domingo, 26 de setembro de 2010 0 comentários

Novas sobre o Antestor

O nórdico ANTESTOR finalmente deu entrada no estúdio para a gravação de seu primeiro álbum após o retorno.
 Ronny informou que o som estará mais agressivo e com mais elementos folclóridos noruegueses.
 O grupo também estará se apresentando também pela primeira vez após o retorno no Nordic Fest
 em Outubro em Oslo, capital. Em breve, myspace. A formação atual conta com Lars Stokstad 
(guitarra, sintetizadores e vocais limpos), Ronny Hansen (vocais e letras), Thor Georg Buer (baixo)
 que também é membro do GRAVE DECLARATION, Jo Henning Børven (bateria), Robert Bordevik 
(também membro do VARDOGER) e Nickolas Main Henriksen (teclados). 
Confira um teaser do novo material:
Sobre o MySpace oficial, está em construção:www.myspace.com/antestorofficial
Confira uma entrevista com a banda na edição do EXTREME BRUTAL DEATH#20.

Fonte: Rock White 777
0 comentários

David Ellefson-Música é uma reflexão do Espírito Santo fluido



Shannon Joy, do "LA Music Blog", entrevistou o baixista do Megadeth (David Eleffson). Seguem trechos da conversa.

LA Music Blog: Você acha difícil manter-se sóbrio durante as turnês?

Ellefson: Não. A dificuldade foi fazer a escolha e deixar essa vida pra trás. Eu não queria mais ser um viciado e drogado, mas eu também não sabia que eu queria uma vida totalmente limpa e sóbria. Eu tinha uma visão errada desse "estilo de vida sóbrio", eu achava muito sem graça e inocente. Quando você está vindo das trevas e do decadente mundo das drogas e álcool, a vida de cara limpa não parece muito boa [risos]. Mas quando eu finalmente fiz a escolha eu me senti abençoado e pensei "Isso é ótimo". Felizmente eu consegui manter a disciplina durante a vida e eu não tive mais pensamentos obsessivos e tentações que me levassem a retornar e ser como era antes. É interessante, uma das coisas mais difíceis pra mim ao compor o material do "Rust in Peace" era a dor causada pelo aço das cordas do baixo (justamente por eu estar saindo das drogas que me anestesiavam de qualquer sofrimento). Era muito doloroso e eu pensei "Oh, Deus, eu não sei mais se eu quero tocar". Esse pensamento me assombrou durante algum tempo, pensar que eu não poderia mais tocar era péssimo, então eu pensei na minha infância com 11 anos, onde tudo começou... Eu era jovem, tinha 11 anos e não tinha nada a ver com "Sexo, Drogas e Rock"n Roll". Lembrei que eu tocava porque simplesmente amava a música, eu adorava agitar nos shows. Esse era um pensamento inocente e que me trazia um grande bem-estar. Então eu me mantive firme nessa visão para voltar a ter inspiração, como era no começo. Isso me deu muita força durante a desintoxicação. Então, depois disso tudo eu voltei a ter muito prazer em tocar novamente.

LA Music Blog: Qual foi a importância da sua fé para manter-se livre do álcool?

Ellefson: A fé é tudo. É ela que me dá forças para manter esse estilo de vida. Eu sei que é meio esquisito um cara do metal, como eu, falar tanto em Deus e nessas coisas. Mas esse é o caminho, ter muita fé. Eu cresci numa família boa, num ambiente ótimo. Quando eu comecei a beber/usar drogas e frequentar festas, essa atitude não somente me afastou da minha fé, mas também estava destruindo meus sonhos de ser um músico de Rock. Essa é a verdadeira face das drogas e do álcool, essas coisas não fazem o Rock melhor, na verdade o destroem. É muito engraçado e irônico, aqui estamos nós com a turnê do "Rust in Peace", tocando essas ótimas músicas, nos divertindo muito. Durante todo esse tempo eu estive cultivando a minha fé e tentando ser uma pessoa melhor, eu realmente me envolvi muito nisso tudo, iniciei o "Mega Life Ministries" em Scottsdale e estive envolvido em muitas outras coisas. Quando estávamos gravando o "Risk" em Nashville, um pastor de Scottsdale me perguntou se eu poderia me sentar com ele durante um culto e tocar alguma coisa. Uma parte de mim pensou "Fala sério, isso é vergonhoso", a outra parte disse "Qual o problema de ler algumas tablaturas?" [Risos]. Então eu comecei a tocar e tudo isso ampliou meus horizontes, é como se a minha fé se tornasse cada vez maior e mais forte a cada dia. E essa fé só me tornou um músico melhor, eu sinto que quanto mais eu desenvolvo a minha fé, melhor músico eu me torno. Eu percebi que a fé sempre deve estar em primeiro lugar e as notas fluem naturalmente através dela.

LA Music Blog: Com tudo isso em mente, você acredita que a sua música agora é uma reflexão direta da sua fé?

Ellefson: A música em si é um tipo de reflexão do Espírito Santo fluindo através de você. Eu odeio soar como um maluco religioso aqui, eu não quero que pareça isso. Quando eu vivia drogado e tocava não havia música, pois não havia nada vindo dentro de mim, nada mesmo. Tudo funciona como se você fosse um canal para a música, por isso eu admiro tanto as pessoas que possuem esse talento musical. O Dave [Mustaine] pega a guitarra e um riff simplesmente aparece, do nada, e eu penso "Porra", como ele teve essa ideia? Soa tão simples, e eu sempre admirei isso nele. Então, se você toca Metal ou qualquer outro tipo de música, é simplesmente fascinante quando você vê a habilidade da pessoa em canalizar a música através de si. É uma admiração que eu tenho. Quando eu componho meu material, muitas vezes eu penso "Nossa, de onde veio essa ideia? Simplesmente fluiu através de mim."

Fonte desta matéria: 
Whiplash
quarta-feira, 22 de setembro de 2010 0 comentários

AKIRA-ÉPIC/POWER METAL

AKIRA - Uma ótima banda da cidade de Campina grande
 indicação por Bruno ..

Banda Cristã  de Épic/Power metal com influências de Rhapsody of fire
     vale a pena conferir!
God bless all




Batalha espiritual
download

Fonte de Vida
download
terça-feira, 7 de setembro de 2010 0 comentários

Bíblia do surfista' chega com Salmos, Provérbios e um encarte com depoimentos de atletas profissionais !


RIO - Muito antes de o rei polinésio Tahíto inventar o surfe no Havaí, consta que Jesus Cristo foi o primeiro surfista porque, segundo relato no Evangelho de Mateus, andou sobre as águas, assustando até seus próprios discípulos. Com certeza, não os assustaria se eles fossem surfistas. O episódio deu origem ao nome de uma ONG evangélica, a Walking on Water (Andando sobre a Água), com sede na Califórnia, e parceira, no Brasil, da Missão Surfistas de Cristo (MSC), que reúne atletas que acreditam que Jesus não só andava sobre as águas como, sendo filho de Deus, controlava o tamanho das ondas. U-hu! Pois a tribo de surfistas cristãos está exultante com a "Bíblia do surfista" - uma edição do Novo Testamento, Salmos e Provérbios com a Nova Tradução na Linguagem de Hoje (uma adaptação contemporânea do texto bíblico), que tem um inédito encarte com depoimentos de surfistas cristãos num projeto gráfico que não fica a dever nada a nenhuma revista especializada em surfe.
A "Bíblia do surfista" é uma publicação da Sociedade Bíblica do Brasil - entidade que há 62 anos imprime Bíblias no país - em parceria com a Missão Surfistas de Cristo, que desde 1989 reúne atletas cristãos e divulga a fé evangélica entre os praticantes do surfe. Metade da tiragem de 20 mil exemplares foi financiada por doações de surfistas e adeptos de igrejas evangélicas sintonizados com o estilo de vida da galera que curte o mar, as ondas e a adrenalina.
- O surfista tem um coração sensível à fé por causa de seu contato com a natureza, obra da criação divina - ressalta o veterano surfista Chico Paioli, "jovem de 52 anos", três vezes campeão brasileiro de surfe na faixa acima dos 50 anos.
Chico também foi técnico de Jairzinho de Oliveira e Jojó de Olivença, bicampeão nacional na década de 90. Pioneiro do esporte nas águas brasileiras, Chico é um dos que dá na "Bíblia do surfista" o depoimento de sua conversão ao cristianismo, em 1979.
Ele conta que aumenta a cada dia o número de surfistas que aderem às práticas evangélicas, sobretudo em São Paulo e no Rio, onde a Igreja Bola de Neve, na Barra da Tijuca, tem um púlpito em forma de prancha de surfe e reúne fiéis de bermudas, camisas no estilo surfwear e tênis. Com eles, a tradicional Bíblia de capa preta e com letras douradas corre o risco, agora, de dar lugar à nova edição do livro sagrado.
- A Bíblia continua sendo um dos maiores best-sellers de todos os tempos. No Brasil, é o livro mais lido, segundo pesquisas. A "Bíblia do surfista" nasceu da necessidade de atender a um público jovem - explica Paulo Teixeira, desde 1994 como secretário de Tradução e Publicações da Sociedade Bíblica do Brasil, que publica atualmente 300 Bíblias diferentes em quatro traduções do textos originais.
Fundada em 1948, a Sociedade Bíblica do Brasil imprime 10 milhões de Bíblias por ano e exporta o livro sagrado para 104 países. No Brasil, só em 2009, a SBB distribuiu mais de 6 milhões de exemplares, superando em 300 mil a marca do ano anterior. Somente para jovens, a SBB lançou três tipos de Bíblias, um deles à prova d'água, em plastic paper, que pode ser usado na praia. É o processo de dessacralização do texto bíblico.
Além do Novo Testamento - que traz os textos bíblicos que são os pilares do cristianismo, e dos livros de Salmos e Provérbios, a "Bíblia do surfista" tem depoimentos de 18 atletas, entre os quais a americana Bethany Hamilton, que não desistiu do sonho de surfista mesmo após perder um braço num ataque de tubarão. Mandam bem ainda Jair de Oliveira, Tim Curran e Jojó de Olivença. No encarte com design de estilo pop e ilustrado com fotos de boas ondas, há também uma HQ sobre uma parábola dirigida a surfistas e inspirada no Evangelho de Marcos.

Globo/Notícias Cristãs
sábado, 4 de setembro de 2010 0 comentários

Mustaine -fala sobre sua autobriografia





Sean McCourt, do San Francisco Bay Guardian, recentemente conduziu uma entrevista com o líder do MEGADETH, Dave Mustaine. Alguns trechos da conversa podem ser conferidos abaixo.
Sobre sua autobiografia, "Mustaine: A Heavy Metal Memoir", recentemente publicada:
"Estou bastante animado, porque quando eu inicialmente resolvi escrever tudo isso, não foi para entrar para o 'clube do livro' da Oprah - embora agora que eu sei um pouco mais sobre livros, seria legal sentar no sofá dela e lhe contar um pouco da minha história".
"Essa história é basicamente no sentido de poder trazer alguma ajuda a outras pessoas e lhes dar um indicativo de que elas não são as únicas que passam por coisas difíceis - e que o que se tem a fazer nesses momentos é ajeitar a roupa e continuar perseverando."
Sobre o fato de não tentar glorificar ou exaltar os erros do passado no livro:
"Eu sempre quis falar a verdade às pessoas, sobre o que aconteceu ou estava acontecendo na minha carreira. Assim, elas não iriam simplesmente pensar que eu sou uma pessoa horrível. Mas eu me lembro quando meu filho ainda era apenas um garoto pequeno, nós fizemos o 'Behind The Music' para a VH1 e eu falei sobre crack - bem, meu filho um dia estava voltando para casa no ônibus da escola e os garotos um pouco mais velhos começaram a cantar 'Your dad's a crack head' insistentemente, até conseguir fazê-lo chorar. Aquilo foi doloroso."
Sobre todas as polêmicas com o METALLICA devido aos problemas nos primórdios da banda e sobre sua atual relação com os antigos colegas de grupo:
"Eu estive com eles agora na Europa, por um bom tempo, jantamos juntos e aquilo tudo foi muito bom. Eu estava lá, sentado à mesa com Lars [Ulrich] e James [Hetfield], e pensando o quanto era legal podermos estar juntos novamente. Estamos em bandas diferentes, mas o fato é que somos nós, aqueles três jovens caras do passado, com tudo o que realizamos, a forma como mudamos o mundo. Quero dizer, honestamente, hoje em dia você não pode assistir a um programa de televisão sequer onde não apareça alguma música que tenha de alguma forma sofrido influência daquilo que nós criamos. Estar apto a sentar ali, lado a lado com nossos irmãos, e sabendo que naquele local estavam presentes a nata do heavy metal americano, é um sentimento muito prazeroso."
"Minha relação com Lars e James já foi amplamente divulgada, publicada e polemizada. Então, eu cheguei até James e lhe disse, 'eu não quero tentar consertar a nossa relação antiga, seria como tentar arrumar as cadeiras no convés do Titanic. O que eu quero é construir uma nova relação com vocês', e eu acho que é isso que temos agora, uma nova relação. Isso é ótimo... e eu verei o cara novamente, quando estivermos passando com a 'American Carnage' tour em São Francisco."
Sobre o fato de poder falar a diferentes gerações de fãs e poder contar sobre o que já passou em sua vida:
"Uma das coisas que eu quero que o leitor saiba é que este livro não é algo que escrevi como uma coisa egoísta ou auto-indulgente. É apenas um material onde há muitas revelações e onde eu compartilho coisas da minha vida e da minha caminhada, além de mostrar como minha vida mudou de 2002 pra cá, quando me tornei cristão."
"Eu, de fato, passei por alguns momentos difíceis quando resolvi dizer que sou cristão, isso porque muitos cristãos são hipócritas e fizeram com que o Cristianismo pudesse parecer algo ruim a outras pessoas. Eu acredito em Deus e em Jesus Cristo, apenas isso, nada mais. Não quero empurrar essa fé goela abaixo de ninguém. Sendo um cara que leu a Bíblia Satânica e fez bruxaria, isso é algo bacana.

domingo, 26 de setembro de 2010

Novas sobre o Antestor

O nórdico ANTESTOR finalmente deu entrada no estúdio para a gravação de seu primeiro álbum após o retorno.
 Ronny informou que o som estará mais agressivo e com mais elementos folclóridos noruegueses.
 O grupo também estará se apresentando também pela primeira vez após o retorno no Nordic Fest
 em Outubro em Oslo, capital. Em breve, myspace. A formação atual conta com Lars Stokstad 
(guitarra, sintetizadores e vocais limpos), Ronny Hansen (vocais e letras), Thor Georg Buer (baixo)
 que também é membro do GRAVE DECLARATION, Jo Henning Børven (bateria), Robert Bordevik 
(também membro do VARDOGER) e Nickolas Main Henriksen (teclados). 
Confira um teaser do novo material:
Sobre o MySpace oficial, está em construção:www.myspace.com/antestorofficial
Confira uma entrevista com a banda na edição do EXTREME BRUTAL DEATH#20.

Fonte: Rock White 777

David Ellefson-Música é uma reflexão do Espírito Santo fluido



Shannon Joy, do "LA Music Blog", entrevistou o baixista do Megadeth (David Eleffson). Seguem trechos da conversa.

LA Music Blog: Você acha difícil manter-se sóbrio durante as turnês?

Ellefson: Não. A dificuldade foi fazer a escolha e deixar essa vida pra trás. Eu não queria mais ser um viciado e drogado, mas eu também não sabia que eu queria uma vida totalmente limpa e sóbria. Eu tinha uma visão errada desse "estilo de vida sóbrio", eu achava muito sem graça e inocente. Quando você está vindo das trevas e do decadente mundo das drogas e álcool, a vida de cara limpa não parece muito boa [risos]. Mas quando eu finalmente fiz a escolha eu me senti abençoado e pensei "Isso é ótimo". Felizmente eu consegui manter a disciplina durante a vida e eu não tive mais pensamentos obsessivos e tentações que me levassem a retornar e ser como era antes. É interessante, uma das coisas mais difíceis pra mim ao compor o material do "Rust in Peace" era a dor causada pelo aço das cordas do baixo (justamente por eu estar saindo das drogas que me anestesiavam de qualquer sofrimento). Era muito doloroso e eu pensei "Oh, Deus, eu não sei mais se eu quero tocar". Esse pensamento me assombrou durante algum tempo, pensar que eu não poderia mais tocar era péssimo, então eu pensei na minha infância com 11 anos, onde tudo começou... Eu era jovem, tinha 11 anos e não tinha nada a ver com "Sexo, Drogas e Rock"n Roll". Lembrei que eu tocava porque simplesmente amava a música, eu adorava agitar nos shows. Esse era um pensamento inocente e que me trazia um grande bem-estar. Então eu me mantive firme nessa visão para voltar a ter inspiração, como era no começo. Isso me deu muita força durante a desintoxicação. Então, depois disso tudo eu voltei a ter muito prazer em tocar novamente.

LA Music Blog: Qual foi a importância da sua fé para manter-se livre do álcool?

Ellefson: A fé é tudo. É ela que me dá forças para manter esse estilo de vida. Eu sei que é meio esquisito um cara do metal, como eu, falar tanto em Deus e nessas coisas. Mas esse é o caminho, ter muita fé. Eu cresci numa família boa, num ambiente ótimo. Quando eu comecei a beber/usar drogas e frequentar festas, essa atitude não somente me afastou da minha fé, mas também estava destruindo meus sonhos de ser um músico de Rock. Essa é a verdadeira face das drogas e do álcool, essas coisas não fazem o Rock melhor, na verdade o destroem. É muito engraçado e irônico, aqui estamos nós com a turnê do "Rust in Peace", tocando essas ótimas músicas, nos divertindo muito. Durante todo esse tempo eu estive cultivando a minha fé e tentando ser uma pessoa melhor, eu realmente me envolvi muito nisso tudo, iniciei o "Mega Life Ministries" em Scottsdale e estive envolvido em muitas outras coisas. Quando estávamos gravando o "Risk" em Nashville, um pastor de Scottsdale me perguntou se eu poderia me sentar com ele durante um culto e tocar alguma coisa. Uma parte de mim pensou "Fala sério, isso é vergonhoso", a outra parte disse "Qual o problema de ler algumas tablaturas?" [Risos]. Então eu comecei a tocar e tudo isso ampliou meus horizontes, é como se a minha fé se tornasse cada vez maior e mais forte a cada dia. E essa fé só me tornou um músico melhor, eu sinto que quanto mais eu desenvolvo a minha fé, melhor músico eu me torno. Eu percebi que a fé sempre deve estar em primeiro lugar e as notas fluem naturalmente através dela.

LA Music Blog: Com tudo isso em mente, você acredita que a sua música agora é uma reflexão direta da sua fé?

Ellefson: A música em si é um tipo de reflexão do Espírito Santo fluindo através de você. Eu odeio soar como um maluco religioso aqui, eu não quero que pareça isso. Quando eu vivia drogado e tocava não havia música, pois não havia nada vindo dentro de mim, nada mesmo. Tudo funciona como se você fosse um canal para a música, por isso eu admiro tanto as pessoas que possuem esse talento musical. O Dave [Mustaine] pega a guitarra e um riff simplesmente aparece, do nada, e eu penso "Porra", como ele teve essa ideia? Soa tão simples, e eu sempre admirei isso nele. Então, se você toca Metal ou qualquer outro tipo de música, é simplesmente fascinante quando você vê a habilidade da pessoa em canalizar a música através de si. É uma admiração que eu tenho. Quando eu componho meu material, muitas vezes eu penso "Nossa, de onde veio essa ideia? Simplesmente fluiu através de mim."

Fonte desta matéria: 
Whiplash

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

AKIRA-ÉPIC/POWER METAL

AKIRA - Uma ótima banda da cidade de Campina grande
 indicação por Bruno ..

Banda Cristã  de Épic/Power metal com influências de Rhapsody of fire
     vale a pena conferir!
God bless all




Batalha espiritual
download

Fonte de Vida
download

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Bíblia do surfista' chega com Salmos, Provérbios e um encarte com depoimentos de atletas profissionais !


RIO - Muito antes de o rei polinésio Tahíto inventar o surfe no Havaí, consta que Jesus Cristo foi o primeiro surfista porque, segundo relato no Evangelho de Mateus, andou sobre as águas, assustando até seus próprios discípulos. Com certeza, não os assustaria se eles fossem surfistas. O episódio deu origem ao nome de uma ONG evangélica, a Walking on Water (Andando sobre a Água), com sede na Califórnia, e parceira, no Brasil, da Missão Surfistas de Cristo (MSC), que reúne atletas que acreditam que Jesus não só andava sobre as águas como, sendo filho de Deus, controlava o tamanho das ondas. U-hu! Pois a tribo de surfistas cristãos está exultante com a "Bíblia do surfista" - uma edição do Novo Testamento, Salmos e Provérbios com a Nova Tradução na Linguagem de Hoje (uma adaptação contemporânea do texto bíblico), que tem um inédito encarte com depoimentos de surfistas cristãos num projeto gráfico que não fica a dever nada a nenhuma revista especializada em surfe.
A "Bíblia do surfista" é uma publicação da Sociedade Bíblica do Brasil - entidade que há 62 anos imprime Bíblias no país - em parceria com a Missão Surfistas de Cristo, que desde 1989 reúne atletas cristãos e divulga a fé evangélica entre os praticantes do surfe. Metade da tiragem de 20 mil exemplares foi financiada por doações de surfistas e adeptos de igrejas evangélicas sintonizados com o estilo de vida da galera que curte o mar, as ondas e a adrenalina.
- O surfista tem um coração sensível à fé por causa de seu contato com a natureza, obra da criação divina - ressalta o veterano surfista Chico Paioli, "jovem de 52 anos", três vezes campeão brasileiro de surfe na faixa acima dos 50 anos.
Chico também foi técnico de Jairzinho de Oliveira e Jojó de Olivença, bicampeão nacional na década de 90. Pioneiro do esporte nas águas brasileiras, Chico é um dos que dá na "Bíblia do surfista" o depoimento de sua conversão ao cristianismo, em 1979.
Ele conta que aumenta a cada dia o número de surfistas que aderem às práticas evangélicas, sobretudo em São Paulo e no Rio, onde a Igreja Bola de Neve, na Barra da Tijuca, tem um púlpito em forma de prancha de surfe e reúne fiéis de bermudas, camisas no estilo surfwear e tênis. Com eles, a tradicional Bíblia de capa preta e com letras douradas corre o risco, agora, de dar lugar à nova edição do livro sagrado.
- A Bíblia continua sendo um dos maiores best-sellers de todos os tempos. No Brasil, é o livro mais lido, segundo pesquisas. A "Bíblia do surfista" nasceu da necessidade de atender a um público jovem - explica Paulo Teixeira, desde 1994 como secretário de Tradução e Publicações da Sociedade Bíblica do Brasil, que publica atualmente 300 Bíblias diferentes em quatro traduções do textos originais.
Fundada em 1948, a Sociedade Bíblica do Brasil imprime 10 milhões de Bíblias por ano e exporta o livro sagrado para 104 países. No Brasil, só em 2009, a SBB distribuiu mais de 6 milhões de exemplares, superando em 300 mil a marca do ano anterior. Somente para jovens, a SBB lançou três tipos de Bíblias, um deles à prova d'água, em plastic paper, que pode ser usado na praia. É o processo de dessacralização do texto bíblico.
Além do Novo Testamento - que traz os textos bíblicos que são os pilares do cristianismo, e dos livros de Salmos e Provérbios, a "Bíblia do surfista" tem depoimentos de 18 atletas, entre os quais a americana Bethany Hamilton, que não desistiu do sonho de surfista mesmo após perder um braço num ataque de tubarão. Mandam bem ainda Jair de Oliveira, Tim Curran e Jojó de Olivença. No encarte com design de estilo pop e ilustrado com fotos de boas ondas, há também uma HQ sobre uma parábola dirigida a surfistas e inspirada no Evangelho de Marcos.

Globo/Notícias Cristãs

sábado, 4 de setembro de 2010

Mustaine -fala sobre sua autobriografia





Sean McCourt, do San Francisco Bay Guardian, recentemente conduziu uma entrevista com o líder do MEGADETH, Dave Mustaine. Alguns trechos da conversa podem ser conferidos abaixo.
Sobre sua autobiografia, "Mustaine: A Heavy Metal Memoir", recentemente publicada:
"Estou bastante animado, porque quando eu inicialmente resolvi escrever tudo isso, não foi para entrar para o 'clube do livro' da Oprah - embora agora que eu sei um pouco mais sobre livros, seria legal sentar no sofá dela e lhe contar um pouco da minha história".
"Essa história é basicamente no sentido de poder trazer alguma ajuda a outras pessoas e lhes dar um indicativo de que elas não são as únicas que passam por coisas difíceis - e que o que se tem a fazer nesses momentos é ajeitar a roupa e continuar perseverando."
Sobre o fato de não tentar glorificar ou exaltar os erros do passado no livro:
"Eu sempre quis falar a verdade às pessoas, sobre o que aconteceu ou estava acontecendo na minha carreira. Assim, elas não iriam simplesmente pensar que eu sou uma pessoa horrível. Mas eu me lembro quando meu filho ainda era apenas um garoto pequeno, nós fizemos o 'Behind The Music' para a VH1 e eu falei sobre crack - bem, meu filho um dia estava voltando para casa no ônibus da escola e os garotos um pouco mais velhos começaram a cantar 'Your dad's a crack head' insistentemente, até conseguir fazê-lo chorar. Aquilo foi doloroso."
Sobre todas as polêmicas com o METALLICA devido aos problemas nos primórdios da banda e sobre sua atual relação com os antigos colegas de grupo:
"Eu estive com eles agora na Europa, por um bom tempo, jantamos juntos e aquilo tudo foi muito bom. Eu estava lá, sentado à mesa com Lars [Ulrich] e James [Hetfield], e pensando o quanto era legal podermos estar juntos novamente. Estamos em bandas diferentes, mas o fato é que somos nós, aqueles três jovens caras do passado, com tudo o que realizamos, a forma como mudamos o mundo. Quero dizer, honestamente, hoje em dia você não pode assistir a um programa de televisão sequer onde não apareça alguma música que tenha de alguma forma sofrido influência daquilo que nós criamos. Estar apto a sentar ali, lado a lado com nossos irmãos, e sabendo que naquele local estavam presentes a nata do heavy metal americano, é um sentimento muito prazeroso."
"Minha relação com Lars e James já foi amplamente divulgada, publicada e polemizada. Então, eu cheguei até James e lhe disse, 'eu não quero tentar consertar a nossa relação antiga, seria como tentar arrumar as cadeiras no convés do Titanic. O que eu quero é construir uma nova relação com vocês', e eu acho que é isso que temos agora, uma nova relação. Isso é ótimo... e eu verei o cara novamente, quando estivermos passando com a 'American Carnage' tour em São Francisco."
Sobre o fato de poder falar a diferentes gerações de fãs e poder contar sobre o que já passou em sua vida:
"Uma das coisas que eu quero que o leitor saiba é que este livro não é algo que escrevi como uma coisa egoísta ou auto-indulgente. É apenas um material onde há muitas revelações e onde eu compartilho coisas da minha vida e da minha caminhada, além de mostrar como minha vida mudou de 2002 pra cá, quando me tornei cristão."
"Eu, de fato, passei por alguns momentos difíceis quando resolvi dizer que sou cristão, isso porque muitos cristãos são hipócritas e fizeram com que o Cristianismo pudesse parecer algo ruim a outras pessoas. Eu acredito em Deus e em Jesus Cristo, apenas isso, nada mais. Não quero empurrar essa fé goela abaixo de ninguém. Sendo um cara que leu a Bíblia Satânica e fez bruxaria, isso é algo bacana.
 
;