quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Sem liberdade, não pode haver relacionamento

Pense em um relacionamento, onde apenas um conjugue [X] possui liberdade total e outro conjugue [Y] não possui liberdade alguma.Dai fica a pergunta, como pode Y amar X? Se Y não possui liberdade. Se não há escolhas livres, atitudes livres de Y, de fato não há amor, pois amar é um ato que tem que ser de livre escolha e não determinado ou coercivo. O Deus da bíblia nos criou com livre-arbítrio e após a queda, o nosso livre-arbítrio se tornou escravo do pecado, mas Deus usa de sua graça para nos libertar e nos capacitar a escolher livremente ele. Agora de fato pode haver amor. NÃO EXISTE RELACIONAMENTO OU ATO DE AMOR SEM LIBERDADE.

Já dizia um grande amigo:
"Deus criou coisas dotadas de livre-arbítrio: criaturas que podem fazer tanto o bem quanto o mal. Alguns pensam que podem conceber uma criatura que, mesmo desfrutando da liberdade, não tivesse possibilidade de fazer o mal. Eu não consigo. Se uma coisa é livre para o bem, é livre também para o mal. E o que tornou possível a existência do mal foi o livre-arbítrio. Por que, então, Deus o concedeu? Porque o livre-arbítrio, apesar de possibilitar a maldade, é também aquilo que torna possível qualquer tipo de amor, bondade e alegria. Um mundo feito de autômatos — criaturas que funcionassem como máquinas - não valeria a pena ser criado. A felicidade que Deus quis para suas criaturas mais elevadas é a felicidade de estar, de forma livre e voluntária, unidas a ele e aos demais seres num êxtase de amor e deleite ao qual os maiores arroubos de paixão terrena entre um homem e uma mulher não se comparam. Por isso, essas criaturas têm de ser livres." - C. S. Lewis

O nosso relacionamento para com Deus tem que ser de espontânea e livre vontade e não baseado em determinismos, onde um ser nos obriga á ama-lo.

0 comentários:

Postar um comentário

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Sem liberdade, não pode haver relacionamento

Pense em um relacionamento, onde apenas um conjugue [X] possui liberdade total e outro conjugue [Y] não possui liberdade alguma.Dai fica a pergunta, como pode Y amar X? Se Y não possui liberdade. Se não há escolhas livres, atitudes livres de Y, de fato não há amor, pois amar é um ato que tem que ser de livre escolha e não determinado ou coercivo. O Deus da bíblia nos criou com livre-arbítrio e após a queda, o nosso livre-arbítrio se tornou escravo do pecado, mas Deus usa de sua graça para nos libertar e nos capacitar a escolher livremente ele. Agora de fato pode haver amor. NÃO EXISTE RELACIONAMENTO OU ATO DE AMOR SEM LIBERDADE.

Já dizia um grande amigo:
"Deus criou coisas dotadas de livre-arbítrio: criaturas que podem fazer tanto o bem quanto o mal. Alguns pensam que podem conceber uma criatura que, mesmo desfrutando da liberdade, não tivesse possibilidade de fazer o mal. Eu não consigo. Se uma coisa é livre para o bem, é livre também para o mal. E o que tornou possível a existência do mal foi o livre-arbítrio. Por que, então, Deus o concedeu? Porque o livre-arbítrio, apesar de possibilitar a maldade, é também aquilo que torna possível qualquer tipo de amor, bondade e alegria. Um mundo feito de autômatos — criaturas que funcionassem como máquinas - não valeria a pena ser criado. A felicidade que Deus quis para suas criaturas mais elevadas é a felicidade de estar, de forma livre e voluntária, unidas a ele e aos demais seres num êxtase de amor e deleite ao qual os maiores arroubos de paixão terrena entre um homem e uma mulher não se comparam. Por isso, essas criaturas têm de ser livres." - C. S. Lewis

O nosso relacionamento para com Deus tem que ser de espontânea e livre vontade e não baseado em determinismos, onde um ser nos obriga á ama-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
;