segunda-feira, 29 de dezembro de 2014 1 comentários

Agape: Pioneiros do Hard Rock Cristão -1971


'Agape" [Hard Rock/Psycodelic Rock] -1971 -EUA
Os pioneiros do Hard Rock Cristão 

Agape: Pioneiros do Hard Rock Cristão e umas das pioneiras do Jesus Peopple Moviment. 

Uma das primeiras bandas de hard rock da música Cristã formada em torno do talento de "Fred Caban" durante os estágios iniciais do que ficou conhecido como o "Jesus People Moviment". 

Nascido e criado na Califórnia, a cena musical da contracultura ofereceu uma visão intimista rock 'n' roll e estilo de vida estilos de tais fenômenos guitarra como Jimi Hendrix, após os quais o embrião músico estampados seu estilo.

Ao se formar a partir de um Azusa ensino médio, na primavera de 1968, ele e seus companheiros de banda espremidos em uma pequena van Volkswagen em busca de locais para realizar. Uma noite, enquanto eles parou em uma praia de Huntington chamou a Lightclub, eles se reuniram e foram ajudados por um grupo de adolescentes entusiastas quem Caban descritos como sendo "totalmente imerso com a mensagem de Cristo."

O café Lightclub por esta altura tinha sido tomado por David Berg e da família, o ponto gênese do que viria a se tornarem filhos de Deus. Depois de aceitar uma pequena Evangelho de João, a banda passou a encontrar abrigo para a noite. Como foi o testemunho de muitos outros transientes, o contato com hippies "cristianizados" intensificou busca pessoal de Caban para a verdade. Apesar de não compreender totalmente a mensagem "de Lightclubber", ele começou a orar por uma introdução para "quem estava lá fora."

Quando Caban voltou para a van, ele compartilhou sua experiência e descobriu que companheiro colega Jeff Newman também tinha sofrido uma conversão espiritual. Os dois incipientes cristãos voltou para o café, onde ambos foram batizados. No dia seguinte, o grupo voltou a Azusa.

Poucos meses depois de sua conversão, Caban formou outra banda nomeando de Ágape, a palavra grega para amor de Deus. Tendo anteriormente se estabelecido como um guitarrista de algum mérito na área de Azusa, a formação de três membros, que inclui Mike Jungkman na bateria e Ms. Lonnie Campbell no baixo, capitalizou o seu nome para reunir multidões iniciais. Durante os dias imediatamente a seguir cada uma das respectivas conversões, a visão de Agape tornou evangelística - desejando compartilhar suas experiências com seus pares.
Onde antes os seus objectivos era de ganhar a atenção de gravadoras locais, Agape funcionou como um dos primeiros missionários musical, umas das primeiras bandas do Jesus Peopple Moviment. De seu protocolo de palco e fervor evangelístico Caban declarou, "Nós jogaria uma ou duas músicas - que gostaríamos jam,. nós levá-los longe - e, em seguida, crescer, nós começar a pregar ..... e as pessoas realmente ficar por aqui e ouvir. 

Dentro de seis meses, um grupo de 50 jovens convertidos tinham aderido ao trio como um amálgama solto de adolescentes em busca espiritual que se reuniram para estudos bíblicos e sessões de estratégia para promover os shows da banda. Caban lembrou que foi um encontro totalmente espontânea de amigos; "Isso nunca ocorreu-nos a entrar numa igreja. Não havia nenhuma estrutura, mas nós não sabemos disso. Nós só estávamos gostando do que estava acontecendo e levando um dia de cada vez." Durante as fases de constituição da sua fase inicial de recrutamento os membros da banda funcionava como a liderança não-oficial.

Agape desempenhou um número ou locais em toda a área da Califórnia, incluindo uma série de apresentações no de Hollywood Presbyterian Salt Company café. Suas aparições que corriam em simultâneo com a ascendência de um outro premier Jesus músico. Ambos Agape e Larry Norman floresceu como forças de música Jesus, ao mesmo tempo. Em um ponto o cantor convidou Agape em um estúdio de gravação em uma tentativa de ajudá-los com a sua própria carreira musical. Embora nada permanente veio desta reunião, Agape, eventualmente, procurou o produtor de discos local Martin Jones com o desejo de gravar um álbum. Oferecido estúdio tempo livre entre meia-noite e 6h00, Agape gravado Gospel Hard Rock [1971].



Foi durante a gravação deste primeiro lançamento que a banda conheceu Ron Turner, que estava estudando na Azusa Pacific College com as esperanças de entrar para o ministério. Educado na Igreja Presbiteriana, Turner foi orientado por Don Williams, então pastor de jovens da Primeira Igreja Presbiteriana de Hollywood. Durante seus estudos, Turner era um pastor de jovens da Igreja da Comunidade de Arcadia, que abriu a pequena comitiva da banda para se juntar para culto de adoração e de concerto performances. Por um período de três anos, Turner levou cada vez mais responsabilidades no grupo, inicialmente falando em apresentações da banda, mas acabou se tornando a figura do pastor sobre a congregação crescente. Reunindo-se regularmente em Covina Park, o grupo estruturado livremente cresceu para mais de 500.

Como uma entidade musical, o hard rock Agape ganhou um grande número de seguidores em toda a costa oeste, partilhando o palco com outras bandas de música de Jesus, como Love Song e JC Poder Outlet, jogando o popular de Gazzari Hollywood-A-Go-Go, e convidados a partilhar o bill nos primeiros Festivais California Jesus manteve no Hollywood Palladium, em 1971. Embora alguns acreditavam que sua música era um compromisso em que é perto imitação de outras bandas 'mundanos' de rock, nenhum dos membros recuou de sua visão do que eles sentiram sua música deve projectar. Caban afirma: "Nós éramos basicamente uma banda de rock secular que se tornaram cristãos.

Quando chegamos no palco jogamos tão duro como fizemos antes. Mas onde anteriormente tinha sido egoísta e desejando fama e fortuna, agora cantou sobre a nossa fé em Jesus Cristo. Nada mudou na parte externa. Nós tinha sido transformada a partir de dentro "historiador da música Jesus Paul Baker escreveu sobre Agape que," eles tocaram Jesus rocha em que é crustiest -. A música que cortar através das defesas mais grossas dos fãs de rock não-cristãs. Para aqueles para quem a música de hard rock era a língua, Agape ... falou-clareza. "'
A banda adicionou o tecladista Jim Hess e lançou "Vítimas da Tradição", em 1972, que contou com uma abordagem mais progressiva, assim como uma capa que imaginou o grupo realizando em um cemitério.

Fontes: http://classicchristianrockzone.blogspot.com.br/2014/04/agape.html

Obs: Meu inglês não é bom, então foi traduzido via google tradutor  e acrescentado algumas coisas.

Abaixo segue alguns links para download:

Gospel Hard Rock -1971
1 Blind
2 Happy
3 Believe
4 Man
5 Trust
6 Freedom
7 Choose
8 Blood
9 Rejoice
10 Street Walker
11 Alchemy

Download: http://www.4shared.com/rar/vzfOSHvmba/A-GHR71.html
Victims Of Tradition -1972

1 Voyaging Pilgrim
2 Walking Over The Hill
3 Wouldn't It Be A Drag
4 Jazz Jam (Part 1)
5 The King Of Kings
6 The King Is Christ
7 Change Of Heart
8 You Reap What You Sow

http://www.4shared.com/rar/kOPYmjyece/A-VoT-72.html


quinta-feira, 25 de dezembro de 2014 0 comentários

A patrística, o livre-arbítrio e Armínio.

Alguns calvinistas afirmam que a doutrina da predestinação em seus moldes calvinistas sempre foi desde o início a doutrina da igreja cristã e que os pais da igreja eram contra essa história de “livre-arbítrio” que segundo eles foram inventados por Pelágio e consequentemente foi Armínio que reavivou essa doutrina “maléfica”, que supostamente tira a Soberania de Deus. Eles apelam a autoridade de Agostinho de Hipona (IV d.C) que segundo eles foi “o pai da predestinação” e os seus ensinamentos influenciaram, Lutero e Calvino (XVI d.C) o qual com base nos ensinos de Agostinho, Calvino desenvolveu suas teses para defender a doutrina da predestinação e eleição incondicional e o determinismo. (Sabemos que alguns calvinistas defendem o livre-arbítrio em temos compatibilistas.) Mas será isso mesmo? Será que os pais da igreja antes de Agostinho, Lutero e Calvino combatiam o livre-arbítrio? Será que a doutrina do “livre-arbítrio” sempre foi uma heresia histórica combatida, conforme ditam alguns calvinistas?
Uma pequena pesquisa sobre os Patrísticos (pais da igreja, pós-apóstolos, até o século IV) demostra o contrário e percebemos que a grande maioria deles defenderam ou falaram sobre o livre-arbítrio. E que essa doutrina não começou com Pelágio. Vejamos alguns citações:
Os pais primitivos e o livre arbítrio

JUSTINO MÁRTIR (100 à 160/165 d. C)

“Do que dissemos anteriormente, ninguém deve concluir que a consequência do que afirmamos que se sucede ocorre por necessidade do destino, pelo fato de que dizemos ser de antemão conhecidos os acontecimentos. Para isso, vamos esclarecer também esta dificuldade. Nós aprendemos com os profetas e afirmamos que isto é a verdade: que os castigos e tormentos, igualmente as boas recompensas, dão-se a cada um conforme as suas obras, pois se não fosse assim e se ocorresse pelo destino, não existiria em absoluto o livre-arbítrio. Com efeito, se está determinado que este seja bom e aquele mau, nem aquele merece louvor, nem este vitupério. E se o gênero humano não tem poder para fugir por livre determinação daquilo que é vergonhoso e optar pelo belo, é irresponsável por qualquer ação que faça. Porém, que o homem é virtuoso e peca por livre escolha, o demonstramos pelo seguinte argumento: vemos que o próprio sujeito passa de um extremo a outro. Pois bem: se fosse determinado ser mau ou bom, não seria capaz de fazer coisas contrárias nem mudaria [seu comportamento] com tanta frequência. Na verdade, não se poderia dizer que alguns são bons e outros maus a partir do momento em que afirmamos que o destino é a causa de bons e maus, e que faz coisas contrárias a si mesmo; ou deve se ter por verdade aquilo que já anteriormente insinuamos, a saber: que virtude e maldade são meras palavras e que apenas por opinião [pessoal] se classifica algo como bom ou mau – o que, como demonstra a verdadeira razão, é o cúmulo da impiedade e da iniquidade. O que afirmamos ser destino iniludível é que a quem escolher o bem, espera-lhes digna recompensa; e a quem escolher o contrário, espera-lhes igualmente digno castigo. Porque Deus não fez o homem da mesma forma que as outras criaturas, por exemplo, árvores e quadrúpedes, que nada podem fazer por livre determinação, pois nesse caso não seria digno de recompensa ou louvor, nem mesmo por ter escolhido o bem, mas já teria nascido bom; nem, por ter sido mau, seria castigado justamente, pois não agiu livremente, mas por não poder ter sido outra coisa do que foi” (1ª Apologia 43,1-8).

Justino Mártir (160 d.C): A fim de que alguns não presumam, a partir do que temos dito, que tudo acontece por uma necessidade fatal, pois é anunciado como conhecido de antemão, isso nós também explicamos. Nós aprendemos dos profetas e sustentamos ser a verdade, que as punições, castigos e boas recompensas são concedidas de acordo com o mérito das ações de cada homem. Agora, se isso não é desta forma, mas todas as coisas acontecem por destino, então, nada está em nosso próprio poder. Porque, se está predeterminado que este homem será bom e esse outro homem será mau, nem é o primeiro digno de mérito nem o último culpado. E novamente, a menos que a raça humana tenha o poder de evitar o mal e escolher o bem por livre escolha, eles não são responsáveis por suas ações. (A Dicitionary of Early Christian Beliefs, editado por David W. Bercot, pg 285, publicado por Hendrickson, 1998) (tradução Walson Sales)
“Deus, desejando que tanto homens quanto anjos seguissem a sua vontade, resolveu criá-los livres para fazer a justiça. Mas se a Palavra de Deus prediz que certos anjos e certos homens serão certamente castigados, ela fez isso porque sabia previamente que eles seriam irremediavelmente [ímpios], mas não por terem sido criados assim. (DJ, 1.142).” (citado por Norman Geisler, T. S. v.2, pg 77)

IRINEU (130 à 200 d. C)
“Esta frase: ‘Quantas vezes quis acolher os teus filhos, porém tu não quiseste!’ (Mateus 23,37), bem descobriu a antiga lei da liberdade humana, pois Deus fez o homem livre, o qual, assim como desde o princípio teve alma, também gozou de liberdade, a fim de que livremente pudesse acolher a Palavra de Deus, sem que Este o forçasse. Deus, com efeito, jamais se impõe à força, pois n’Ele sempre está presente o bom conselho. Por isso, concede o bom conselho a todos. Tanto aos seres humanos como aos anjos outorgou o poder de escolher - pois também os anjos usam sua razão -, a fim de que àqueles que lhe obedecem possam conservar para sempre este bem como um dom de Deus que eles guardam. Ao contrário, não se encontrará este bem naqueles que O desobedecem e por isso receberão o justo castigo, porque Deus certamente lhes ofereceu benignamente este bem, mas eles não se preocuparam em conservá-lo, nem o acharam valioso, mas desprezaram a bondade suprema. Assim, portanto, ao abandonar este bem e até certo ponto rejeitá-lo, como razão serão réus do justo juízo de Deus, do qual o Apóstolo Paulo dá testemunho em sua Carta aos Romanos: ‘Por acaso desprezas as riquezas de sua bondade, paciência e generosidade, ignorando que a bondade de Deus te impulsiona a arrepender-te? Pela dureza e impenitência do teu coração, tu mesmo acumulas a ira para o Dia da Cólera, quando se revelará o justo juízo de Deus’ (Romanos 2,4-5). Ao contrário, diz: ‘Glória e honra para quem opera o bem’ (Romanos 2,10). Deus, portanto, nos deu o bem, do qual dá testemunho o Apóstolo na mencionada Carta, e aqueles que agem segundo este dom receberão honra e glória, porque fizeram o bem quando estava em seu arbítrio o não fazê-lo; ao contrário, aqueles que não agirem bem serão réus do justo juízo de Deus, porque não agiram bem estando em seu poder fazê-lo. Com efeito, se alguns seres humanos fossem maus por natureza e outros bons por natureza, nem estes seriam dignos de louvor por serem bons, nem aqueles condenáveis, porque assim teriam sido criados. Porém, como todos são da mesma natureza, capazes de conservar e fazer o bem, e também capazes de perdê-lo e não fazê-lo, com justiça os seres sensatos – quanto mais Deus! – louvam os segundos e dão testemunho de que decidiram de maneira justa e perseveraram no bem; ao contrário, reprovam os primeiros e os condenam retamente por terem rejeitado o bem e a justiça. Por esse motivo, os profetas exortavam a todos a agir com justiça e a fazer o bem, como muitas vezes explicamos, porque este modo de nos comportar está em nossas mãos; porém, tendo tantas vezes caído no esquecimento por nossa grande negligência, nos fazia falta um bom conselho. Por isso o bom Deus nos aconselhava o bem por meio dos profetas” (Contra as Heresias 4,37,1-2)

”Se não dependesse de nós o fazer e o não fazer, por qual motivo o Apóstolo, e bem antes dele o Senhor, nos aconselharia a fazer coisas e a nos abster de outras? Sendo, porém, o homem livre na sua vontade, desde o princípio, e livre é Deus, à semelhança do qual foi feito, foi-lhe dado, desde sempre, o conselho de se ater ao bem, o que se realiza pela obediência a Deus. (Contra Heresias, IV, 37. 1.4) (também citado por Norman Geisler em “eleitos, mas livres”, pg 171)

Clemente de Alexandria ( 150-c. 215 d. C.)
“Nos que ouvimos pelas Sagradas Escrituras que a escolha autodeterminada e a recusa foram dadas pelo Senhor aos homens, descansamos no critério infalível da fé, manifestando um espírito desejoso, já que escolhemos a vida e cremos em Deus por intermédio da sua voz. (S, H2.4)” (citado na Teologia Sistemática, Norman Geisler, v 2, pg 78)
“Não somente o crente, mas até mesmo o descrente, é julgado mais retamente. Pois, desde que Deus soube em virtude de sua presciência que essa pessoa não acreditaria, Ele, entretanto, a fim de que ele possa receber a sua própria perfeição, deu-lhe a filosofia antes da fé.” (A Dicitionary of Early Christian Beliefs, editado por David W. Bercot, pg 284, publicado por Hendrickson, 1998)
“A soberania e o livre-arbítrio são compatíveis, pois muitas coisas na vida surgem no exercício da razão humana, tendo recebido a faísca incandescente de Deus. [...] Agora, todas estas coisas têm verdadeiramente origem e existência por causa da providência divina — contudo, não sem a cooperação humana também (5, 6.17, em ibid.).” (Citado em Teologia Sistemática Norman Geisler, V 1, pg 1024).
Orígenes ( 185 a 254 d. C.)
“Está também definido na pregação da Igreja que toda alma racional possui vontade e livre-arbítrio, e que há também para ela uma luta a ser travada contra o demônio e seus anjos e forças adversas, já que eles trabalham para onerá-la de pecados, enquanto que nós, se vivermos retamente e com conselho, devemo-nos esforçar em nos despojarmos deste jugo. Deve-se entender, por conseguinte, que ninguém de nós está submetido à necessidade, de tal modo que, ainda que não queiramos, sejamos a qualquer custo obrigados a fazer coisas boas ou más.” (De Principiis, cap 5) 

“Isto também é claramente definido no ensino da igreja de que cada alma racional é dotada de livre-arbítrio e volição.” (De Principiis, prefácio) Há, de fato, inúmeras passagens nas Escrituras que estabelecem com extrema clareza a existência da liberdade de vontade.” (De Principiis, 3.1) (citado por Geisler, em “Eleitos, mas livres, pg 173-174)”

Além disso, é interessante notar que as acusações de alguns calvinistas contra os ensino de Armínio acerca do livre-arbítrio é na verdade a utilização da falácia do espantalho. Pois os Arminianos clássicos, de acordo com os ensinos de Armínio e seus fiéis seguidores, não acreditam no poder do livre-arbítrio em seu sentido filosófico, mas sim em um ‘livre-arbítrio libertário”, ou seja o livre-arbítrio libertado pela graça (previniente que é resistível). E percebemos que esses ensinos não tem origem em Armínio, mas que a Remostrância retomou os ensinos dos pais da Igreja antes dos ensinos de Agostinho. Segue abaixo outra citação de uns dos pais no qual possuem mais semelhanças em seus escritos com as obras de Armnio e expressões como “precisa de ajuda”, ou “carece de auxílio (da graça) de Deus”, lembram os ensinos de 1.300 anos depois repetidos por Jacob Arminius.

Jerônimo ( 347-420 d. C.)
Vejamos:
“Em vão me deturpas e tentas convencer os ignorantes que eu condeno o livre-arbítrio. Que aquele que condena, seja por si mesmo condenado, pois fomos criados com o dom do livre-arbítrio [...] E verdade que a liberdade da vontade traz consigo a liberdade de decisão. Contudo o homem não age imediatamente a partir do seu livre-arbítrio, mas precisa da ajuda de Deus, que e o único que não precisa ser ajudado. (LSJ, II.VI. 1.33.10) (citado em Teologia Sistemática, Geisler, v2, pg 79)

“Quando nós estamos preocupados com a Graça e misericórdia, o livre-arbítrio é parte anulada; em parte, eu digo, porque tanto depende dele, que queremos e desejamos, e damos consentimento ao curso que escolhemos. Mas depende de Deus se temos o poder em sua força e com sua ajuda para fazer o que desejamos, e para o nosso trabalho e esforço darem resultado.” (Contra Pelagianos, Livro III) (Eleitos, mas livres, pg 76)

Agora percebemos que as acusações dos calvinistas que Armínio era pelagiano são infundadas.

Veja bem essa afirmação:

"O livre-arbítrio é incapaz de iniciar ou de aperfeiçoar qualquer verdade ou bem espiritual sem a Graça. Que não digam a meu respeito, como dizem de Pelágio, que pratico uma ilusão em relação à palavra "Graça", o que quero dizer com isso é que é a Graça de Cristo e que pertence à regeneração [...] Confesso que a mente de [animalis] um homem carnal e natural é obscura e sombria, que suas afeições são corruptas e excessivas, que sua vontade é obstinada e desobediente, e que o homem está morto em pecados." - Jácobs Arminius, In A Letter Adressed to Hippolytus A Collibus”, Works.v. 2, p. 700-1

E Armínio diz mais:
"Em seu estado pecaminoso e caído, o homem não é capaz, de e por si mesmo, quer seja pensar, querer ou fazer o que é, de fato, bom; mas é necessário que seja regenerado e renovado em seu intelecto, afeições ou vontade e em todas as suas atribuições, por Deus em Cristo através do Espírito Santo, para que seja capaz de corretamente compreender, estimar, considerar, desejar e realizar o que quer que seja verdadeiramente bom. Quando ele é feito um participante dessa regeneração ou renovação, eu considero que, uma vez que é liberado do pecado, ele é capaz de pensar, desejar e fazer o que é bom, mas mesmo assim, não sem a contínua ajuda da Graça Divina."

Portanto percebemos que alguns calvinistas não pesquisam ou usam de desonestidade intelectual em seus debates e escritos. E que a doutrina do livre-arbítrio não era de nenhuma forma heresia e muito menos invetada por Pelágio e Retomada por Armínio. O que Armínio defendia era o livre-arbítrio libertário e incompatibilista.

Obs: Esse meu artigo foi formado com base em estudos disponíveis na página Arminianismo, Arminianismo da Depressão e Armínio da Depressão. 

Fontes: http://estudos.gospelprime.com.br/a-igreja-primitiva-e-o-livre-arbitrio/
http://sumateologica.wordpress.com/download/
quarta-feira, 17 de dezembro de 2014 0 comentários

Christian Love Metal - Volume V

Eis o volume V da coletânea "Christian Love Metal" do blog Cristianismo underground.



É galera, esse é o último volume da coletânea "Christian Love Metal". E quem diria que chegaríamos ao volume V? Devido ao sucesso e aos pedidos dos apreciadores, fizemos este último volume. Com grandes clássicos e algumas baladas desconhecidas por muitos. Tenho que deixar claro que não lucro nada com isso e essa não é a minha intenção. A coletânea é apenas uma playlist escolhida por mim e na qual também aceitei  sugestões de alguns apreciadores da coletânea.  Nesse volume V, coloquei alguns artistas consagrados como: Stryper, Larry Norman, Michael Sweet, John Elefante, Bloodgood, entre outros ...  Espero que curtam.  Deus abençoe a todos.

Tracklist:



Download: 4shared - volume 5

Curtam a página Christian Love Metal: https://www.facebook.com/pages/Christian-Love-Metal/
Curtam nossa página: https://www.facebook.com/Cristianismounderground
segunda-feira, 15 de dezembro de 2014 0 comentários

Stryper: Michael Sweet a turnê no Brasil+ Argentina e novos planos em 2015


Foi divulgado na página oficial do Michael Sweet os agradecimentos pela turnê sula-Americana e novos projetos pra 2015: Novo álbum do Stryper+ Novo álbum solo+ Turnê no seu novo projeto "Sweet & Lynch".
Segue um trecho retirado da sua página.
A turnê sul-americana está feita! Foi um exaustivo 2 semanas, mas um dos melhores também. Infelizmente eu fiquei doente há uma semana e estava lutando tentando cantar com algum tipo de bug / vírus. É sempre um pouco difícil quando você tem que sair e executar quando você não tem o controle de 100% em relação a sua voz. Ha! Eu acho que quando eu penso sobre isso, eu nunca realmente tem 100% de controle de qualquer maneira.

Obrigado Brasil e Argentina por uma visita memorável e nós estamos ansiosos para a próxima vez, mais cedo do que mais tarde !!! Nós amamos todos vocês!
Então, o que 2015 trará?
Um novo álbum Stryper, uma turnê solo, alguns Sweet & Lynch data, produzindo um álbum Gabbie Rae e gravar um novo álbum solo - ufa!

Do meu coração - eu sou muito sincero como eu escreva isso aqui no Rio - Agradeço a Deus todos os dias por todos vocês. Pela suas constantes orações, apoio e crença em mim e no que eu faço. Eu sou um homem muito abençoado e se tudo fosse terminar agora, eu diria que eu tive a chance de fazer exatamente o que eu sempre quis fazer - inspirar as pessoas e dar-lhes algo mais do que apenas música. Mais importante, uma mensagem do amor de Deus e graça de mudança de vida. Se Deus quiser, muito mais por vir ainda tem sido uma vida de realizações
Fontes:
https://www.facebook.com/TheMichaelSweet/posts/426849264134211

Curtam nossa página:
https://www.facebook.com/Cristianismounderground?fref=ts
segunda-feira, 8 de dezembro de 2014 0 comentários

Brian Head: Falando sobre o Espirito Santo

Welch, que deixou o Korn em 2005, após se converter ao cristianismo e largar as drogas, foi perguntando como ele sabe que ele tem o "Holy Ghost". Ele respondeu: "Bem, eu te falo, para uma pessoa que largou as drogas por muitos anos e tem a alma cheia do Espírito Santo, é a melhor coisa possível. É o puro amor de Deus e você realmente pode sentir esse amor. E vai ficando mais forte através dos últimos dez anos. Não sei... Você fica totalmente satisfeito na vida e não quer mais nada. E meu coração está em paz. Eu não teria acreditado se eu não experimentasse. Estou totalmente satisfeito. Não há nada como isso.
Perguntando se o Espirito Santo já nasce em nós ou temos que pedir para recebê-lo, Welch disse:"Esse é um tipo de debate teólogico, talvez, mas eu acredito que Deus dá fôlego para todas as pessoas, mas nós temos que pedir para receber o Espírito Santo, somente para nos dar a revelação de como Deus sustenta a vida e nos dá a vida. Falam sobre sentir o Espírito Santo, e isso acontece quando você começa a pedir por ele e tudo mais. Não é sobre religião, é sobre relacionamentos. É o espírito de Jesus vindo até você e vivendo com você. E isso é tão lindo, cara."
Welch recentemente falou com a Variety sobre seu envolvimento com o filme "Holy Ghost", um documentário baseado na fé que tem como objetivo provar que o Espírito Santo é real. Welch, explicou: "'Holy Ghost' é sobre pessoas que convidam Deus a entrar em seus corações e vidas e sair pelo mundo, não dizendo para as pessoas 'se prepararem para o inferno', mas sim apresentando o real Cristo.""
Welch continuou: "É como se tivessem me mostrado como obter um bilhão de dólares e como se eu pudesse compartilhar o dinheiro com todos os outros. Celebridades são consideradas referências e temos que usar isso para alguma coisa, porque nós todos vamos prestar contas um dia, por isso é importante usar o que temos com sabedoria. "

Fonte: Korn: "O espírito de Jesus vindo até você. Isso é tão lindo cara" http://whiplash.net/materias/news_808/215078-korn.html#ixzz3LLQu3doB
segunda-feira, 1 de dezembro de 2014 1 comentários

Conheça a Bíblia do Metal

A Bíblia Metal é uma edição especial da Bíblia para todos nós que curte o "Heavy Metal". Essa edição contém o Novo Testamento, bem como uma parte onde os metalheads que compartilham suas histórias de vida e falam sobre o que Deus e  o que a Bíblia significa para eles. A Bíblia Metal é uma edição especial da Bíblia que mostra que ela funciona muito bem para amar a Deus e ao Metal.

Alguns Headbangers Cristãos que participam desse projeto:
Nicko McBrain (Iron Maiden), Tommy Aldridge (Whitesnake), Dave Ellefson (Megadeth), Peter Baltes (Accept), Brian Welsh (ex-Korn), Rob Rock, Michael Sweet (Stryper) , Ken Tamplin, Metal Pastor Bob Beeman (Sanctuary International), Shadows of Paragon, Luke Renno (Crimson Thorn), Simon "Pilgrim" Rosén (Crimson Moonlight), Christian Liljegren (Narnia, Golden Resurrection), Matt Smith (Theocracy), Ulf Christiansson (Jerusalem), Michael Hero (Sons of Thunder, Hero), Slav Simanic, Richard Lynch (Saint), Steve Rowe (Mortification), Ted Kirkpatrick (Tourniquet), Herbie Langhans & Mike Pflüger (Seventh Avenue) Scott Waters (Ultimatum), Gabriela Sepúlveda (Boanerges), Rod Rivera & Johnny Bomma (Rivera/Bomma), entre outros.
Traduções:
 Sueco, Inglês, Espanhol, alemão, polonês, dinamarquês e holandês. No momento, estamos trabalhando duro com a versão em português, russo, italiano, eslovaco, finlandês e norueguês.

Fontes:
http://www.themetalbible.com/enginfo.html

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Agape: Pioneiros do Hard Rock Cristão -1971


'Agape" [Hard Rock/Psycodelic Rock] -1971 -EUA
Os pioneiros do Hard Rock Cristão 

Agape: Pioneiros do Hard Rock Cristão e umas das pioneiras do Jesus Peopple Moviment. 

Uma das primeiras bandas de hard rock da música Cristã formada em torno do talento de "Fred Caban" durante os estágios iniciais do que ficou conhecido como o "Jesus People Moviment". 

Nascido e criado na Califórnia, a cena musical da contracultura ofereceu uma visão intimista rock 'n' roll e estilo de vida estilos de tais fenômenos guitarra como Jimi Hendrix, após os quais o embrião músico estampados seu estilo.

Ao se formar a partir de um Azusa ensino médio, na primavera de 1968, ele e seus companheiros de banda espremidos em uma pequena van Volkswagen em busca de locais para realizar. Uma noite, enquanto eles parou em uma praia de Huntington chamou a Lightclub, eles se reuniram e foram ajudados por um grupo de adolescentes entusiastas quem Caban descritos como sendo "totalmente imerso com a mensagem de Cristo."

O café Lightclub por esta altura tinha sido tomado por David Berg e da família, o ponto gênese do que viria a se tornarem filhos de Deus. Depois de aceitar uma pequena Evangelho de João, a banda passou a encontrar abrigo para a noite. Como foi o testemunho de muitos outros transientes, o contato com hippies "cristianizados" intensificou busca pessoal de Caban para a verdade. Apesar de não compreender totalmente a mensagem "de Lightclubber", ele começou a orar por uma introdução para "quem estava lá fora."

Quando Caban voltou para a van, ele compartilhou sua experiência e descobriu que companheiro colega Jeff Newman também tinha sofrido uma conversão espiritual. Os dois incipientes cristãos voltou para o café, onde ambos foram batizados. No dia seguinte, o grupo voltou a Azusa.

Poucos meses depois de sua conversão, Caban formou outra banda nomeando de Ágape, a palavra grega para amor de Deus. Tendo anteriormente se estabelecido como um guitarrista de algum mérito na área de Azusa, a formação de três membros, que inclui Mike Jungkman na bateria e Ms. Lonnie Campbell no baixo, capitalizou o seu nome para reunir multidões iniciais. Durante os dias imediatamente a seguir cada uma das respectivas conversões, a visão de Agape tornou evangelística - desejando compartilhar suas experiências com seus pares.
Onde antes os seus objectivos era de ganhar a atenção de gravadoras locais, Agape funcionou como um dos primeiros missionários musical, umas das primeiras bandas do Jesus Peopple Moviment. De seu protocolo de palco e fervor evangelístico Caban declarou, "Nós jogaria uma ou duas músicas - que gostaríamos jam,. nós levá-los longe - e, em seguida, crescer, nós começar a pregar ..... e as pessoas realmente ficar por aqui e ouvir. 

Dentro de seis meses, um grupo de 50 jovens convertidos tinham aderido ao trio como um amálgama solto de adolescentes em busca espiritual que se reuniram para estudos bíblicos e sessões de estratégia para promover os shows da banda. Caban lembrou que foi um encontro totalmente espontânea de amigos; "Isso nunca ocorreu-nos a entrar numa igreja. Não havia nenhuma estrutura, mas nós não sabemos disso. Nós só estávamos gostando do que estava acontecendo e levando um dia de cada vez." Durante as fases de constituição da sua fase inicial de recrutamento os membros da banda funcionava como a liderança não-oficial.

Agape desempenhou um número ou locais em toda a área da Califórnia, incluindo uma série de apresentações no de Hollywood Presbyterian Salt Company café. Suas aparições que corriam em simultâneo com a ascendência de um outro premier Jesus músico. Ambos Agape e Larry Norman floresceu como forças de música Jesus, ao mesmo tempo. Em um ponto o cantor convidou Agape em um estúdio de gravação em uma tentativa de ajudá-los com a sua própria carreira musical. Embora nada permanente veio desta reunião, Agape, eventualmente, procurou o produtor de discos local Martin Jones com o desejo de gravar um álbum. Oferecido estúdio tempo livre entre meia-noite e 6h00, Agape gravado Gospel Hard Rock [1971].



Foi durante a gravação deste primeiro lançamento que a banda conheceu Ron Turner, que estava estudando na Azusa Pacific College com as esperanças de entrar para o ministério. Educado na Igreja Presbiteriana, Turner foi orientado por Don Williams, então pastor de jovens da Primeira Igreja Presbiteriana de Hollywood. Durante seus estudos, Turner era um pastor de jovens da Igreja da Comunidade de Arcadia, que abriu a pequena comitiva da banda para se juntar para culto de adoração e de concerto performances. Por um período de três anos, Turner levou cada vez mais responsabilidades no grupo, inicialmente falando em apresentações da banda, mas acabou se tornando a figura do pastor sobre a congregação crescente. Reunindo-se regularmente em Covina Park, o grupo estruturado livremente cresceu para mais de 500.

Como uma entidade musical, o hard rock Agape ganhou um grande número de seguidores em toda a costa oeste, partilhando o palco com outras bandas de música de Jesus, como Love Song e JC Poder Outlet, jogando o popular de Gazzari Hollywood-A-Go-Go, e convidados a partilhar o bill nos primeiros Festivais California Jesus manteve no Hollywood Palladium, em 1971. Embora alguns acreditavam que sua música era um compromisso em que é perto imitação de outras bandas 'mundanos' de rock, nenhum dos membros recuou de sua visão do que eles sentiram sua música deve projectar. Caban afirma: "Nós éramos basicamente uma banda de rock secular que se tornaram cristãos.

Quando chegamos no palco jogamos tão duro como fizemos antes. Mas onde anteriormente tinha sido egoísta e desejando fama e fortuna, agora cantou sobre a nossa fé em Jesus Cristo. Nada mudou na parte externa. Nós tinha sido transformada a partir de dentro "historiador da música Jesus Paul Baker escreveu sobre Agape que," eles tocaram Jesus rocha em que é crustiest -. A música que cortar através das defesas mais grossas dos fãs de rock não-cristãs. Para aqueles para quem a música de hard rock era a língua, Agape ... falou-clareza. "'
A banda adicionou o tecladista Jim Hess e lançou "Vítimas da Tradição", em 1972, que contou com uma abordagem mais progressiva, assim como uma capa que imaginou o grupo realizando em um cemitério.

Fontes: http://classicchristianrockzone.blogspot.com.br/2014/04/agape.html

Obs: Meu inglês não é bom, então foi traduzido via google tradutor  e acrescentado algumas coisas.

Abaixo segue alguns links para download:

Gospel Hard Rock -1971
1 Blind
2 Happy
3 Believe
4 Man
5 Trust
6 Freedom
7 Choose
8 Blood
9 Rejoice
10 Street Walker
11 Alchemy

Download: http://www.4shared.com/rar/vzfOSHvmba/A-GHR71.html
Victims Of Tradition -1972

1 Voyaging Pilgrim
2 Walking Over The Hill
3 Wouldn't It Be A Drag
4 Jazz Jam (Part 1)
5 The King Of Kings
6 The King Is Christ
7 Change Of Heart
8 You Reap What You Sow

http://www.4shared.com/rar/kOPYmjyece/A-VoT-72.html


quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

A patrística, o livre-arbítrio e Armínio.

Alguns calvinistas afirmam que a doutrina da predestinação em seus moldes calvinistas sempre foi desde o início a doutrina da igreja cristã e que os pais da igreja eram contra essa história de “livre-arbítrio” que segundo eles foram inventados por Pelágio e consequentemente foi Armínio que reavivou essa doutrina “maléfica”, que supostamente tira a Soberania de Deus. Eles apelam a autoridade de Agostinho de Hipona (IV d.C) que segundo eles foi “o pai da predestinação” e os seus ensinamentos influenciaram, Lutero e Calvino (XVI d.C) o qual com base nos ensinos de Agostinho, Calvino desenvolveu suas teses para defender a doutrina da predestinação e eleição incondicional e o determinismo. (Sabemos que alguns calvinistas defendem o livre-arbítrio em temos compatibilistas.) Mas será isso mesmo? Será que os pais da igreja antes de Agostinho, Lutero e Calvino combatiam o livre-arbítrio? Será que a doutrina do “livre-arbítrio” sempre foi uma heresia histórica combatida, conforme ditam alguns calvinistas?
Uma pequena pesquisa sobre os Patrísticos (pais da igreja, pós-apóstolos, até o século IV) demostra o contrário e percebemos que a grande maioria deles defenderam ou falaram sobre o livre-arbítrio. E que essa doutrina não começou com Pelágio. Vejamos alguns citações:
Os pais primitivos e o livre arbítrio

JUSTINO MÁRTIR (100 à 160/165 d. C)

“Do que dissemos anteriormente, ninguém deve concluir que a consequência do que afirmamos que se sucede ocorre por necessidade do destino, pelo fato de que dizemos ser de antemão conhecidos os acontecimentos. Para isso, vamos esclarecer também esta dificuldade. Nós aprendemos com os profetas e afirmamos que isto é a verdade: que os castigos e tormentos, igualmente as boas recompensas, dão-se a cada um conforme as suas obras, pois se não fosse assim e se ocorresse pelo destino, não existiria em absoluto o livre-arbítrio. Com efeito, se está determinado que este seja bom e aquele mau, nem aquele merece louvor, nem este vitupério. E se o gênero humano não tem poder para fugir por livre determinação daquilo que é vergonhoso e optar pelo belo, é irresponsável por qualquer ação que faça. Porém, que o homem é virtuoso e peca por livre escolha, o demonstramos pelo seguinte argumento: vemos que o próprio sujeito passa de um extremo a outro. Pois bem: se fosse determinado ser mau ou bom, não seria capaz de fazer coisas contrárias nem mudaria [seu comportamento] com tanta frequência. Na verdade, não se poderia dizer que alguns são bons e outros maus a partir do momento em que afirmamos que o destino é a causa de bons e maus, e que faz coisas contrárias a si mesmo; ou deve se ter por verdade aquilo que já anteriormente insinuamos, a saber: que virtude e maldade são meras palavras e que apenas por opinião [pessoal] se classifica algo como bom ou mau – o que, como demonstra a verdadeira razão, é o cúmulo da impiedade e da iniquidade. O que afirmamos ser destino iniludível é que a quem escolher o bem, espera-lhes digna recompensa; e a quem escolher o contrário, espera-lhes igualmente digno castigo. Porque Deus não fez o homem da mesma forma que as outras criaturas, por exemplo, árvores e quadrúpedes, que nada podem fazer por livre determinação, pois nesse caso não seria digno de recompensa ou louvor, nem mesmo por ter escolhido o bem, mas já teria nascido bom; nem, por ter sido mau, seria castigado justamente, pois não agiu livremente, mas por não poder ter sido outra coisa do que foi” (1ª Apologia 43,1-8).

Justino Mártir (160 d.C): A fim de que alguns não presumam, a partir do que temos dito, que tudo acontece por uma necessidade fatal, pois é anunciado como conhecido de antemão, isso nós também explicamos. Nós aprendemos dos profetas e sustentamos ser a verdade, que as punições, castigos e boas recompensas são concedidas de acordo com o mérito das ações de cada homem. Agora, se isso não é desta forma, mas todas as coisas acontecem por destino, então, nada está em nosso próprio poder. Porque, se está predeterminado que este homem será bom e esse outro homem será mau, nem é o primeiro digno de mérito nem o último culpado. E novamente, a menos que a raça humana tenha o poder de evitar o mal e escolher o bem por livre escolha, eles não são responsáveis por suas ações. (A Dicitionary of Early Christian Beliefs, editado por David W. Bercot, pg 285, publicado por Hendrickson, 1998) (tradução Walson Sales)
“Deus, desejando que tanto homens quanto anjos seguissem a sua vontade, resolveu criá-los livres para fazer a justiça. Mas se a Palavra de Deus prediz que certos anjos e certos homens serão certamente castigados, ela fez isso porque sabia previamente que eles seriam irremediavelmente [ímpios], mas não por terem sido criados assim. (DJ, 1.142).” (citado por Norman Geisler, T. S. v.2, pg 77)

IRINEU (130 à 200 d. C)
“Esta frase: ‘Quantas vezes quis acolher os teus filhos, porém tu não quiseste!’ (Mateus 23,37), bem descobriu a antiga lei da liberdade humana, pois Deus fez o homem livre, o qual, assim como desde o princípio teve alma, também gozou de liberdade, a fim de que livremente pudesse acolher a Palavra de Deus, sem que Este o forçasse. Deus, com efeito, jamais se impõe à força, pois n’Ele sempre está presente o bom conselho. Por isso, concede o bom conselho a todos. Tanto aos seres humanos como aos anjos outorgou o poder de escolher - pois também os anjos usam sua razão -, a fim de que àqueles que lhe obedecem possam conservar para sempre este bem como um dom de Deus que eles guardam. Ao contrário, não se encontrará este bem naqueles que O desobedecem e por isso receberão o justo castigo, porque Deus certamente lhes ofereceu benignamente este bem, mas eles não se preocuparam em conservá-lo, nem o acharam valioso, mas desprezaram a bondade suprema. Assim, portanto, ao abandonar este bem e até certo ponto rejeitá-lo, como razão serão réus do justo juízo de Deus, do qual o Apóstolo Paulo dá testemunho em sua Carta aos Romanos: ‘Por acaso desprezas as riquezas de sua bondade, paciência e generosidade, ignorando que a bondade de Deus te impulsiona a arrepender-te? Pela dureza e impenitência do teu coração, tu mesmo acumulas a ira para o Dia da Cólera, quando se revelará o justo juízo de Deus’ (Romanos 2,4-5). Ao contrário, diz: ‘Glória e honra para quem opera o bem’ (Romanos 2,10). Deus, portanto, nos deu o bem, do qual dá testemunho o Apóstolo na mencionada Carta, e aqueles que agem segundo este dom receberão honra e glória, porque fizeram o bem quando estava em seu arbítrio o não fazê-lo; ao contrário, aqueles que não agirem bem serão réus do justo juízo de Deus, porque não agiram bem estando em seu poder fazê-lo. Com efeito, se alguns seres humanos fossem maus por natureza e outros bons por natureza, nem estes seriam dignos de louvor por serem bons, nem aqueles condenáveis, porque assim teriam sido criados. Porém, como todos são da mesma natureza, capazes de conservar e fazer o bem, e também capazes de perdê-lo e não fazê-lo, com justiça os seres sensatos – quanto mais Deus! – louvam os segundos e dão testemunho de que decidiram de maneira justa e perseveraram no bem; ao contrário, reprovam os primeiros e os condenam retamente por terem rejeitado o bem e a justiça. Por esse motivo, os profetas exortavam a todos a agir com justiça e a fazer o bem, como muitas vezes explicamos, porque este modo de nos comportar está em nossas mãos; porém, tendo tantas vezes caído no esquecimento por nossa grande negligência, nos fazia falta um bom conselho. Por isso o bom Deus nos aconselhava o bem por meio dos profetas” (Contra as Heresias 4,37,1-2)

”Se não dependesse de nós o fazer e o não fazer, por qual motivo o Apóstolo, e bem antes dele o Senhor, nos aconselharia a fazer coisas e a nos abster de outras? Sendo, porém, o homem livre na sua vontade, desde o princípio, e livre é Deus, à semelhança do qual foi feito, foi-lhe dado, desde sempre, o conselho de se ater ao bem, o que se realiza pela obediência a Deus. (Contra Heresias, IV, 37. 1.4) (também citado por Norman Geisler em “eleitos, mas livres”, pg 171)

Clemente de Alexandria ( 150-c. 215 d. C.)
“Nos que ouvimos pelas Sagradas Escrituras que a escolha autodeterminada e a recusa foram dadas pelo Senhor aos homens, descansamos no critério infalível da fé, manifestando um espírito desejoso, já que escolhemos a vida e cremos em Deus por intermédio da sua voz. (S, H2.4)” (citado na Teologia Sistemática, Norman Geisler, v 2, pg 78)
“Não somente o crente, mas até mesmo o descrente, é julgado mais retamente. Pois, desde que Deus soube em virtude de sua presciência que essa pessoa não acreditaria, Ele, entretanto, a fim de que ele possa receber a sua própria perfeição, deu-lhe a filosofia antes da fé.” (A Dicitionary of Early Christian Beliefs, editado por David W. Bercot, pg 284, publicado por Hendrickson, 1998)
“A soberania e o livre-arbítrio são compatíveis, pois muitas coisas na vida surgem no exercício da razão humana, tendo recebido a faísca incandescente de Deus. [...] Agora, todas estas coisas têm verdadeiramente origem e existência por causa da providência divina — contudo, não sem a cooperação humana também (5, 6.17, em ibid.).” (Citado em Teologia Sistemática Norman Geisler, V 1, pg 1024).
Orígenes ( 185 a 254 d. C.)
“Está também definido na pregação da Igreja que toda alma racional possui vontade e livre-arbítrio, e que há também para ela uma luta a ser travada contra o demônio e seus anjos e forças adversas, já que eles trabalham para onerá-la de pecados, enquanto que nós, se vivermos retamente e com conselho, devemo-nos esforçar em nos despojarmos deste jugo. Deve-se entender, por conseguinte, que ninguém de nós está submetido à necessidade, de tal modo que, ainda que não queiramos, sejamos a qualquer custo obrigados a fazer coisas boas ou más.” (De Principiis, cap 5) 

“Isto também é claramente definido no ensino da igreja de que cada alma racional é dotada de livre-arbítrio e volição.” (De Principiis, prefácio) Há, de fato, inúmeras passagens nas Escrituras que estabelecem com extrema clareza a existência da liberdade de vontade.” (De Principiis, 3.1) (citado por Geisler, em “Eleitos, mas livres, pg 173-174)”

Além disso, é interessante notar que as acusações de alguns calvinistas contra os ensino de Armínio acerca do livre-arbítrio é na verdade a utilização da falácia do espantalho. Pois os Arminianos clássicos, de acordo com os ensinos de Armínio e seus fiéis seguidores, não acreditam no poder do livre-arbítrio em seu sentido filosófico, mas sim em um ‘livre-arbítrio libertário”, ou seja o livre-arbítrio libertado pela graça (previniente que é resistível). E percebemos que esses ensinos não tem origem em Armínio, mas que a Remostrância retomou os ensinos dos pais da Igreja antes dos ensinos de Agostinho. Segue abaixo outra citação de uns dos pais no qual possuem mais semelhanças em seus escritos com as obras de Armnio e expressões como “precisa de ajuda”, ou “carece de auxílio (da graça) de Deus”, lembram os ensinos de 1.300 anos depois repetidos por Jacob Arminius.

Jerônimo ( 347-420 d. C.)
Vejamos:
“Em vão me deturpas e tentas convencer os ignorantes que eu condeno o livre-arbítrio. Que aquele que condena, seja por si mesmo condenado, pois fomos criados com o dom do livre-arbítrio [...] E verdade que a liberdade da vontade traz consigo a liberdade de decisão. Contudo o homem não age imediatamente a partir do seu livre-arbítrio, mas precisa da ajuda de Deus, que e o único que não precisa ser ajudado. (LSJ, II.VI. 1.33.10) (citado em Teologia Sistemática, Geisler, v2, pg 79)

“Quando nós estamos preocupados com a Graça e misericórdia, o livre-arbítrio é parte anulada; em parte, eu digo, porque tanto depende dele, que queremos e desejamos, e damos consentimento ao curso que escolhemos. Mas depende de Deus se temos o poder em sua força e com sua ajuda para fazer o que desejamos, e para o nosso trabalho e esforço darem resultado.” (Contra Pelagianos, Livro III) (Eleitos, mas livres, pg 76)

Agora percebemos que as acusações dos calvinistas que Armínio era pelagiano são infundadas.

Veja bem essa afirmação:

"O livre-arbítrio é incapaz de iniciar ou de aperfeiçoar qualquer verdade ou bem espiritual sem a Graça. Que não digam a meu respeito, como dizem de Pelágio, que pratico uma ilusão em relação à palavra "Graça", o que quero dizer com isso é que é a Graça de Cristo e que pertence à regeneração [...] Confesso que a mente de [animalis] um homem carnal e natural é obscura e sombria, que suas afeições são corruptas e excessivas, que sua vontade é obstinada e desobediente, e que o homem está morto em pecados." - Jácobs Arminius, In A Letter Adressed to Hippolytus A Collibus”, Works.v. 2, p. 700-1

E Armínio diz mais:
"Em seu estado pecaminoso e caído, o homem não é capaz, de e por si mesmo, quer seja pensar, querer ou fazer o que é, de fato, bom; mas é necessário que seja regenerado e renovado em seu intelecto, afeições ou vontade e em todas as suas atribuições, por Deus em Cristo através do Espírito Santo, para que seja capaz de corretamente compreender, estimar, considerar, desejar e realizar o que quer que seja verdadeiramente bom. Quando ele é feito um participante dessa regeneração ou renovação, eu considero que, uma vez que é liberado do pecado, ele é capaz de pensar, desejar e fazer o que é bom, mas mesmo assim, não sem a contínua ajuda da Graça Divina."

Portanto percebemos que alguns calvinistas não pesquisam ou usam de desonestidade intelectual em seus debates e escritos. E que a doutrina do livre-arbítrio não era de nenhuma forma heresia e muito menos invetada por Pelágio e Retomada por Armínio. O que Armínio defendia era o livre-arbítrio libertário e incompatibilista.

Obs: Esse meu artigo foi formado com base em estudos disponíveis na página Arminianismo, Arminianismo da Depressão e Armínio da Depressão. 

Fontes: http://estudos.gospelprime.com.br/a-igreja-primitiva-e-o-livre-arbitrio/
http://sumateologica.wordpress.com/download/

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Christian Love Metal - Volume V

Eis o volume V da coletânea "Christian Love Metal" do blog Cristianismo underground.



É galera, esse é o último volume da coletânea "Christian Love Metal". E quem diria que chegaríamos ao volume V? Devido ao sucesso e aos pedidos dos apreciadores, fizemos este último volume. Com grandes clássicos e algumas baladas desconhecidas por muitos. Tenho que deixar claro que não lucro nada com isso e essa não é a minha intenção. A coletânea é apenas uma playlist escolhida por mim e na qual também aceitei  sugestões de alguns apreciadores da coletânea.  Nesse volume V, coloquei alguns artistas consagrados como: Stryper, Larry Norman, Michael Sweet, John Elefante, Bloodgood, entre outros ...  Espero que curtam.  Deus abençoe a todos.

Tracklist:



Download: 4shared - volume 5

Curtam a página Christian Love Metal: https://www.facebook.com/pages/Christian-Love-Metal/
Curtam nossa página: https://www.facebook.com/Cristianismounderground

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Stryper: Michael Sweet a turnê no Brasil+ Argentina e novos planos em 2015


Foi divulgado na página oficial do Michael Sweet os agradecimentos pela turnê sula-Americana e novos projetos pra 2015: Novo álbum do Stryper+ Novo álbum solo+ Turnê no seu novo projeto "Sweet & Lynch".
Segue um trecho retirado da sua página.
A turnê sul-americana está feita! Foi um exaustivo 2 semanas, mas um dos melhores também. Infelizmente eu fiquei doente há uma semana e estava lutando tentando cantar com algum tipo de bug / vírus. É sempre um pouco difícil quando você tem que sair e executar quando você não tem o controle de 100% em relação a sua voz. Ha! Eu acho que quando eu penso sobre isso, eu nunca realmente tem 100% de controle de qualquer maneira.

Obrigado Brasil e Argentina por uma visita memorável e nós estamos ansiosos para a próxima vez, mais cedo do que mais tarde !!! Nós amamos todos vocês!
Então, o que 2015 trará?
Um novo álbum Stryper, uma turnê solo, alguns Sweet & Lynch data, produzindo um álbum Gabbie Rae e gravar um novo álbum solo - ufa!

Do meu coração - eu sou muito sincero como eu escreva isso aqui no Rio - Agradeço a Deus todos os dias por todos vocês. Pela suas constantes orações, apoio e crença em mim e no que eu faço. Eu sou um homem muito abençoado e se tudo fosse terminar agora, eu diria que eu tive a chance de fazer exatamente o que eu sempre quis fazer - inspirar as pessoas e dar-lhes algo mais do que apenas música. Mais importante, uma mensagem do amor de Deus e graça de mudança de vida. Se Deus quiser, muito mais por vir ainda tem sido uma vida de realizações
Fontes:
https://www.facebook.com/TheMichaelSweet/posts/426849264134211

Curtam nossa página:
https://www.facebook.com/Cristianismounderground?fref=ts

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Brian Head: Falando sobre o Espirito Santo

Welch, que deixou o Korn em 2005, após se converter ao cristianismo e largar as drogas, foi perguntando como ele sabe que ele tem o "Holy Ghost". Ele respondeu: "Bem, eu te falo, para uma pessoa que largou as drogas por muitos anos e tem a alma cheia do Espírito Santo, é a melhor coisa possível. É o puro amor de Deus e você realmente pode sentir esse amor. E vai ficando mais forte através dos últimos dez anos. Não sei... Você fica totalmente satisfeito na vida e não quer mais nada. E meu coração está em paz. Eu não teria acreditado se eu não experimentasse. Estou totalmente satisfeito. Não há nada como isso.
Perguntando se o Espirito Santo já nasce em nós ou temos que pedir para recebê-lo, Welch disse:"Esse é um tipo de debate teólogico, talvez, mas eu acredito que Deus dá fôlego para todas as pessoas, mas nós temos que pedir para receber o Espírito Santo, somente para nos dar a revelação de como Deus sustenta a vida e nos dá a vida. Falam sobre sentir o Espírito Santo, e isso acontece quando você começa a pedir por ele e tudo mais. Não é sobre religião, é sobre relacionamentos. É o espírito de Jesus vindo até você e vivendo com você. E isso é tão lindo, cara."
Welch recentemente falou com a Variety sobre seu envolvimento com o filme "Holy Ghost", um documentário baseado na fé que tem como objetivo provar que o Espírito Santo é real. Welch, explicou: "'Holy Ghost' é sobre pessoas que convidam Deus a entrar em seus corações e vidas e sair pelo mundo, não dizendo para as pessoas 'se prepararem para o inferno', mas sim apresentando o real Cristo.""
Welch continuou: "É como se tivessem me mostrado como obter um bilhão de dólares e como se eu pudesse compartilhar o dinheiro com todos os outros. Celebridades são consideradas referências e temos que usar isso para alguma coisa, porque nós todos vamos prestar contas um dia, por isso é importante usar o que temos com sabedoria. "

Fonte: Korn: "O espírito de Jesus vindo até você. Isso é tão lindo cara" http://whiplash.net/materias/news_808/215078-korn.html#ixzz3LLQu3doB

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Conheça a Bíblia do Metal

A Bíblia Metal é uma edição especial da Bíblia para todos nós que curte o "Heavy Metal". Essa edição contém o Novo Testamento, bem como uma parte onde os metalheads que compartilham suas histórias de vida e falam sobre o que Deus e  o que a Bíblia significa para eles. A Bíblia Metal é uma edição especial da Bíblia que mostra que ela funciona muito bem para amar a Deus e ao Metal.

Alguns Headbangers Cristãos que participam desse projeto:
Nicko McBrain (Iron Maiden), Tommy Aldridge (Whitesnake), Dave Ellefson (Megadeth), Peter Baltes (Accept), Brian Welsh (ex-Korn), Rob Rock, Michael Sweet (Stryper) , Ken Tamplin, Metal Pastor Bob Beeman (Sanctuary International), Shadows of Paragon, Luke Renno (Crimson Thorn), Simon "Pilgrim" Rosén (Crimson Moonlight), Christian Liljegren (Narnia, Golden Resurrection), Matt Smith (Theocracy), Ulf Christiansson (Jerusalem), Michael Hero (Sons of Thunder, Hero), Slav Simanic, Richard Lynch (Saint), Steve Rowe (Mortification), Ted Kirkpatrick (Tourniquet), Herbie Langhans & Mike Pflüger (Seventh Avenue) Scott Waters (Ultimatum), Gabriela Sepúlveda (Boanerges), Rod Rivera & Johnny Bomma (Rivera/Bomma), entre outros.
Traduções:
 Sueco, Inglês, Espanhol, alemão, polonês, dinamarquês e holandês. No momento, estamos trabalhando duro com a versão em português, russo, italiano, eslovaco, finlandês e norueguês.

Fontes:
http://www.themetalbible.com/enginfo.html
 
;