Underoath é. Ela ganhou vida própria e tornou-se algo que nem nós mesmos conseguimos controlar ou até mesmo entender. Desejo que as pessoas tirem do Underoath algo positivo para suas vidas, seja intelectualmente ou espiritualmente, independentemente da crença que possuírem.



Esse show vai ser a única apresentação da banda? Com certeza vocês têm algo a mais planejado não é?

Chaberlain: Eu adoraria celebrar esse disco com os nossos fãs do mundo inteiro. As oportunidades que a gente teve aconteceram somente por causa deles. Então adoraria subir no palco para esses fãs e todos aqueles que não puderam comparecer na nossa turnê de despedida.



Vocês descartam a ideia de compor novas músicas juntos?

Chamberlain: Quero deixar as coisas da forma mais aberta possível. Não acho que a gente vai voltar a ser o tipo de banda que vive de música, mas não gosto da ideia de não estar aberto a nada mais. Por isso que fazer uma turnê de despedida foi tão difícil; a realidade é que a gente podia simplesmente ter entrado em um hiato por tempo indeterminado. E pensando hoje, o hiato acabou. A gente vai compor? Essa reposta só será dada quando reunirmos em um ambiente de ensaio. Vamos fazer outra turnê? Não sei. Todos precisam ajustar seus horários, mas quem sabe quando voltarmos para casa, a gente não decide incluir shows pela Europa e Austrália se tudo der certo. Acho que as bandas mais velhas chegam em um determinado momento que só conseguem fazer uma ou duas turnês por ano; isso quando não fazem apenas uma turnê a cada dois anos. Talvez esse será o futuro do Underoath. Eu simplesmente não sei. Como disse antes, estou aberto a essa possibilidade, mas preciso continuar trabalhando na minha vida e como será o futuro. Não posso ficar dependendo do meu passado para garantir o dia de amanhã. Preciso seguir focado nos próximos passos. Se isso for um novo álbum do Underoath, então colocarei todas as minhas energias nisso. Será que vamos compor outra música? Talvez. Nunca se sabe. Eu não passo tempo com o resto da banda há muito tempo, mas quem sabe a gente começa a ensaiar e de repente, “caramba, a gente acabou de escrever três músicas”. Eu não quero forçar nada.

Gillespie: Eu nunca descartaria isso, mas pessoalmente, não sei se isso é possível. Eu estou tão ocupado: tenho um estúdio, estou tocando com o Paramore, segiundo minha carreira solo e todos nós temos famílias, etc. A grande questão que precisa ser feita é: levando em consideração a vida de cada integrante, é viável essa possibilidade? Essa é a parte principal de tudo que está acontecendo.



Fontes original:  http://mpsirock.com.br/noticias/detalhe/underoath-confirma-o-hiato-acabou


As últimas palavras de John Wesley

As últimas palavras de John Wesley - 02 de março de 1791
No dia 2 de março de 1791, aos 88 anos, tendo pregado o Evangelho por 65 anos, um pouco antes de morrer, Wesley disse: “Eu me levantarei”.
Enquanto lhe ajeitavam as roupas, ele começou a cantar de uma maneira tal que surpreendeu a todos os presentes:
Eu louvarei meu Criador enquanto viver
E quando a morte minha voz emudecer,
O louvor ocupará as habilidades mais nobres do meu ser:
Enquanto durar a vida, mente e coração
Ou mesmo a vida imortal,
Meus dias de louvor nunca cessarão.
Feliz é o homem cuja confiança
No Deus de Israel está,
Ele fez o céu, a terra e o mar,
E tudo o que neles há.
Sua verdade para sempre permanece firme,
Ele salva o oprimido, o pobre sustente
E suas promessas não são vãs.
Ao assentar-se outra vez em sua poltrona, ele disse com a voz débil: ”Fala, Senhor, a todos os nossos corações, e faça com que saibam que Tu soltas as línguas”. E então, cantou mais uns versos:
Ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
Que docemente concordam juntos…
Sua voz falhou, mas depois de descansar um pouco, ele chamou os que estavam com ele para “orar e louvar”. Ele tomou a cada um pela mão, e depois de saudá-los carinhosamente, despediu-se deles. Depois de tentar dizer alguma coisa que eles não puderam entender, ele fez uma pequena pausa e, reunindo toas as forças que lhe restavam, disse: “O melhor de tudo é que Deus está conosco!”.
Durante a maior parte da noite que se seguiu, ele várias vezes tentou cantar novamente o hino que havia cantado anteriormente, mas só conseguiu dizer: ‘Eu louvarei, eu louvarei”.
Na quarta-feira de manhã, o fim se aproximou. Joseph Bradford orou com ele por volta das 10 horas, enquanto onze amigos se ajoelhavam ao redor de sua cama.
“Adeus”, disse o moribundo – e esta foi a última palavra que ele pronunciou.
Imediatamente depois, sem um gemido ou suspiro, ele faleceu.
Seus amigos silenciosamente se levantaram e, em pé ao redor de sua cama, cantaram:
Às portas do céu espera o Salvador
Seu espírito a receber está.
E de suas mãos nós vamos obter
Coroa de amor divinal! 

Fontes: http://www.metodistavilaisabel.org.br/artigosepublicacoes/descricaocolunas.asp?Numero=2768

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Entrevista com a Banda Zurisadai




Mais uma entrevista para o nosso blog/página "Cristianismo Underground". Dessa vez a entrevista é com a banda brasileira "Zurisidai". Entrevista feita pelo  nosso administrador da page 'Oscar Head'. 
Abaixo segue a entrevista:

Entrevista com o Líder e Vocalista da Banda Zurisadai.


~Oscar_Head:Como a banda iniciou?

- ANDRYSON KHABOD:
A banda se iniciou em fevereiro/2001 cem São Luis/MA tendo como proposta inicial o unblack metal voltado na linha de horde e vomoth, como no começo de toda banda enfrentamos dificuldades, fomos discriminados, porém tivemos êxito na nossa primeira fase que vai de 2001 a 2006!!!

~Oscar_Head: Teve outro nome?

-ANDRYSON KHABOD:
Não! sempre tivemos o nome de Zurisadai!!!

~Oscar_Head: Porque Zurisadai?

-ANDRYSON KHABOD:
Zurisadai significa ‘MINHA ROCHA É O DEUS TODO PODEROSO”, o porque o nome já diz...nossa fé está na ROCHA!!!

~Oscar_Head: Saíram do Black? porque?

-ANDRYSON KHABOD:
Nunca saímos do black, apenas acrescentamos outros estilo dentro do black metal como vc pode ver em “THE COMING OF THE ANNIHILATION”elementos de death, thrash 80 e heavy aliados ao black metal praticado por nós desde do EP “SYMPHONY OF THE SOULS” (2002).

~Oscar_Head: banda esteve parada?

-ANDRYSON KHABOD:
Sim, paramos no ano de 2006, devido a circunstancias da vida, casamentos, empregos, filhos e isso contribuiu para pararmos e ter dado fim a banda mesmo no ano de 2006...porém sempre aquela vontade de voltar com a banda existia, o que se concretizou em 2012!!!

~Oscar_Head: Qual seu pensamento a respeito do Death Metal e o Cristianismo?

-ANDRYSON KHABOD:
O Meu pensamento sobre Death metal e Cristianismo é esse: MORTE... devido que, se vc quer servir a Deus tem que morrer, morrer para o mundo e viver para Deus...O death metal é um estilo que fala sobre coisas fortes e aliado a fé cristã e indestrutível...com certeza Death Metal e o cristianismo é uma parceira brutal!!!

~Oscar_Head: Algum fato que ninguém saiba sobre a banda?

-ANDRYSON KHABOD:
Cara existem muitos fatos, porém nada de interessantes somente brincadeiras como existe em todo banda.

~Oscar_Head: Vocês já foram agredidos?

-ANDRYSON KHABOD:
Eu já fui agredido por um grupo secular aqui no maranhão de black metal no qual fazia parte antes da minha conversão, foi algo muito difícil e chato, porém são profecias bíblicas , mais já passou isso, pois foi há muito tempo atrás, hoje é página virada!



~Oscar_Head: Nova formação?

-ANDRYSON KHABOD:
Zurisadai está com uma nova formação, quando lançamos “THE COMING OF THE ANNIHILATION” estávamos coesos e seguros, porém novamente dificuldades apareceram e os membros começaram a sair um por um e foi quando em março/2015 eu  (ANDRYSON KHABOD) fiquei literalmente sozinho na banda, eu tinha dado o fim como certo, porém quando pegava o contrabaixo ou violão vinham novas ideias de sons, daí pensei por que parar??? Foi quando recrutei novos membros o que não Foi uma tarefa fácil, pois substituir os músicos que gravaram nosso álbum é uma pedreira amigo, mais graças a Deus hoje a formação é a seguinte: ANDRYSON KHABOD (BASS/VOCAL), JOHNNY SANTUARIO (GUITAR), DIO NOGUEIRA (GUITAR) E TINHO LOUZEIRO (DRUMS).

~Oscar_Head:Algum novo trabalho em vista?

-ANDRYSON KHABOD:
Estamos idealizando um novo trabalho no qual provavelmente se chamará “WORLD OF THE ILLUSIONS” que poderá ser lançado entre 2016/2017, seguirá a mesma linha sonora do álbum anterior, porém mais trabalhado ainda!!!

~Oscar_Head: Conte um pouco sobre o seu chamado nesse meio?

-ANDRYSON KHABOD:
O meu chamado se iniciou em 2000, após minha conversão, pois como falei acima vinha de uma banda secular de black metal, e a vontade de tocar era muito grande, mais não foi logo de imediato, passei um ano pensando em fundar uma banda cristã de Black metal, orei bastante, me preparei e foi quando surgiu o Zurisadai, o que é uma grande benção em minha vida...

~Oscar_Head: Tocam em "igrejas" convencionais?

-ANDRYSON KHABOD:
Cara não tocamos em igrejas convencionais, por motivos óbvios: discriminação e por não ser nosso público alvo!!!

~Oscar_Head: Uma palavra pra galera que tá iniciando aí no meio do Metal.

-ANDRYSON KHABOD:
O que posso falar para a galera que está começando é o seguinte: “FOQUEM SUAS VIDAS EM DEUS, SE VOCÊ DESEJAR TER UMA BANDA, FAÇAM AS COISAS CORRETAS, PEÇA DIREÇÃO PRO SENHOR, ESTUDE MÚSICA, POIS PRESCISAMOS DE QUALIDADE NO MEIO CRISTÃO”.
A essência é um fator primordial numa banda, não copie outras bandas e sim busquem uma identidade sonora própria! Deus abençoe.

Formação Atual:
ANDRYSON KHABOD -(Baixo/Vocal)
JOHNNY SANTUARIO (Guitarra )
DIO NOGUEIRA -(Guitarra)
E TINHO LOUZEIRO -(Bateria).

Fique por dentro da novidades da banda acompanha sua página no facebook: Zurisadai

Jesus Skins - Banda Cristã de Oi! da Alemanha

Já imaginou uma banda cristã formada por Skin Heads? Está afim de conhecer?
Eis a banda que quero apresentar para vocês. Conheçam um pouco sobre o "Jesus Skins".


Jesus Skins é uma banda Cristã de Oi!(Street Punk). Eles são considerados como os pioneiros e único representante da música cristã Oi! na Alemanha.

A banda foi fundada na Primavera de 1997 por Mathäus, Markus, Lukas und Johannes gegründet. Os pseudônimos são alusões aos quatro Evangelistas. (Mateus, Marcos e Lucas) participavam de um grupo de jovens da igreja na década de 1980 e faziam música juntos em volta da fogueira com os escudeiros cristãos. Depois de uma viagem a Londres em 1991, Matthew estava entusiasmado com Cena Oi!Britânica e Relacionado-se com o movimento Skinhead Cult, invetivou seus amigos e formaram o 'Jesus Skins" [1]



Após o lançamento da single'8 Fäuste für ein Halleluja' eles publicaram em 2002 o seu álbum 'Unser Kreuz Braucht coveriza velhos clássicos do punk alemão e coloca uma temática cristã.
Infelizmente a banda encerrou suas atividades em 2012.

Discografia-
Seven Boots From Heaven" (MC, 1998)
Gospel Oi (MC, 1998)
Im Auftrag des Herr’n (MC, 1999)
8 Fäuste für ein Halleluja (Single, 2001)
Unser Kreuz Braucht Keine Haken (LP/CD, 2002)
Neuer Wein aus Alten Schläuchen / Hail the Jew Dawn (Split-CD/Picture Disc mit Jewdriver, 2004)
Let the Bombs Fall (Split-LP/CD mit Small Town Riot, Eight Balls und The Detectors, 2007)

Fontes: https://de.wikipedia.org/wiki/Jesus_Skins [1]

Confira o som da banda:



terça-feira, 18 de agosto de 2015

3 Bandas cristãs de Celtic/Folk/Medieval/Rock que você precisa conhecer/ouvir


Odon Soterias - Celtic/Folk/Hippie
Odon Soterias é uma banda cristã que faz um som único. Eles misturam elementos do Folk, Celtic e Medieval ... e traz forte influência da música hippie dos anos 60. É algo bem diferente, indicado para os que curtem um som alternativo e das antigas. 


Confira o som da banda:




Mais informações:
http://sanguearterial.blogspot.com.br/2008/07/odon-soterias.html


Deep Stil/Celtic/Folk/Worship


Deep Still é uma banda Irlandesa que faz releituras de músicas de adoração ao Deus TODO PODEROSO Yahweh, em versões célticas e folks com características de músicas Irlandesas. Eles se utilizam de instrumentos culturais, como: apitos de estanho, , , gaitas de foles escocesas das montanhas, dulcimer martelado, harpa celta, dulcimer, Appalachian, sanfona, acordeão, bandolim e flauta de madeira, entres outros.
Assim como o Odon Soteriais, o som dos caras é único, e ao ouvir 'te transporta' pra um ambiente bem diferente, bem medieval e o clima passado é de adoração a Deus em todas as músicas. Vale a pena conferir o som dos caras

Confira o som:




Download: http://sanguearterial.blogspot.com.br/2008/07/deep-still.html



Eden's Bridge - Celtic/Folk/Prog Rock




Mais uma banda excelente do estilo. Conheçam o Eden's Bridge. A banda foi formada em 1993 e ainda está na ativa. O som consiste em uma mistura de elementos celtas,folks, progressive Rock, e uma pegada "worship".
As letras tbm retratam temas de adoração a Yahweh.
Para dormir ouvindo, é excelente rs.
Vale a pena conferir o som dos caras.

E como vocês são curtidores da nossa página, vou disponibilizar um link no qual eu achei um blog que possui alguns links de downloads ativos de alguns álbuns da banda. Para mais informações, clique nesse link:
download

Confira o som da banda:






 
;