sábado, 21 de junho de 2014

Mortification: Testemunho Steve Rowe e algumas novidades


Testemunho do Steve Rowe do  Mortification



”No dia 20 de setembro de 1996 eu recebi a pior notícia da minha vida. Eu tinha contraído Leucemia Linfática e fui imediatamente levado a tratamento de quimioterapia que derrotou o câncer mas começou um processo de destruição meu corpo.Era muito doloroso mas no Natal daquele ano estava em descanso e me sentia bem. Janeiro chega e eu sou chamado pelo escritório médico e me disseram que o câncer havia voltado e eu tinha 1% de chance de viver. Isso aconteceu devido a uma complicação chamada Cromossomo Positivo Philadelphia que é virtualmente impossível de se curar. Me disseram que eu precisava de um transplante de medula que me daria 25 a 40% de chance. Fui abençoado pois meu Pai tinha células idênticas às minhas e poderia ser meu doador. 70% das pessoas que precisam de um transplante não acham um doador compatível. Foi realmente um tempo de confiança em Deus e acreditando 100% que Deus tinha me curado. Eu não acredito que Deus seja instável. Eu não acreditava que ele teria me dado uma esposa, filho e uma banda maravilhosa e uma gravadora só pra me tirar depois. Fiz o transplante de medula no dia 3 de fevereiro de 1997. No dia do transplante eu escrevi a canção "Raw Is The Stonewood Temple" sentado na cama do hospital com o meu baixo Steinburger. O som feliz daquela música estava me levando para o maior teste da minha vida. Eu pensei nos famosos edifícios de 200 anos de idade que estavam agora em ruínas. Percebi que até mesmo monumentos famosos feitos de pedra e madeira maciça não duram pra sempre. Percebi que os belos monumentos ou templos que foram feitos para Deus são os mais visitados. Muitos deles estão espiritualmente mortos mas são continuamente restaurados durante os anos pois são especiais. Eles são templos. Eu me via como um templo em ruínas prestes a ser restaurado por Deus. Ele diz na Bíblia que nós temos 70 anos para viver e 80 se formos fortes. Eu queria, naquele momento, uma vida mais longa. Nas seis semanas em que fiquei no hospital depois do Transplante eu senti várias vezes que iria morrer. Eu me tornei uma carcaça viva e a dor foi indescritível. Logo depois dos médicos me informarem que o meu transplante não tinha funcionado, o primeiro milagre aconteceu. Minhas células começaram a produzir sangue. Duas semanas depois eu saí do hospital agradecendo a Deus, pois meu transplante tinha funcionado. Apesar disso, pouco tempo depois me disseram que o câncer havia retornado e eu tinha duas semanas de vida. Nesse ponto eu decidi desistir do tratamento, ir pra casa e passar esse tempo com a minha família. Duas semanas depois tive um colapso duplo e foi dito que eu tinha duas horas de vida. O médico disse que se eu vivesse nunca andaria de novo, teria sérios problemas de visão e meu organismo interno ficaria muito maltratado. Passo a passo, semana a semana Deus me ajudava a melhorar através de alimentação saudável, medicina natural, muita determinação e o poder curativo do Senhor.
Hoje, em Fevereiro de 98 eu me sinto normal de novo e não há nenhum sinal de câncer. Eu acredito que Deus me curou e que tenho uma longa vida a frente. Quando tudo morria ao meu redor, eu experimentei o Triunfo da Misericórdia. Se você quer conhecer meu grandioso Deus e o poder de cura que Ele tem, faça essa oração:

“Jesus, eu peço a você que perdoe meus pecados e me liberte do poder do mal. Eu que você seja, a partir desse momento, o Senhor da minha vida, e quero que cure meu corpo e coração. Jesus, eu acredito que você é o filho de Deus, que morreu e ressuscitou dentre os mortos como a Palavra diz. Eu te peço que me receba como seu filho e me salve. Obrigado Senhor."
Procure uma igreja de crença bíblica.”

A letra da música "Triumph of Mercy" fala sobre essa situação em que viveu o Steve.
A letra da música "Influence", resume bem o objetivo da banda Mortification:

“Influência na sua vida. Nós não queremos fama, queremos “salvação.”
 Créditos: Adriano Lino(ON THE ROCK)
Fonte: Desconhecida 

"Logo após a recuperação de Steve, o Mortification gravou e lançou Triumph of Mercy em 1998, que foi lançado pela Rowe Productions nos Estados Unidos e pela Nuclear Blast Alemanha na Europa. Esse álbum estava centrado no que Steve e a banda passaram nos dois anos anteriores. O estilo do álbum mistura o groove e o thrash.

1999 foi o ano do lançamento de Hammer of God, que assim como o trabalho anterior era uma mistura de groove e thrash. Os elementos de death haviam sido deixados pela banda, mas a mensagem permanecia a mesma. Letras com temor a Deus. Em 2000 o Mortification lançou outro álbum ao vivo, 10 Years: Live Not Dead, que reunia canções dos últimos álbuns e a nova Dead Man Walking. Foi gravado no Blackstump Festival 1999 com um som de grande qualidade. Keith Bannister deixou a banda e em seu lugar entrou o adolescente Adam Zaffarese."
Fontes: Mortifination

O Mortification está na ativa e firme e forte, com lançamento do novo álbum "Realm Of The  Skelator" em 2015. E o lançamento do livro chamado "METAL MISSIONARY – The Steve Rowe Story."
Vem coisa boa por ai.
Longa vida ao Steve Rowe, Longa a vida ao Mortification.

Curtam e acompanhem nossa página https://www.facebook.com/Cristianismounderground  
Deus abençoe :)

0 comentários:

Postar um comentário

sábado, 21 de junho de 2014

Mortification: Testemunho Steve Rowe e algumas novidades


Testemunho do Steve Rowe do  Mortification



”No dia 20 de setembro de 1996 eu recebi a pior notícia da minha vida. Eu tinha contraído Leucemia Linfática e fui imediatamente levado a tratamento de quimioterapia que derrotou o câncer mas começou um processo de destruição meu corpo.Era muito doloroso mas no Natal daquele ano estava em descanso e me sentia bem. Janeiro chega e eu sou chamado pelo escritório médico e me disseram que o câncer havia voltado e eu tinha 1% de chance de viver. Isso aconteceu devido a uma complicação chamada Cromossomo Positivo Philadelphia que é virtualmente impossível de se curar. Me disseram que eu precisava de um transplante de medula que me daria 25 a 40% de chance. Fui abençoado pois meu Pai tinha células idênticas às minhas e poderia ser meu doador. 70% das pessoas que precisam de um transplante não acham um doador compatível. Foi realmente um tempo de confiança em Deus e acreditando 100% que Deus tinha me curado. Eu não acredito que Deus seja instável. Eu não acreditava que ele teria me dado uma esposa, filho e uma banda maravilhosa e uma gravadora só pra me tirar depois. Fiz o transplante de medula no dia 3 de fevereiro de 1997. No dia do transplante eu escrevi a canção "Raw Is The Stonewood Temple" sentado na cama do hospital com o meu baixo Steinburger. O som feliz daquela música estava me levando para o maior teste da minha vida. Eu pensei nos famosos edifícios de 200 anos de idade que estavam agora em ruínas. Percebi que até mesmo monumentos famosos feitos de pedra e madeira maciça não duram pra sempre. Percebi que os belos monumentos ou templos que foram feitos para Deus são os mais visitados. Muitos deles estão espiritualmente mortos mas são continuamente restaurados durante os anos pois são especiais. Eles são templos. Eu me via como um templo em ruínas prestes a ser restaurado por Deus. Ele diz na Bíblia que nós temos 70 anos para viver e 80 se formos fortes. Eu queria, naquele momento, uma vida mais longa. Nas seis semanas em que fiquei no hospital depois do Transplante eu senti várias vezes que iria morrer. Eu me tornei uma carcaça viva e a dor foi indescritível. Logo depois dos médicos me informarem que o meu transplante não tinha funcionado, o primeiro milagre aconteceu. Minhas células começaram a produzir sangue. Duas semanas depois eu saí do hospital agradecendo a Deus, pois meu transplante tinha funcionado. Apesar disso, pouco tempo depois me disseram que o câncer havia retornado e eu tinha duas semanas de vida. Nesse ponto eu decidi desistir do tratamento, ir pra casa e passar esse tempo com a minha família. Duas semanas depois tive um colapso duplo e foi dito que eu tinha duas horas de vida. O médico disse que se eu vivesse nunca andaria de novo, teria sérios problemas de visão e meu organismo interno ficaria muito maltratado. Passo a passo, semana a semana Deus me ajudava a melhorar através de alimentação saudável, medicina natural, muita determinação e o poder curativo do Senhor.
Hoje, em Fevereiro de 98 eu me sinto normal de novo e não há nenhum sinal de câncer. Eu acredito que Deus me curou e que tenho uma longa vida a frente. Quando tudo morria ao meu redor, eu experimentei o Triunfo da Misericórdia. Se você quer conhecer meu grandioso Deus e o poder de cura que Ele tem, faça essa oração:

“Jesus, eu peço a você que perdoe meus pecados e me liberte do poder do mal. Eu que você seja, a partir desse momento, o Senhor da minha vida, e quero que cure meu corpo e coração. Jesus, eu acredito que você é o filho de Deus, que morreu e ressuscitou dentre os mortos como a Palavra diz. Eu te peço que me receba como seu filho e me salve. Obrigado Senhor."
Procure uma igreja de crença bíblica.”

A letra da música "Triumph of Mercy" fala sobre essa situação em que viveu o Steve.
A letra da música "Influence", resume bem o objetivo da banda Mortification:

“Influência na sua vida. Nós não queremos fama, queremos “salvação.”
 Créditos: Adriano Lino(ON THE ROCK)
Fonte: Desconhecida 

"Logo após a recuperação de Steve, o Mortification gravou e lançou Triumph of Mercy em 1998, que foi lançado pela Rowe Productions nos Estados Unidos e pela Nuclear Blast Alemanha na Europa. Esse álbum estava centrado no que Steve e a banda passaram nos dois anos anteriores. O estilo do álbum mistura o groove e o thrash.

1999 foi o ano do lançamento de Hammer of God, que assim como o trabalho anterior era uma mistura de groove e thrash. Os elementos de death haviam sido deixados pela banda, mas a mensagem permanecia a mesma. Letras com temor a Deus. Em 2000 o Mortification lançou outro álbum ao vivo, 10 Years: Live Not Dead, que reunia canções dos últimos álbuns e a nova Dead Man Walking. Foi gravado no Blackstump Festival 1999 com um som de grande qualidade. Keith Bannister deixou a banda e em seu lugar entrou o adolescente Adam Zaffarese."
Fontes: Mortifination

O Mortification está na ativa e firme e forte, com lançamento do novo álbum "Realm Of The  Skelator" em 2015. E o lançamento do livro chamado "METAL MISSIONARY – The Steve Rowe Story."
Vem coisa boa por ai.
Longa vida ao Steve Rowe, Longa a vida ao Mortification.

Curtam e acompanhem nossa página https://www.facebook.com/Cristianismounderground  
Deus abençoe :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
;