sexta-feira, 10 de dezembro de 2010 0 comentários

Banda ATHAR Divulga sua Primeira Single

A banda  de Metal core ou Metal /Hardcore  ATHAR da cidade de Campina Grande-PB
disponibilizou o download 
da sua  primeira Single!




Athar- Metalcore 
Campina grande-PB


O ATHAR surgiu em 15 de Setembro em 2009,na cidade de Campina Grande, PB.

Uma mistura de diferentes vertentes musicais formando assim um estilo no início voltado para o Death/Thrash metal.

Mas com o passar do tempo a banda foi passando por alterações musicais e hoje se enquadra no estilo Metalcore.

Com o intuito de passar para a galera um som mesclando peso, técnica e melodia e uma mensagem retratando fé,amor,esperança retratando o que acreditamos!

integrantes
Edy -bass
Welton-Guitar
Yuri-Guitar
Ramom-Drumms
Flávio-Vocal


contatos (83)87076985
Email -Edy.athar@gmail.com
Msn -Edy.athar@hotmail.com
God bless  all







sábado, 27 de novembro de 2010 1 comentários

JON FOREMAN (SWITCHFOOT): O QUE AS IGREJAS PODEM APRENDER COM OS BARES?

Por: Jon Foreman

Eu tenho tocado música nas igrejas e bares a vida toda. Em muitos aspectos, há muita semelhança nesses dois lugares.

Ambos os grupos dos “ajustados” estão à procura de sentido, realizando uma espécie de ritual, na esperança de encontrar um propósito, algo que extraia da dor algum sentido.

À primeira vista, a Igreja parece um lugar melhor para se procurar esperança do que o fundo de uma garrafa. Todos os dias, alcoolismo e vício de drogas destroem famílias, arruinam carreiras e naufragam comunidades. Por outro lado, as crenças teológicas e mal-entendidos foram responsáveis por divisões, divórcios e guerras ao redor do mundo. O problema com cada instituição está dentro de nós. É verdade, o álcool alimenta um fogo diferente do sentimento de piedade, mas nem bêbados  nem hipócritas parecem muito bons à luz do dia.

Nós levamos nossos problemas para a igreja da mesma maneira que carregamo-os para dentro de um bar – eles só reagem de forma diferente em cada lugar. Infelizmente, os pecados que existem dentro das paredes da Igreja são mais difíceis de detectar.

O orgulho, por exemplo, pode ser, incrivelmente bem escondido na comunidade religiosa. Eu raramente ouço as palavras “Eu não sei”, proferida na igreja. E, ainda assim, o trino Criador do tempo e do espaço será sempre envolto em mistério e santidade. Por que não começar no banco de humildade? Certamente todos nós temos conseguido algumas coisas erradas em nossas tentativas de cristianismo.

Não é o orgulho que causa divisões entre nós? Quando começamos a caluniar outros cristãos em nome de Deus, sabemos que estamos perdendo a noção. Será que as palavras de nosso Mestre está caindo em ouvidos surdos? “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei.” “Que eles sejam um, Pai, assim como nós somos um.” Esses pensamentos não são opcionais sobre como as coisas poderiam ser, mas sim pré-requisitos para uma vida que vai entrar no Reino dos Céus. A unidade é coisa séria. A Igreja é chamada a ser uma, como o Deus trino é um só. A salvação completa do nosso planeta é construída sobre a unidade final da Igreja e seu Deus: a noiva e seu Salvador.

Infelizmente, a unidade no seio da comunidade eclesial é a exceção, não a regra. É uma vergonha para nós que muitas dessas pessoas desesperadas estejam encontrando mais graça no bar local do que na igreja local. Quando falamos com raiva e fogo  que queima de forma diferente do ar fresco da cruz, fazemos um desserviço ao Evangelho. Nós sabemos que no fundo algo está errado. Então nos revoltamos contra os que fazem discursos inflamados. Nós dizemos que o método precisa mudar. Nós chamamos o modelo antigo irrelevante. E sim! O vento fresco do Espírito está pronto para explodir em cima de nós, vamos orar por novas línguas na mesma chama eterna.

E ainda que eu falasse as línguas dos anjos e dos homens, se não tivesse amor, de nada isso valeria. Se eu me levantar contra o clichê das camisetas cristãs e não tiver amor, isso não ajuda ninguém. Se eu odeio o ódio legalista, mas não tenho amor, nada se constrói. O inimigo nos enganou em uma nova forma de legalismo? Nosso julgamento não é tão errado quanto? Ah, nós podemos ter encontrado um caminho, mas isso não é amor.

Andando sob a fronteira entre bares e Igreja, eu fui mal interpretado por ambos os lados. Tenho certeza que você sentiu a mesma coisa: as pessoas jogam pedras em coisas que não entendem. Mas a pedra dói mais ainda quando ela vem de irmãos bem-intencionados, pessoas que, supostamente estão cheios do amor de Cristo. Nossa reação instintiva é de revidar, se defender. E o ciclo começa novamente. Olho por olho, dente por dente. Deus vai cuidar do cisco no olho do meu vizinho. Quanto mais eu tenho fé em Deus e sua voz forte, menos eu tenho que gritar. Quanto mais eu tenho fé nele, mais livre minhas mãos se tornam para servir os que me rodeiam.

Lavar os pés não é um crédito extra. Somos chamados a suportar as cargas uns dos outros. A unidade é uma conquista milagrosa, mas está pendendo para este lado da sepultura. A unidade é o trabalho transformador do poder da cruz em nossas vidas. Nossas diferenças são mínimas. Olhe de um jeito diferente para cruz. Veja o quanto Ele o ama. Veja Sua entrega, Seu sacrifício. A unidade entra em foco somente quando percebemos a magnífica graça do Salvador.

Vamos reconhecer nossa necessidade, nosso belo desespero. Sim, a nossa irresponsabilidade, dor, miséria, é um pré-requisito para o bálsamo da salvação. Nós, o povo, os fracassados, os perdedores, os de fora, nós encontramos o nosso rei. Cristo, o Rei dos tolos, o Senhor dos doentes, das almas perdidas como nós. Vamos permanecer em contínuo temor ao amor que temos demonstrado. E vamos amar! Vamos celebrar o amor imprudente de quem arriscou tudo o que podia, para que pudéssemos ser amados. E vamos seguir o caminho de um Deus que nos ama. Os cobradores de impostos e rabinos. As prostitutas e os Saduceus. Nos bares e nas igrejas. Sim, Deus ama até mesmo os cristãos.

Fonte: Relevant Magazine
Tradução: Solomon
Via: Guia-me
sexta-feira, 26 de novembro de 2010 0 comentários

Haste the Day - Anuncia o seu fim em 2011


Depois de dez anos na estrada o quinteto Haste The Day anunciou que estará encerrando as atividades em 2011. A notícia foi dada pelo baixista do grupo Mike Murphy, único integrante da banda que está desde a sua formação. Confira abaixo a declaração que Murphy publicou no site oficial da banda:
“É muito dificil falar isso, mas o Haste The Day fará sua última turnê entre os meses de Fevereiro – Março 2011. Foram 10 anos incríveis e eu gostaria de agradecer aos nossos fãs que estiveram do nosso lado durante as mudanças e o crescimento da banda. Essa banda seria nada sem vocês. Há uma série de motivos que podem explicar o fim da banda, mas acima de tudo isso, sentimos que criamos as melhores músicas que poderíamos criar e acreditamos que esta é a hora de seguir para o próximo passo nas nossas vidas. Eu lembro quando essa banda começou há uma década atrás, queríamos ser igual as outras bandas da Solid State/Tooth & Nail que a gente cresceu idolatrando. Queríamos usar a nossa paixão pela música pesada e o amor que Deus colocou em nós para iluminar a cena underground; falando para as pessoas que elas são amadas, importantes, perdoadas independente do que fizeram, e capazes de usarem os seus dons para os outros homens. Eu nunca imaginei que iriamos lançar cinco full-lengths, turnês pelo mundo, e desenvolver tantos relacionamentos significantes com pessoas que foram aos shows. Sem o seu apoio, isso não seria possível.
A turnê 12 Days of Christmas acontecerá em cidades onde não vamos passar na nossa última turnê, portanto, compareçam aos shows para se despedir da gente. A nossa última turnê será fantástica, estamos levando conosco nossos amigos do My Children My Bride, The Chariot e A Plea For Purging pelos EUA e Canadá. Vamos tocar músicas de todos os nossos álbuns, inclusive todas as favoritas dos fãs, músicas que raramente tocamos, e outras só para vocês implorarem para a gente continuar. Eu não tenho nenhuma dúvida de que esta será a melhor turnê que já fizemos, mal podemos esperar pela hora de ver todos vocês, para nos despedirmos.
Amamos vocês, muito obrigado por tudo que fizeram por nós, e não vemos a hora de nos encontrarmos por uma última vez em 2011! Gostaríamos de pedir para que cada um continue queimando aquela chama interna para mostrar ao resto do mundo!
Muito amor para todos vocês,
Mike Murphy & Haste The Day”
quinta-feira, 25 de novembro de 2010 0 comentários

IV- BolaCore

ai Galera esse evento Underground que acontece no Bola de Neve Church
na Cidade de Campina grande  que tem o obejtivo de levar a Palavra de Deus
ao meio underground !
em 1 ano de Evento já está na IV edição pra Glória de Deus!
Esse evento irá contar com as bandas

Skkip-Hc (NATAL)
Ecum -PopPunk -(NATAL)
ATHAR -METALCORE (PARAÍBA)
então vamos prestegiar e ser abençõados!!




segunda-feira, 22 de novembro de 2010 3 comentários

igreja evangélica -Proibi o uso do USB!

Para seguidores de um culto no estado de São Paulo, tecnologia


A tecnologia USB foi proibida em um templo no interior de São Paulo. O
líder do culto afirma que o símbolo padronizado para representar o USB é
parecido com um tridente, e por isso seria um artifício do Demônio.

Welder Saldanha, fundador do templo, vetou a utilização para aqueles 
que seguem seus ensinamentos. "O símbolo disso (ele se recusa a 
pronunciar o nome da tecnologia) é um tridente, que é usado para 
torturar as almas que vão para o inferno. Isso mostra que todos os 
usuários dessa tecnologia são adoradores do Satã" – afirma ele.

Para acalorar ainda mais a polêmica, o pastor ainda explicitou que o 
Bluetooth seria algo divino. Por quê? Porque o seu símbolo é azul, “a 
cor dos olhos do nosso salvador Jesus Cristo”, completa Saldanha. Pelo 
menos as pessoas que vão ao templo ainda têm uma forma de trocar dados, 
não é mesmo?
Fonte: fonte

Sinceramente galera eu não sei onde vai parar a igreja evangélica brasileira
USB coisa do capeta???ha vá catar coquinho manoo ¬¬'
temos de tudo hoje em dia sex chop gospel,usb do capeta,filme porno gospel..
sinceramente tenho orgulho de não ser mais  evangélico!
sou Protestante!Graças a Deus por isso!
enfim...
Sola Scriptura!
sexta-feira, 19 de novembro de 2010 1 comentários

Stryper - divulga a capa de novo álbum


A banda Stryper acaba de divulgar a capa de seu novo álbum The Covering , confira abaixo. Informações http://www.stryper.com

As músicas presentes no álbum são:
01. SWEET - "Set Me Free"
02. SCORPIONS - "Blackout"
03. BLACK SABBATH - "Heaven and Hell"
04. UFO - "Lights Out"
05. KANSAS - "Carry On Wayward Son"
06. DEEP PURPLE - "Highway Star"
07. KISS - "Shout It Out Loud"
08. OZZY OSBOURNE - "Over The Mountain"
09. Iron Maiden - "The Trooper"
10. JUDAS PRIEST - "Breaking The Law"
11. VAN HALEN - "On Fire"
12. LED ZEPPELIN - "Immigrant Song"
13. God


Fonte: Metal Land
quinta-feira, 18 de novembro de 2010 0 comentários

Uma breve reflexão sobre a perseguição aos evangélicos no Brasil


As primeiras informações que retratam de forma efetiva a perseguição religiosa no Brasil se remota a 1557, quando os huguenotes (calvinistas franceses) chegaram ao Rio de Janeiro  com o propósito de ajudar a estabelecer um refúgio para os calvinistas perseguidos na França.

Em 10 de março de 1557, os protestantes franceses celebraram o primeiro culto evangélico do Brasil e no dia 21 de março celebraram a primeira Santa Ceia. Todavia, pouco tempo depois Villegaignon entrou em conflito com as calvinistas acerca dos sacramentos e os expulsou da pequena ilha em que se encontravam.  Alguns meses depois, os colonos reformados embarcaram de volta para a França. Quando o navio ameaçou naufragar por excesso de passageiros e por ter pouca comida, cinco deles resolveram  regressar.  Esses cinco se sacrificaram em favor dos seus irmãos na fé. Assim que chegaram em terra foram presos: Jean du Bordel, Matthieu Verneuil, Pierre Bourdon, André Lafon e Jacques le Balleur. Pressionados por Villegaignon, foram obrigados a professar por escrito sua fé, no prazo de doze horas, respondendo uma série de perguntas que lhes foram entregues. Eles assim o fizeram, e escreveram a primeira confissão de fé na América, sabendo que com ela estavam assinando a própria sentença de morte. Essa maravilhosa declaração de fé é conhecida como a "Confissão de Fé da Guanabara" (1558). Em seguida, os três primeiros foram mortos e Lafon, o único alfaiate da colônia, teve a vida poupada. Os mártires do evangelho foram enforcados e seus corpos atirados de um despenhadeiro. Balleur fugiu para São Vicente, SP, foi preso e levado para Salvador (1559-67), sendo mais tarde enforcado no Rio de Janeiro, quando os últimos franceses foram expulsos.

Quase 100 anos depois, os holandeses criaram a Companhia das Índias Ocidentais com o objetivo de conquistar e colonizar territórios da Espanha nas Américas, especialmente uma rica região açucareira: o nordeste do Brasil. Em 1624, os holandeses tomaram Salvador, a capital do Brasil, mas foram expulsos no ano seguinte. Finalmente, em 1630 eles tomaram Recife e Olinda e depois boa parte do Nordeste.  Neste periodo João Maurício de Nassau-Siegen, que governou esta região entre 1637 a 1644,  concedeu uma boa medida de liberdade religiosa aos residentes católicos e judeus.  Sob os holandeses, a Igreja Reformada era oficial. Foram criadas vinte e duas igrejas locais e congregações, dois presbitérios (Pernambuco e Paraíba) e até mesmo um sínodo, o Sínodo do Brasil (1642-1646). Mais de cinquenta pastores ou "predicantes" serviram essas comunidades. A Igreja Reformada realizou uma admirável obra missionária junto aos indígenas. Além de pregação, ensino e beneficência, foi preparado um catecismo na língua nativa. Outros projetos incluíam a tradução da Bíblia e a futura ordenação de pastores indígenas. Em 1654, após quase dez anos de luta, os holandeses foram expulsos, transferindo-se para o Caribe. Os judeus que os acompanhavam foram para Nova Amsterdã, a futura Nova York.

 Desde então, não se sabe de relatos de cultos protestantes no Brasil. No entanto,  com a chegada da família real a terras tupiniquins e com a abertura dos portos  as nações amigas,  as confissões protestantes começaram paulatinamente a chegar ao país. Os Anglicanos chegaram em 1811, os luteranos em 1824, os Congregacionais em 1855, os presbiterianos em 1859, e  os batistas em 1871. Todavia, em virtude da constituição de 1824 outorgada por D. Pedro I, que afirmava ser o catolicismo romano a religião oficial do Brasil, os protestantes não possuiam direito a cultos públicos em lingua portuguêsa, além é claro de não terem permitidos a construção de templos com aparência religiosa.

Já no governo de  Dom Pedro II , (mesmo o imperador possuindo uma grande simpatia pelos protestantes), não era nada fácil afirmar publicamente a fé nos pressupostos cristãos, mesmo porque, a religião oficial do Estado imprimia  forte perseguição religiosa aos evangélicos.

Com a Proclamação da República, o Estado Brasileiro deixou oficialmente de ser Católico Romano permitindo assim com que os protestantes tivessem direito a culto. Todavia, como não poderia deixar de ser, a maioria da população ainda desenvolvia um significativo preconceito para com aqueles que se diziam cristãos protestantes. A consequência direta disso foi a  aniquilação de  inúmeras templos evangélicos, que de forma covarde foram  destruidos pelo fogo. Dentre estes, encontra-se a 1ª  Igreja Batista de Niterói, que em 14 de abril de 1901, teve  seus móveis, púlpito, pertences e diversos utensílios queimados em plena rua, além de sua sede destruída.

Durante a primeira metade do século XX, os crentes em Jesus foram estigmatizados e denominados pelo clero romano como hereges sofrendo por conseguinte ofensas morais, onde atributos pejorativos lhes eram destinados. Junta-se a isso, o fato de que muitos por causa da sua  crença sofreram no corpo agressões físicas por não professarem a fé dos sacerdotes romanos. Na segunda metade do século XX a perseguição se deu de forma velada mediante os meios de comunicação que a todo custo vendiam a sociedade brasileira a imagem de uma igreja burra, ignorante e manipuladora da fé alheia.
Caro leitor, a constituição de 1988 nos garante liberdade de fé e religião.  O artigo 5º da Carta Magna diz que ´"É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias." Todavia, os cristãos evangélicos correm o risco de sofrerem novas perseguições substanciais em virtude do projeto de lei 122 que tramita na Congresso Nacional que se aprovado irá criminalizar àqueles que  manifestam suas opiniões religiosas contrárias ao casamento gay.

Vale a pena ressaltar que a fé protestante não defende a homofobia. Na verdade, nós cristãos-evangélicos somos contrários a todo tipo de violência física condenando veementemente aqueles que atentam contra a vida de quem quer que seja. Todavia, acreditamos também que possuímos o direito irrevogável e constitucional de expor publicamente nossa fé conforme claramente afirma a nossa carta magna.

Isto posto, oro ao Senhor nosso Deus que estenda a mão sobre o Brasil livrando a sociedade brasileira de uma lei que sem sombra de dúvida promoverá mais uma severa perseguição religiosa no Brasil.

Soli Deo Gloria,
Renato Vargens
sábado, 30 de outubro de 2010 0 comentários

ATHAR - Download da SINGLE

A banda  de Metal core ou Metal /Hardcore  ATHAR da cidade de Campina Grande-PB
disponibilizou o download 
da sua  primeira Single!




Athar- Metalcore 
Campina grande-PB


O ATHAR surgiu em 15 de Setembro em 2009,na cidade de Campina Grande, PB.

Uma mistura de diferentes vertentes musicais formando assim um estilo no início voltado para o Death/Thrash metal.

Mas com o passar do tempo a banda foi passando por alterações musicais e hoje se enquadra no estilo Metalcore.

Assim se formou o ATHAR com o intuito de passar para todos um som mesclando peso, técnica e melodia retratando o que sentimos e acreditamos!

integrantes
Edy -bass
Welton-Guitar
Yuri-Guitar
Ramom-Drumms
Flávio-Vocal


contatos (83)87076985
Email -Edy.athar@gmail.com
Msn -Edy.athar@hotmail.com
God bless  all








quarta-feira, 20 de outubro de 2010 0 comentários

Entrevista com a grande banda -> As i lay dying



Nome do entrevistado:
Tim Lambesis 
Nome da Banda:
As I Lay Dyng 
Data da entrevista:
08/10/2010 




Entrevista:
As I Lay Dyng é definitivamente A BANDA do momento na cena metal mundial, embora ainda seja praticamente ignorado pela mídia especializada no Brasil (perseguição quanto à ideologia da banda?). Aquilo que começou como uma despretenciosa banda cristã de garagem tornou-se um verdadeiro"monster of rock"  com shows concorridos onde se vê perambulando pelo backstage gente como Zack Wilde e Rob Halford, assim como tantas outra bandas que sairam da obscuridade para o brilho do reconhecimento público. O que chama a atenção para a banda é justamente o fato deles alardearem abertamente sua ideologia de vida, ou seja, o cristianismo. Quando digo ideologia de vida, tenho certeza que os puristas irão me malhar, mas o fato é que o AILD não soa e nem quer soar como banda religiosa, ou "gospel". A mensagem embutida em suas letras, em sua maioria do vocalista Tim Lambesis, não faz apologia de religião, mas incita as pessoas a pensarem no cerne da mensagem do Evangelho como resposta para as dores existenciais. Isso passa longe da resposta religiosa, mas algo prático que pode ser vivido dia a dia, sem as cobranças e culpas do cabresto do discurso religioso. De fato, as letras de Lambesis são do tipo "cabeça" e induzem à reflexão sobre a origem das "dores" da alma humana e dos desvios da sociedade e muitas delas realmente dariam um "nó" mental no religioso de plantão. Isso, juntamente com a comprovada competencia da banda para golpear os ouvidos dos fanáticos por som extremo, fazem da banda um dos maiores conceitos do cenário.


Essa entrevista rolou no jornal eletrônico L.A. Weekly e  foi reproduzido no site oficial da banda. Repercuto a matéria na íntegra aqui, pois é sempre bom falar de gente que está remando contra maré do mundo e ressoando integridade e bom-senso sem soar piegas ou com aquele discurso datado cheirando vela. Aí vai então, para os aficcionados, como eu, no monstruoso As I Lay Dyng:
LA Weekly: Conte-nos sobre o seu lugar preferido em LA para togar, e como era a cena metal  proveniente de San Diego . Quais foram algumas das bandas underground que te inspiraram?
Tim Lambesis: Nós temos togado por  todo o sul da Califórnia, com shows e turnês, abrindo para bandas. Nós geralmente têmos tido muita diversão na Wiltern, esse lugar é incrível, cada show tem tido uma grande multidão. Um dos nossos primeiros grandes shows em Hollywood foi no Avalon, em 2005, e foi incrível. Surpreendeu-nos saber que o show já estava sold-out (esgotado), e que foi um dos melhores shows que já tocamos. Foi um grande marco para nós.
Quanto à cena de San Diego, honestamente, não foi uma cena metal tão grande, era mais conhecida por punk e hardcore. Logo quando começamos, éramos uma banda impar , nunca nos encaixamos em apenas uma categoria, mas este é o lugar onde ficamos marcados com todo o "metal core" da cena. Mas para citar uma influente banda de San Diego, eu teria que dizer No Innocent Victim . Eles influenciaram-nos como uma banda, do jeito que eles fizeram o negócio e levantaram-se por aquilo em que acreditavam.
L.A. Weekly - Conte-nos sobre o mais recente álbum da banda, The Powerless Rise, que foi lançado em Maio pela Metalblade. Dê-nos alguns dados sobre o que este álbum tem a mostrar e aquilo que os fãs podem esperar do seu set list?


Tim Lambesis: Bem, cada música tem sua própria maneira, mas a imagem maior é de uma maneira melhor de vida em geral. Isto pode significar um estilo de vida oposto ao que a sociedade vê como importantes ou poderosos, como o materialismo, e lucro.A mensagem é viver uma vida mais simples em uma comunidade que permite que todos tenham uma vida muito mais livre da corrupção, da ganância. Quanto ao nosso set list, tentamos equilibrar as coisas, e anda que estejamos realmente orgulhosos de nossas novas músicas, continuamos a escolher a maioria das velhas músicas, que jogamos entre um punhado de novas ...
L.A. Weekly -Vocês não consideram AILD uma banda cristã, mas todos vocês são cristãos professos. Como a vida na estrada afeta a sua religião? Tocando em uma banda de metal, você já encontrou alguma hostilidade com bandas que não compartilham suas crenças, e em alguns casos, são anti-cristãos?
Tim Lambesis: Bem, nós não necessariamente vamos à igreja enquanto estamos em turnê, veja bem, tem certas em que eu sou tradicional, quando se trata de minha religião, outras coisas não muito. Para nós, a Igreja não é só um edifício, mas mais sobre como se manter em contato com sua fé, família e amigos, e desenvolver essa relação espiritual com Deus. Felizmente estar na estrada não me afasta do meu habitat natural, é apenas uma parte da vida ao  fazer o meu trabalho com a banda, e até agora tem sido fácil.  E, yeah, para outras bandas, a maioria não se importa que somos cristãos ou fazem qualquer questão sobre issso. O que acontece é que às vezes, outras bandas, podem não ter uma chance de nos conhecer e podem nos julgar, mas em geral nunca tivemos quaisquer problemas com  nossa religião e qualquer banda death ou de black metal.


L.A.Weekly - Conte-nos sobre esta nova turnê na América do Norte, chamada "The Cool Tour". Apresentando Between Buried and Me, The Strain Acacia, Underoath e muitos mais. Você está animado sobreas bandas nesta turnê, e o que é esse nome de ´Cool Tour?


Tim Lambesis: Até agora está indo muito bem, tivemos uma explosão em todos os shows. Este line-up é tão diverso que mantém as pessoas interessadas e ainda sob a égide da música pesada. Para nós, que realmente gostamos de assistir Between Buried and Me, ver a musicalidade que esses caras têm é incrível!
E, yeah, com o nome, haha, eu sei que fizemos as nossas piadas sobre isso, os promotores escolheram e nós fechamos com eles. Mas no final, cada show é num local fechado com ar condicionado, de modo que, tecnicamente falando, com o calor do verão é realmente um cool ´tour´ (cool = legal, refrescante,calmo, refrigerado)!
L.A. Weekly:Você estão por aí em torno de 10 anos e não mostram nenhum sinal de abrandamento. Onde você vê AILD daqui a dez anos?
Tim Lambesis: DA maneira que eu vejo, eu realmente não acho que há muita necessidade de alterar o ciclo da forma como fazemos as coisas. Compor novos álbuns e tours em seguida, voltar-se e repetir tudo novamente, se necessário. É definitivamente o suficiente para nos manter mais uma década forte!
L.A.Weekly - Obrigado pelo tempo dispensado para esta entrevista, os comentários finais para os fãs?
Tim Lambesis: Não tem problema, foi um prazer. Mantenha contato com a gente no Twitter, Facebook e no resto, e também, não seriamos nada sem os nossos fãs e amigos, aqueles que nos apoiaram desde o primeiro dia. Certifique-se de nos pegar em turnê em uma cidade perto de você!


FOnte: Trichera Espiritual
segunda-feira, 11 de outubro de 2010 5 comentários

Mudança no evangelho ?o que aconteceu?



Acho que o evangelho está muito diferente, as músicas em geral não estão mais
falando de temas como arrependimento, Deus no centro de tudo, etc, etc, mas o que vejo é só vitória, declare a benção, como se o Senhor fosse obrigado a isso, somos servos não podemos impor a Deus nada, Ele já fez o suficiente.
*O que vejo é uma modinha dentro da igreja, evangelho da prosperidade,
os irmãos cada vez mais egoístas, logo nós que deveriamos ser conhecidos pelo amor, isso não falo nem com os que não são cristãos, mas falo com os da propria igreja, que todos os fins de semana estão sentados ao nosso lado, e até moram perto, ninguém ora por ninguém, ninguém vai na casa de ninguém, ninguém renuncia a si mesmo pe
*o irmão.somos a comunidade mais desunida da terra,os membros de todas as religiões e seitas são mais unidos do que nós.

*Saímos da igreja, ouvimos uma palavra boa, e na segunda feira  volta tudo ao que era antes, falamos de missões, mas e os irmãos que estão perto de nós? Eu não sei para onde o evangelho está indo, ore para que isso mude, quem sabe com a perseguição o evangelho de verdade flua, e volte a ser como era em Atos...
*Se você pensa da mesma forma, então faça sua parte, abra os olhos dos que estão ao seu redor.


Yuri Andrerson 
guitarrista da banda Athar

Soli Deo glória
0 comentários

Kim do CATEDRAL fala sobre novo CD e sobre polêmica do passado

Vem ai mais um CD da Banda Catedral! “Pedra Angular” é um CD especial que marca o fim de alguns ciclos! Não só na gravadora Line Records {da qual temos um imenso carinho e levaremos esse sentimento no peito para onde formos} onde tivemos {Catedral e Kim} “um período realmente vitorioso” com uma média de vendas “invejável para o segmento pop/rock” de quase 90 mil unidades/ano.

Mas também de “um ciclo de resgate de um trabalho” que foi muito injustiçado e tolhido no passado. Mais uma vez a Banda Catedral mostra a sua conduta profissional e deixa clara a sua mensagem de “99/2000” quando ampliou seus horizontes musicais de forma digna e correta para o mercado popular em uma atitude até então inovadora dentro do mercado gospel.
A música da Banda Catedral é Para Todo Mundo porque sempre foi e sempre será assim! Essa liberdade musical que temos hoje de criar o que quisermos e de cantar o que o nosso coração mandar é inegociável! Deus nos deu o talento natural e nós levamos isso muito a sério. Nosso compromisso é com a qualidade e com o conteúdo musical! Com a arte e com a cultura e será assim dentro da nossa carreira para todas as pessoas,, independente de religião, raça, classe social e etc. Catedral é isso: sempre uma revolução!
Mesmo assim gostaria de salientar a atitude da Banda com seu trabalho, sempre valorizando suas fases e o seu conteúdo no geral! A Banda Catedral NUNCA negou a sua origem e MUITO MENOS menosprezou a sua obra. O que aconteceu foi o contrário e vou provar isso claramente nesse pequeno texto.
Pedra Angular vem numa espécie de “Atemporal volume 2” {com o diferencial de ter seis músicas inéditas} marcar como já disse anteriormente o fim de um ciclo de regravações! De um esforço comprometido da Banda de recolocar “grande parte do seu importante repertório de sucessos” a disposição de seu querido público!

E a Banda Catedral mais uma vez conseguiu isso, graças a Deus e a vocês! E tudo começou antes mesmo de sermos atingidos tão covardemente! Isso mesmo, no CD Para Todo Mundo com as regravações de O Silencio e Todos os dias já dávamos esses sinais transparentes da nossa real intenção. Ali a mensagem estava bem clara e só não entendeu quem não queria mesmo, pois na verdade a intenção de certas pessoas era outra...

Era de prejudicar diretamente a Banda. Tentaram de verdade e conseguiram nos atingir fortemente em nossos corações e em nossas vidas. Se fosse qualquer outro artista acho que teriam conseguido tudo o que planejaram. De uma hora pra outra ficamos {Catedral e Kim} sem 11 matrizes/trabalhos! Nosso padrão de vida mudou completamente! Tivemos praticamente que recomeçar! Mas nós somos a Banda Catedral e somos alicerçados simplesmente Pela Pedra Angular! Quem será contra nós? Gostem ou não! Essa é A Verdade!

Pois bem, nossa carreira seguiu, a mágoa e o rancor diminuíram, passaram com o tempo, os CDs seguiram com êxito, com sucessos e as regravações idem. Em “Acima do Nível do mar”, “A resposta de 1 desejo”, no “projeto Janelas da Catedral 1”, no CD “Atemporal”, no relançamento de “Esta Consumado”, na coletânea “O melhor do início” e no “Projeto Ao Vivo 20 anos Na Estrada”. Sempre com músicas que marcaram toda a nossa história dentro do mercado gospel! Nós temos muito orgulho de tudo que vivemos e sempre mostramos isso com os nossos trabalhos, só não via isso quem não queria, reafirmo sem pestanejar!

É claro que com tudo que sofremos ficamos chateados, diria até transtornados em alguns momentos e tivemos reações às acusações levianas que sofremos, principalmente naquele episódio ridículo “daquela entrevista fajuta, deturpada e louca” que alguns acreditaram e divulgaram somente com intuito de nos prejudicar!
Porque hoje analisando friamente “é simplesmente inaceitável alguém em sã consciência acreditar em uma baboseira daquelas!”. Mas enfim, como já disse isso são águas passadas... Já foi e o passado não importa, até porque ele já foi corrigido até pela nossa justiça! E será de novo e de novo! Não tenho duvida! Hoje quero apenas paz em meu coração, nada mais...
Pois bem, Pedra Angular vem de uma maneira especial sustentar de vez e divulgar aos quatro ventos uma realidade que muitos ainda não queriam enxergar, mas que já existia desde 2000: nós não temos preconceitos e nem fronteiras! Nossa música é universal e atemporal! Sempre foi extremamente popular no sentido de ser para todos! E sempre será!

Não devemos nada a ninguém e muito menos temos que dar quaisquer explicações a A ou B! Somos diferentes graças a Deus! Seguiremos a nossa trilha com a mesma singularidade e coragem! Faremos os CDs que quisermos fazer! Nosso compromisso não é com rótulos e NUNCA mais será! Nosso compromisso é com o nosso coração, é com o nosso dom, com a nossa música, é com o nosso Deus!
O CD já está disponível nas lojas e no site da Line Records. Para mais informações sobre a banda e os lançamentos acesse www.bandacatedral.com.br ou www.linerecords.com.br .
Fonte: KIm Blog
sexta-feira, 8 de outubro de 2010 0 comentários

III Bolacore- Dia 23 de outubro

Ainda tem outra banda a confirmar sua presença
nesse grande evento!
esperem um pouco e saberam...
God bless all
Edy
domingo, 26 de setembro de 2010 0 comentários

Novas sobre o Antestor

O nórdico ANTESTOR finalmente deu entrada no estúdio para a gravação de seu primeiro álbum após o retorno.
 Ronny informou que o som estará mais agressivo e com mais elementos folclóridos noruegueses.
 O grupo também estará se apresentando também pela primeira vez após o retorno no Nordic Fest
 em Outubro em Oslo, capital. Em breve, myspace. A formação atual conta com Lars Stokstad 
(guitarra, sintetizadores e vocais limpos), Ronny Hansen (vocais e letras), Thor Georg Buer (baixo)
 que também é membro do GRAVE DECLARATION, Jo Henning Børven (bateria), Robert Bordevik 
(também membro do VARDOGER) e Nickolas Main Henriksen (teclados). 
Confira um teaser do novo material:
Sobre o MySpace oficial, está em construção:www.myspace.com/antestorofficial
Confira uma entrevista com a banda na edição do EXTREME BRUTAL DEATH#20.

Fonte: Rock White 777
0 comentários

David Ellefson-Música é uma reflexão do Espírito Santo fluido



Shannon Joy, do "LA Music Blog", entrevistou o baixista do Megadeth (David Eleffson). Seguem trechos da conversa.

LA Music Blog: Você acha difícil manter-se sóbrio durante as turnês?

Ellefson: Não. A dificuldade foi fazer a escolha e deixar essa vida pra trás. Eu não queria mais ser um viciado e drogado, mas eu também não sabia que eu queria uma vida totalmente limpa e sóbria. Eu tinha uma visão errada desse "estilo de vida sóbrio", eu achava muito sem graça e inocente. Quando você está vindo das trevas e do decadente mundo das drogas e álcool, a vida de cara limpa não parece muito boa [risos]. Mas quando eu finalmente fiz a escolha eu me senti abençoado e pensei "Isso é ótimo". Felizmente eu consegui manter a disciplina durante a vida e eu não tive mais pensamentos obsessivos e tentações que me levassem a retornar e ser como era antes. É interessante, uma das coisas mais difíceis pra mim ao compor o material do "Rust in Peace" era a dor causada pelo aço das cordas do baixo (justamente por eu estar saindo das drogas que me anestesiavam de qualquer sofrimento). Era muito doloroso e eu pensei "Oh, Deus, eu não sei mais se eu quero tocar". Esse pensamento me assombrou durante algum tempo, pensar que eu não poderia mais tocar era péssimo, então eu pensei na minha infância com 11 anos, onde tudo começou... Eu era jovem, tinha 11 anos e não tinha nada a ver com "Sexo, Drogas e Rock"n Roll". Lembrei que eu tocava porque simplesmente amava a música, eu adorava agitar nos shows. Esse era um pensamento inocente e que me trazia um grande bem-estar. Então eu me mantive firme nessa visão para voltar a ter inspiração, como era no começo. Isso me deu muita força durante a desintoxicação. Então, depois disso tudo eu voltei a ter muito prazer em tocar novamente.

LA Music Blog: Qual foi a importância da sua fé para manter-se livre do álcool?

Ellefson: A fé é tudo. É ela que me dá forças para manter esse estilo de vida. Eu sei que é meio esquisito um cara do metal, como eu, falar tanto em Deus e nessas coisas. Mas esse é o caminho, ter muita fé. Eu cresci numa família boa, num ambiente ótimo. Quando eu comecei a beber/usar drogas e frequentar festas, essa atitude não somente me afastou da minha fé, mas também estava destruindo meus sonhos de ser um músico de Rock. Essa é a verdadeira face das drogas e do álcool, essas coisas não fazem o Rock melhor, na verdade o destroem. É muito engraçado e irônico, aqui estamos nós com a turnê do "Rust in Peace", tocando essas ótimas músicas, nos divertindo muito. Durante todo esse tempo eu estive cultivando a minha fé e tentando ser uma pessoa melhor, eu realmente me envolvi muito nisso tudo, iniciei o "Mega Life Ministries" em Scottsdale e estive envolvido em muitas outras coisas. Quando estávamos gravando o "Risk" em Nashville, um pastor de Scottsdale me perguntou se eu poderia me sentar com ele durante um culto e tocar alguma coisa. Uma parte de mim pensou "Fala sério, isso é vergonhoso", a outra parte disse "Qual o problema de ler algumas tablaturas?" [Risos]. Então eu comecei a tocar e tudo isso ampliou meus horizontes, é como se a minha fé se tornasse cada vez maior e mais forte a cada dia. E essa fé só me tornou um músico melhor, eu sinto que quanto mais eu desenvolvo a minha fé, melhor músico eu me torno. Eu percebi que a fé sempre deve estar em primeiro lugar e as notas fluem naturalmente através dela.

LA Music Blog: Com tudo isso em mente, você acredita que a sua música agora é uma reflexão direta da sua fé?

Ellefson: A música em si é um tipo de reflexão do Espírito Santo fluindo através de você. Eu odeio soar como um maluco religioso aqui, eu não quero que pareça isso. Quando eu vivia drogado e tocava não havia música, pois não havia nada vindo dentro de mim, nada mesmo. Tudo funciona como se você fosse um canal para a música, por isso eu admiro tanto as pessoas que possuem esse talento musical. O Dave [Mustaine] pega a guitarra e um riff simplesmente aparece, do nada, e eu penso "Porra", como ele teve essa ideia? Soa tão simples, e eu sempre admirei isso nele. Então, se você toca Metal ou qualquer outro tipo de música, é simplesmente fascinante quando você vê a habilidade da pessoa em canalizar a música através de si. É uma admiração que eu tenho. Quando eu componho meu material, muitas vezes eu penso "Nossa, de onde veio essa ideia? Simplesmente fluiu através de mim."

Fonte desta matéria: 
Whiplash
quarta-feira, 22 de setembro de 2010 0 comentários

AKIRA-ÉPIC/POWER METAL

AKIRA - Uma ótima banda da cidade de Campina grande
 indicação por Bruno ..

Banda Cristã  de Épic/Power metal com influências de Rhapsody of fire
     vale a pena conferir!
God bless all




Batalha espiritual
download

Fonte de Vida
download
terça-feira, 7 de setembro de 2010 0 comentários

Bíblia do surfista' chega com Salmos, Provérbios e um encarte com depoimentos de atletas profissionais !


RIO - Muito antes de o rei polinésio Tahíto inventar o surfe no Havaí, consta que Jesus Cristo foi o primeiro surfista porque, segundo relato no Evangelho de Mateus, andou sobre as águas, assustando até seus próprios discípulos. Com certeza, não os assustaria se eles fossem surfistas. O episódio deu origem ao nome de uma ONG evangélica, a Walking on Water (Andando sobre a Água), com sede na Califórnia, e parceira, no Brasil, da Missão Surfistas de Cristo (MSC), que reúne atletas que acreditam que Jesus não só andava sobre as águas como, sendo filho de Deus, controlava o tamanho das ondas. U-hu! Pois a tribo de surfistas cristãos está exultante com a "Bíblia do surfista" - uma edição do Novo Testamento, Salmos e Provérbios com a Nova Tradução na Linguagem de Hoje (uma adaptação contemporânea do texto bíblico), que tem um inédito encarte com depoimentos de surfistas cristãos num projeto gráfico que não fica a dever nada a nenhuma revista especializada em surfe.
A "Bíblia do surfista" é uma publicação da Sociedade Bíblica do Brasil - entidade que há 62 anos imprime Bíblias no país - em parceria com a Missão Surfistas de Cristo, que desde 1989 reúne atletas cristãos e divulga a fé evangélica entre os praticantes do surfe. Metade da tiragem de 20 mil exemplares foi financiada por doações de surfistas e adeptos de igrejas evangélicas sintonizados com o estilo de vida da galera que curte o mar, as ondas e a adrenalina.
- O surfista tem um coração sensível à fé por causa de seu contato com a natureza, obra da criação divina - ressalta o veterano surfista Chico Paioli, "jovem de 52 anos", três vezes campeão brasileiro de surfe na faixa acima dos 50 anos.
Chico também foi técnico de Jairzinho de Oliveira e Jojó de Olivença, bicampeão nacional na década de 90. Pioneiro do esporte nas águas brasileiras, Chico é um dos que dá na "Bíblia do surfista" o depoimento de sua conversão ao cristianismo, em 1979.
Ele conta que aumenta a cada dia o número de surfistas que aderem às práticas evangélicas, sobretudo em São Paulo e no Rio, onde a Igreja Bola de Neve, na Barra da Tijuca, tem um púlpito em forma de prancha de surfe e reúne fiéis de bermudas, camisas no estilo surfwear e tênis. Com eles, a tradicional Bíblia de capa preta e com letras douradas corre o risco, agora, de dar lugar à nova edição do livro sagrado.
- A Bíblia continua sendo um dos maiores best-sellers de todos os tempos. No Brasil, é o livro mais lido, segundo pesquisas. A "Bíblia do surfista" nasceu da necessidade de atender a um público jovem - explica Paulo Teixeira, desde 1994 como secretário de Tradução e Publicações da Sociedade Bíblica do Brasil, que publica atualmente 300 Bíblias diferentes em quatro traduções do textos originais.
Fundada em 1948, a Sociedade Bíblica do Brasil imprime 10 milhões de Bíblias por ano e exporta o livro sagrado para 104 países. No Brasil, só em 2009, a SBB distribuiu mais de 6 milhões de exemplares, superando em 300 mil a marca do ano anterior. Somente para jovens, a SBB lançou três tipos de Bíblias, um deles à prova d'água, em plastic paper, que pode ser usado na praia. É o processo de dessacralização do texto bíblico.
Além do Novo Testamento - que traz os textos bíblicos que são os pilares do cristianismo, e dos livros de Salmos e Provérbios, a "Bíblia do surfista" tem depoimentos de 18 atletas, entre os quais a americana Bethany Hamilton, que não desistiu do sonho de surfista mesmo após perder um braço num ataque de tubarão. Mandam bem ainda Jair de Oliveira, Tim Curran e Jojó de Olivença. No encarte com design de estilo pop e ilustrado com fotos de boas ondas, há também uma HQ sobre uma parábola dirigida a surfistas e inspirada no Evangelho de Marcos.

Globo/Notícias Cristãs

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Banda ATHAR Divulga sua Primeira Single

A banda  de Metal core ou Metal /Hardcore  ATHAR da cidade de Campina Grande-PB
disponibilizou o download 
da sua  primeira Single!




Athar- Metalcore 
Campina grande-PB


O ATHAR surgiu em 15 de Setembro em 2009,na cidade de Campina Grande, PB.

Uma mistura de diferentes vertentes musicais formando assim um estilo no início voltado para o Death/Thrash metal.

Mas com o passar do tempo a banda foi passando por alterações musicais e hoje se enquadra no estilo Metalcore.

Com o intuito de passar para a galera um som mesclando peso, técnica e melodia e uma mensagem retratando fé,amor,esperança retratando o que acreditamos!

integrantes
Edy -bass
Welton-Guitar
Yuri-Guitar
Ramom-Drumms
Flávio-Vocal


contatos (83)87076985
Email -Edy.athar@gmail.com
Msn -Edy.athar@hotmail.com
God bless  all







sábado, 27 de novembro de 2010

JON FOREMAN (SWITCHFOOT): O QUE AS IGREJAS PODEM APRENDER COM OS BARES?

Por: Jon Foreman

Eu tenho tocado música nas igrejas e bares a vida toda. Em muitos aspectos, há muita semelhança nesses dois lugares.

Ambos os grupos dos “ajustados” estão à procura de sentido, realizando uma espécie de ritual, na esperança de encontrar um propósito, algo que extraia da dor algum sentido.

À primeira vista, a Igreja parece um lugar melhor para se procurar esperança do que o fundo de uma garrafa. Todos os dias, alcoolismo e vício de drogas destroem famílias, arruinam carreiras e naufragam comunidades. Por outro lado, as crenças teológicas e mal-entendidos foram responsáveis por divisões, divórcios e guerras ao redor do mundo. O problema com cada instituição está dentro de nós. É verdade, o álcool alimenta um fogo diferente do sentimento de piedade, mas nem bêbados  nem hipócritas parecem muito bons à luz do dia.

Nós levamos nossos problemas para a igreja da mesma maneira que carregamo-os para dentro de um bar – eles só reagem de forma diferente em cada lugar. Infelizmente, os pecados que existem dentro das paredes da Igreja são mais difíceis de detectar.

O orgulho, por exemplo, pode ser, incrivelmente bem escondido na comunidade religiosa. Eu raramente ouço as palavras “Eu não sei”, proferida na igreja. E, ainda assim, o trino Criador do tempo e do espaço será sempre envolto em mistério e santidade. Por que não começar no banco de humildade? Certamente todos nós temos conseguido algumas coisas erradas em nossas tentativas de cristianismo.

Não é o orgulho que causa divisões entre nós? Quando começamos a caluniar outros cristãos em nome de Deus, sabemos que estamos perdendo a noção. Será que as palavras de nosso Mestre está caindo em ouvidos surdos? “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei.” “Que eles sejam um, Pai, assim como nós somos um.” Esses pensamentos não são opcionais sobre como as coisas poderiam ser, mas sim pré-requisitos para uma vida que vai entrar no Reino dos Céus. A unidade é coisa séria. A Igreja é chamada a ser uma, como o Deus trino é um só. A salvação completa do nosso planeta é construída sobre a unidade final da Igreja e seu Deus: a noiva e seu Salvador.

Infelizmente, a unidade no seio da comunidade eclesial é a exceção, não a regra. É uma vergonha para nós que muitas dessas pessoas desesperadas estejam encontrando mais graça no bar local do que na igreja local. Quando falamos com raiva e fogo  que queima de forma diferente do ar fresco da cruz, fazemos um desserviço ao Evangelho. Nós sabemos que no fundo algo está errado. Então nos revoltamos contra os que fazem discursos inflamados. Nós dizemos que o método precisa mudar. Nós chamamos o modelo antigo irrelevante. E sim! O vento fresco do Espírito está pronto para explodir em cima de nós, vamos orar por novas línguas na mesma chama eterna.

E ainda que eu falasse as línguas dos anjos e dos homens, se não tivesse amor, de nada isso valeria. Se eu me levantar contra o clichê das camisetas cristãs e não tiver amor, isso não ajuda ninguém. Se eu odeio o ódio legalista, mas não tenho amor, nada se constrói. O inimigo nos enganou em uma nova forma de legalismo? Nosso julgamento não é tão errado quanto? Ah, nós podemos ter encontrado um caminho, mas isso não é amor.

Andando sob a fronteira entre bares e Igreja, eu fui mal interpretado por ambos os lados. Tenho certeza que você sentiu a mesma coisa: as pessoas jogam pedras em coisas que não entendem. Mas a pedra dói mais ainda quando ela vem de irmãos bem-intencionados, pessoas que, supostamente estão cheios do amor de Cristo. Nossa reação instintiva é de revidar, se defender. E o ciclo começa novamente. Olho por olho, dente por dente. Deus vai cuidar do cisco no olho do meu vizinho. Quanto mais eu tenho fé em Deus e sua voz forte, menos eu tenho que gritar. Quanto mais eu tenho fé nele, mais livre minhas mãos se tornam para servir os que me rodeiam.

Lavar os pés não é um crédito extra. Somos chamados a suportar as cargas uns dos outros. A unidade é uma conquista milagrosa, mas está pendendo para este lado da sepultura. A unidade é o trabalho transformador do poder da cruz em nossas vidas. Nossas diferenças são mínimas. Olhe de um jeito diferente para cruz. Veja o quanto Ele o ama. Veja Sua entrega, Seu sacrifício. A unidade entra em foco somente quando percebemos a magnífica graça do Salvador.

Vamos reconhecer nossa necessidade, nosso belo desespero. Sim, a nossa irresponsabilidade, dor, miséria, é um pré-requisito para o bálsamo da salvação. Nós, o povo, os fracassados, os perdedores, os de fora, nós encontramos o nosso rei. Cristo, o Rei dos tolos, o Senhor dos doentes, das almas perdidas como nós. Vamos permanecer em contínuo temor ao amor que temos demonstrado. E vamos amar! Vamos celebrar o amor imprudente de quem arriscou tudo o que podia, para que pudéssemos ser amados. E vamos seguir o caminho de um Deus que nos ama. Os cobradores de impostos e rabinos. As prostitutas e os Saduceus. Nos bares e nas igrejas. Sim, Deus ama até mesmo os cristãos.

Fonte: Relevant Magazine
Tradução: Solomon
Via: Guia-me

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Haste the Day - Anuncia o seu fim em 2011


Depois de dez anos na estrada o quinteto Haste The Day anunciou que estará encerrando as atividades em 2011. A notícia foi dada pelo baixista do grupo Mike Murphy, único integrante da banda que está desde a sua formação. Confira abaixo a declaração que Murphy publicou no site oficial da banda:
“É muito dificil falar isso, mas o Haste The Day fará sua última turnê entre os meses de Fevereiro – Março 2011. Foram 10 anos incríveis e eu gostaria de agradecer aos nossos fãs que estiveram do nosso lado durante as mudanças e o crescimento da banda. Essa banda seria nada sem vocês. Há uma série de motivos que podem explicar o fim da banda, mas acima de tudo isso, sentimos que criamos as melhores músicas que poderíamos criar e acreditamos que esta é a hora de seguir para o próximo passo nas nossas vidas. Eu lembro quando essa banda começou há uma década atrás, queríamos ser igual as outras bandas da Solid State/Tooth & Nail que a gente cresceu idolatrando. Queríamos usar a nossa paixão pela música pesada e o amor que Deus colocou em nós para iluminar a cena underground; falando para as pessoas que elas são amadas, importantes, perdoadas independente do que fizeram, e capazes de usarem os seus dons para os outros homens. Eu nunca imaginei que iriamos lançar cinco full-lengths, turnês pelo mundo, e desenvolver tantos relacionamentos significantes com pessoas que foram aos shows. Sem o seu apoio, isso não seria possível.
A turnê 12 Days of Christmas acontecerá em cidades onde não vamos passar na nossa última turnê, portanto, compareçam aos shows para se despedir da gente. A nossa última turnê será fantástica, estamos levando conosco nossos amigos do My Children My Bride, The Chariot e A Plea For Purging pelos EUA e Canadá. Vamos tocar músicas de todos os nossos álbuns, inclusive todas as favoritas dos fãs, músicas que raramente tocamos, e outras só para vocês implorarem para a gente continuar. Eu não tenho nenhuma dúvida de que esta será a melhor turnê que já fizemos, mal podemos esperar pela hora de ver todos vocês, para nos despedirmos.
Amamos vocês, muito obrigado por tudo que fizeram por nós, e não vemos a hora de nos encontrarmos por uma última vez em 2011! Gostaríamos de pedir para que cada um continue queimando aquela chama interna para mostrar ao resto do mundo!
Muito amor para todos vocês,
Mike Murphy & Haste The Day”

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

IV- BolaCore

ai Galera esse evento Underground que acontece no Bola de Neve Church
na Cidade de Campina grande  que tem o obejtivo de levar a Palavra de Deus
ao meio underground !
em 1 ano de Evento já está na IV edição pra Glória de Deus!
Esse evento irá contar com as bandas

Skkip-Hc (NATAL)
Ecum -PopPunk -(NATAL)
ATHAR -METALCORE (PARAÍBA)
então vamos prestegiar e ser abençõados!!




segunda-feira, 22 de novembro de 2010

igreja evangélica -Proibi o uso do USB!

Para seguidores de um culto no estado de São Paulo, tecnologia


A tecnologia USB foi proibida em um templo no interior de São Paulo. O
líder do culto afirma que o símbolo padronizado para representar o USB é
parecido com um tridente, e por isso seria um artifício do Demônio.

Welder Saldanha, fundador do templo, vetou a utilização para aqueles 
que seguem seus ensinamentos. "O símbolo disso (ele se recusa a 
pronunciar o nome da tecnologia) é um tridente, que é usado para 
torturar as almas que vão para o inferno. Isso mostra que todos os 
usuários dessa tecnologia são adoradores do Satã" – afirma ele.

Para acalorar ainda mais a polêmica, o pastor ainda explicitou que o 
Bluetooth seria algo divino. Por quê? Porque o seu símbolo é azul, “a 
cor dos olhos do nosso salvador Jesus Cristo”, completa Saldanha. Pelo 
menos as pessoas que vão ao templo ainda têm uma forma de trocar dados, 
não é mesmo?
Fonte: fonte

Sinceramente galera eu não sei onde vai parar a igreja evangélica brasileira
USB coisa do capeta???ha vá catar coquinho manoo ¬¬'
temos de tudo hoje em dia sex chop gospel,usb do capeta,filme porno gospel..
sinceramente tenho orgulho de não ser mais  evangélico!
sou Protestante!Graças a Deus por isso!
enfim...
Sola Scriptura!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Stryper - divulga a capa de novo álbum


A banda Stryper acaba de divulgar a capa de seu novo álbum The Covering , confira abaixo. Informações http://www.stryper.com

As músicas presentes no álbum são:
01. SWEET - "Set Me Free"
02. SCORPIONS - "Blackout"
03. BLACK SABBATH - "Heaven and Hell"
04. UFO - "Lights Out"
05. KANSAS - "Carry On Wayward Son"
06. DEEP PURPLE - "Highway Star"
07. KISS - "Shout It Out Loud"
08. OZZY OSBOURNE - "Over The Mountain"
09. Iron Maiden - "The Trooper"
10. JUDAS PRIEST - "Breaking The Law"
11. VAN HALEN - "On Fire"
12. LED ZEPPELIN - "Immigrant Song"
13. God


Fonte: Metal Land

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Uma breve reflexão sobre a perseguição aos evangélicos no Brasil


As primeiras informações que retratam de forma efetiva a perseguição religiosa no Brasil se remota a 1557, quando os huguenotes (calvinistas franceses) chegaram ao Rio de Janeiro  com o propósito de ajudar a estabelecer um refúgio para os calvinistas perseguidos na França.

Em 10 de março de 1557, os protestantes franceses celebraram o primeiro culto evangélico do Brasil e no dia 21 de março celebraram a primeira Santa Ceia. Todavia, pouco tempo depois Villegaignon entrou em conflito com as calvinistas acerca dos sacramentos e os expulsou da pequena ilha em que se encontravam.  Alguns meses depois, os colonos reformados embarcaram de volta para a França. Quando o navio ameaçou naufragar por excesso de passageiros e por ter pouca comida, cinco deles resolveram  regressar.  Esses cinco se sacrificaram em favor dos seus irmãos na fé. Assim que chegaram em terra foram presos: Jean du Bordel, Matthieu Verneuil, Pierre Bourdon, André Lafon e Jacques le Balleur. Pressionados por Villegaignon, foram obrigados a professar por escrito sua fé, no prazo de doze horas, respondendo uma série de perguntas que lhes foram entregues. Eles assim o fizeram, e escreveram a primeira confissão de fé na América, sabendo que com ela estavam assinando a própria sentença de morte. Essa maravilhosa declaração de fé é conhecida como a "Confissão de Fé da Guanabara" (1558). Em seguida, os três primeiros foram mortos e Lafon, o único alfaiate da colônia, teve a vida poupada. Os mártires do evangelho foram enforcados e seus corpos atirados de um despenhadeiro. Balleur fugiu para São Vicente, SP, foi preso e levado para Salvador (1559-67), sendo mais tarde enforcado no Rio de Janeiro, quando os últimos franceses foram expulsos.

Quase 100 anos depois, os holandeses criaram a Companhia das Índias Ocidentais com o objetivo de conquistar e colonizar territórios da Espanha nas Américas, especialmente uma rica região açucareira: o nordeste do Brasil. Em 1624, os holandeses tomaram Salvador, a capital do Brasil, mas foram expulsos no ano seguinte. Finalmente, em 1630 eles tomaram Recife e Olinda e depois boa parte do Nordeste.  Neste periodo João Maurício de Nassau-Siegen, que governou esta região entre 1637 a 1644,  concedeu uma boa medida de liberdade religiosa aos residentes católicos e judeus.  Sob os holandeses, a Igreja Reformada era oficial. Foram criadas vinte e duas igrejas locais e congregações, dois presbitérios (Pernambuco e Paraíba) e até mesmo um sínodo, o Sínodo do Brasil (1642-1646). Mais de cinquenta pastores ou "predicantes" serviram essas comunidades. A Igreja Reformada realizou uma admirável obra missionária junto aos indígenas. Além de pregação, ensino e beneficência, foi preparado um catecismo na língua nativa. Outros projetos incluíam a tradução da Bíblia e a futura ordenação de pastores indígenas. Em 1654, após quase dez anos de luta, os holandeses foram expulsos, transferindo-se para o Caribe. Os judeus que os acompanhavam foram para Nova Amsterdã, a futura Nova York.

 Desde então, não se sabe de relatos de cultos protestantes no Brasil. No entanto,  com a chegada da família real a terras tupiniquins e com a abertura dos portos  as nações amigas,  as confissões protestantes começaram paulatinamente a chegar ao país. Os Anglicanos chegaram em 1811, os luteranos em 1824, os Congregacionais em 1855, os presbiterianos em 1859, e  os batistas em 1871. Todavia, em virtude da constituição de 1824 outorgada por D. Pedro I, que afirmava ser o catolicismo romano a religião oficial do Brasil, os protestantes não possuiam direito a cultos públicos em lingua portuguêsa, além é claro de não terem permitidos a construção de templos com aparência religiosa.

Já no governo de  Dom Pedro II , (mesmo o imperador possuindo uma grande simpatia pelos protestantes), não era nada fácil afirmar publicamente a fé nos pressupostos cristãos, mesmo porque, a religião oficial do Estado imprimia  forte perseguição religiosa aos evangélicos.

Com a Proclamação da República, o Estado Brasileiro deixou oficialmente de ser Católico Romano permitindo assim com que os protestantes tivessem direito a culto. Todavia, como não poderia deixar de ser, a maioria da população ainda desenvolvia um significativo preconceito para com aqueles que se diziam cristãos protestantes. A consequência direta disso foi a  aniquilação de  inúmeras templos evangélicos, que de forma covarde foram  destruidos pelo fogo. Dentre estes, encontra-se a 1ª  Igreja Batista de Niterói, que em 14 de abril de 1901, teve  seus móveis, púlpito, pertences e diversos utensílios queimados em plena rua, além de sua sede destruída.

Durante a primeira metade do século XX, os crentes em Jesus foram estigmatizados e denominados pelo clero romano como hereges sofrendo por conseguinte ofensas morais, onde atributos pejorativos lhes eram destinados. Junta-se a isso, o fato de que muitos por causa da sua  crença sofreram no corpo agressões físicas por não professarem a fé dos sacerdotes romanos. Na segunda metade do século XX a perseguição se deu de forma velada mediante os meios de comunicação que a todo custo vendiam a sociedade brasileira a imagem de uma igreja burra, ignorante e manipuladora da fé alheia.
Caro leitor, a constituição de 1988 nos garante liberdade de fé e religião.  O artigo 5º da Carta Magna diz que ´"É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias." Todavia, os cristãos evangélicos correm o risco de sofrerem novas perseguições substanciais em virtude do projeto de lei 122 que tramita na Congresso Nacional que se aprovado irá criminalizar àqueles que  manifestam suas opiniões religiosas contrárias ao casamento gay.

Vale a pena ressaltar que a fé protestante não defende a homofobia. Na verdade, nós cristãos-evangélicos somos contrários a todo tipo de violência física condenando veementemente aqueles que atentam contra a vida de quem quer que seja. Todavia, acreditamos também que possuímos o direito irrevogável e constitucional de expor publicamente nossa fé conforme claramente afirma a nossa carta magna.

Isto posto, oro ao Senhor nosso Deus que estenda a mão sobre o Brasil livrando a sociedade brasileira de uma lei que sem sombra de dúvida promoverá mais uma severa perseguição religiosa no Brasil.

Soli Deo Gloria,
Renato Vargens

sábado, 30 de outubro de 2010

ATHAR - Download da SINGLE

A banda  de Metal core ou Metal /Hardcore  ATHAR da cidade de Campina Grande-PB
disponibilizou o download 
da sua  primeira Single!




Athar- Metalcore 
Campina grande-PB


O ATHAR surgiu em 15 de Setembro em 2009,na cidade de Campina Grande, PB.

Uma mistura de diferentes vertentes musicais formando assim um estilo no início voltado para o Death/Thrash metal.

Mas com o passar do tempo a banda foi passando por alterações musicais e hoje se enquadra no estilo Metalcore.

Assim se formou o ATHAR com o intuito de passar para todos um som mesclando peso, técnica e melodia retratando o que sentimos e acreditamos!

integrantes
Edy -bass
Welton-Guitar
Yuri-Guitar
Ramom-Drumms
Flávio-Vocal


contatos (83)87076985
Email -Edy.athar@gmail.com
Msn -Edy.athar@hotmail.com
God bless  all








quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Entrevista com a grande banda -> As i lay dying



Nome do entrevistado:
Tim Lambesis 
Nome da Banda:
As I Lay Dyng 
Data da entrevista:
08/10/2010 




Entrevista:
As I Lay Dyng é definitivamente A BANDA do momento na cena metal mundial, embora ainda seja praticamente ignorado pela mídia especializada no Brasil (perseguição quanto à ideologia da banda?). Aquilo que começou como uma despretenciosa banda cristã de garagem tornou-se um verdadeiro"monster of rock"  com shows concorridos onde se vê perambulando pelo backstage gente como Zack Wilde e Rob Halford, assim como tantas outra bandas que sairam da obscuridade para o brilho do reconhecimento público. O que chama a atenção para a banda é justamente o fato deles alardearem abertamente sua ideologia de vida, ou seja, o cristianismo. Quando digo ideologia de vida, tenho certeza que os puristas irão me malhar, mas o fato é que o AILD não soa e nem quer soar como banda religiosa, ou "gospel". A mensagem embutida em suas letras, em sua maioria do vocalista Tim Lambesis, não faz apologia de religião, mas incita as pessoas a pensarem no cerne da mensagem do Evangelho como resposta para as dores existenciais. Isso passa longe da resposta religiosa, mas algo prático que pode ser vivido dia a dia, sem as cobranças e culpas do cabresto do discurso religioso. De fato, as letras de Lambesis são do tipo "cabeça" e induzem à reflexão sobre a origem das "dores" da alma humana e dos desvios da sociedade e muitas delas realmente dariam um "nó" mental no religioso de plantão. Isso, juntamente com a comprovada competencia da banda para golpear os ouvidos dos fanáticos por som extremo, fazem da banda um dos maiores conceitos do cenário.


Essa entrevista rolou no jornal eletrônico L.A. Weekly e  foi reproduzido no site oficial da banda. Repercuto a matéria na íntegra aqui, pois é sempre bom falar de gente que está remando contra maré do mundo e ressoando integridade e bom-senso sem soar piegas ou com aquele discurso datado cheirando vela. Aí vai então, para os aficcionados, como eu, no monstruoso As I Lay Dyng:
LA Weekly: Conte-nos sobre o seu lugar preferido em LA para togar, e como era a cena metal  proveniente de San Diego . Quais foram algumas das bandas underground que te inspiraram?
Tim Lambesis: Nós temos togado por  todo o sul da Califórnia, com shows e turnês, abrindo para bandas. Nós geralmente têmos tido muita diversão na Wiltern, esse lugar é incrível, cada show tem tido uma grande multidão. Um dos nossos primeiros grandes shows em Hollywood foi no Avalon, em 2005, e foi incrível. Surpreendeu-nos saber que o show já estava sold-out (esgotado), e que foi um dos melhores shows que já tocamos. Foi um grande marco para nós.
Quanto à cena de San Diego, honestamente, não foi uma cena metal tão grande, era mais conhecida por punk e hardcore. Logo quando começamos, éramos uma banda impar , nunca nos encaixamos em apenas uma categoria, mas este é o lugar onde ficamos marcados com todo o "metal core" da cena. Mas para citar uma influente banda de San Diego, eu teria que dizer No Innocent Victim . Eles influenciaram-nos como uma banda, do jeito que eles fizeram o negócio e levantaram-se por aquilo em que acreditavam.
L.A. Weekly - Conte-nos sobre o mais recente álbum da banda, The Powerless Rise, que foi lançado em Maio pela Metalblade. Dê-nos alguns dados sobre o que este álbum tem a mostrar e aquilo que os fãs podem esperar do seu set list?


Tim Lambesis: Bem, cada música tem sua própria maneira, mas a imagem maior é de uma maneira melhor de vida em geral. Isto pode significar um estilo de vida oposto ao que a sociedade vê como importantes ou poderosos, como o materialismo, e lucro.A mensagem é viver uma vida mais simples em uma comunidade que permite que todos tenham uma vida muito mais livre da corrupção, da ganância. Quanto ao nosso set list, tentamos equilibrar as coisas, e anda que estejamos realmente orgulhosos de nossas novas músicas, continuamos a escolher a maioria das velhas músicas, que jogamos entre um punhado de novas ...
L.A. Weekly -Vocês não consideram AILD uma banda cristã, mas todos vocês são cristãos professos. Como a vida na estrada afeta a sua religião? Tocando em uma banda de metal, você já encontrou alguma hostilidade com bandas que não compartilham suas crenças, e em alguns casos, são anti-cristãos?
Tim Lambesis: Bem, nós não necessariamente vamos à igreja enquanto estamos em turnê, veja bem, tem certas em que eu sou tradicional, quando se trata de minha religião, outras coisas não muito. Para nós, a Igreja não é só um edifício, mas mais sobre como se manter em contato com sua fé, família e amigos, e desenvolver essa relação espiritual com Deus. Felizmente estar na estrada não me afasta do meu habitat natural, é apenas uma parte da vida ao  fazer o meu trabalho com a banda, e até agora tem sido fácil.  E, yeah, para outras bandas, a maioria não se importa que somos cristãos ou fazem qualquer questão sobre issso. O que acontece é que às vezes, outras bandas, podem não ter uma chance de nos conhecer e podem nos julgar, mas em geral nunca tivemos quaisquer problemas com  nossa religião e qualquer banda death ou de black metal.


L.A.Weekly - Conte-nos sobre esta nova turnê na América do Norte, chamada "The Cool Tour". Apresentando Between Buried and Me, The Strain Acacia, Underoath e muitos mais. Você está animado sobreas bandas nesta turnê, e o que é esse nome de ´Cool Tour?


Tim Lambesis: Até agora está indo muito bem, tivemos uma explosão em todos os shows. Este line-up é tão diverso que mantém as pessoas interessadas e ainda sob a égide da música pesada. Para nós, que realmente gostamos de assistir Between Buried and Me, ver a musicalidade que esses caras têm é incrível!
E, yeah, com o nome, haha, eu sei que fizemos as nossas piadas sobre isso, os promotores escolheram e nós fechamos com eles. Mas no final, cada show é num local fechado com ar condicionado, de modo que, tecnicamente falando, com o calor do verão é realmente um cool ´tour´ (cool = legal, refrescante,calmo, refrigerado)!
L.A. Weekly:Você estão por aí em torno de 10 anos e não mostram nenhum sinal de abrandamento. Onde você vê AILD daqui a dez anos?
Tim Lambesis: DA maneira que eu vejo, eu realmente não acho que há muita necessidade de alterar o ciclo da forma como fazemos as coisas. Compor novos álbuns e tours em seguida, voltar-se e repetir tudo novamente, se necessário. É definitivamente o suficiente para nos manter mais uma década forte!
L.A.Weekly - Obrigado pelo tempo dispensado para esta entrevista, os comentários finais para os fãs?
Tim Lambesis: Não tem problema, foi um prazer. Mantenha contato com a gente no Twitter, Facebook e no resto, e também, não seriamos nada sem os nossos fãs e amigos, aqueles que nos apoiaram desde o primeiro dia. Certifique-se de nos pegar em turnê em uma cidade perto de você!


FOnte: Trichera Espiritual

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Mudança no evangelho ?o que aconteceu?



Acho que o evangelho está muito diferente, as músicas em geral não estão mais
falando de temas como arrependimento, Deus no centro de tudo, etc, etc, mas o que vejo é só vitória, declare a benção, como se o Senhor fosse obrigado a isso, somos servos não podemos impor a Deus nada, Ele já fez o suficiente.
*O que vejo é uma modinha dentro da igreja, evangelho da prosperidade,
os irmãos cada vez mais egoístas, logo nós que deveriamos ser conhecidos pelo amor, isso não falo nem com os que não são cristãos, mas falo com os da propria igreja, que todos os fins de semana estão sentados ao nosso lado, e até moram perto, ninguém ora por ninguém, ninguém vai na casa de ninguém, ninguém renuncia a si mesmo pe
*o irmão.somos a comunidade mais desunida da terra,os membros de todas as religiões e seitas são mais unidos do que nós.

*Saímos da igreja, ouvimos uma palavra boa, e na segunda feira  volta tudo ao que era antes, falamos de missões, mas e os irmãos que estão perto de nós? Eu não sei para onde o evangelho está indo, ore para que isso mude, quem sabe com a perseguição o evangelho de verdade flua, e volte a ser como era em Atos...
*Se você pensa da mesma forma, então faça sua parte, abra os olhos dos que estão ao seu redor.


Yuri Andrerson 
guitarrista da banda Athar

Soli Deo glória

Kim do CATEDRAL fala sobre novo CD e sobre polêmica do passado

Vem ai mais um CD da Banda Catedral! “Pedra Angular” é um CD especial que marca o fim de alguns ciclos! Não só na gravadora Line Records {da qual temos um imenso carinho e levaremos esse sentimento no peito para onde formos} onde tivemos {Catedral e Kim} “um período realmente vitorioso” com uma média de vendas “invejável para o segmento pop/rock” de quase 90 mil unidades/ano.

Mas também de “um ciclo de resgate de um trabalho” que foi muito injustiçado e tolhido no passado. Mais uma vez a Banda Catedral mostra a sua conduta profissional e deixa clara a sua mensagem de “99/2000” quando ampliou seus horizontes musicais de forma digna e correta para o mercado popular em uma atitude até então inovadora dentro do mercado gospel.
A música da Banda Catedral é Para Todo Mundo porque sempre foi e sempre será assim! Essa liberdade musical que temos hoje de criar o que quisermos e de cantar o que o nosso coração mandar é inegociável! Deus nos deu o talento natural e nós levamos isso muito a sério. Nosso compromisso é com a qualidade e com o conteúdo musical! Com a arte e com a cultura e será assim dentro da nossa carreira para todas as pessoas,, independente de religião, raça, classe social e etc. Catedral é isso: sempre uma revolução!
Mesmo assim gostaria de salientar a atitude da Banda com seu trabalho, sempre valorizando suas fases e o seu conteúdo no geral! A Banda Catedral NUNCA negou a sua origem e MUITO MENOS menosprezou a sua obra. O que aconteceu foi o contrário e vou provar isso claramente nesse pequeno texto.
Pedra Angular vem numa espécie de “Atemporal volume 2” {com o diferencial de ter seis músicas inéditas} marcar como já disse anteriormente o fim de um ciclo de regravações! De um esforço comprometido da Banda de recolocar “grande parte do seu importante repertório de sucessos” a disposição de seu querido público!

E a Banda Catedral mais uma vez conseguiu isso, graças a Deus e a vocês! E tudo começou antes mesmo de sermos atingidos tão covardemente! Isso mesmo, no CD Para Todo Mundo com as regravações de O Silencio e Todos os dias já dávamos esses sinais transparentes da nossa real intenção. Ali a mensagem estava bem clara e só não entendeu quem não queria mesmo, pois na verdade a intenção de certas pessoas era outra...

Era de prejudicar diretamente a Banda. Tentaram de verdade e conseguiram nos atingir fortemente em nossos corações e em nossas vidas. Se fosse qualquer outro artista acho que teriam conseguido tudo o que planejaram. De uma hora pra outra ficamos {Catedral e Kim} sem 11 matrizes/trabalhos! Nosso padrão de vida mudou completamente! Tivemos praticamente que recomeçar! Mas nós somos a Banda Catedral e somos alicerçados simplesmente Pela Pedra Angular! Quem será contra nós? Gostem ou não! Essa é A Verdade!

Pois bem, nossa carreira seguiu, a mágoa e o rancor diminuíram, passaram com o tempo, os CDs seguiram com êxito, com sucessos e as regravações idem. Em “Acima do Nível do mar”, “A resposta de 1 desejo”, no “projeto Janelas da Catedral 1”, no CD “Atemporal”, no relançamento de “Esta Consumado”, na coletânea “O melhor do início” e no “Projeto Ao Vivo 20 anos Na Estrada”. Sempre com músicas que marcaram toda a nossa história dentro do mercado gospel! Nós temos muito orgulho de tudo que vivemos e sempre mostramos isso com os nossos trabalhos, só não via isso quem não queria, reafirmo sem pestanejar!

É claro que com tudo que sofremos ficamos chateados, diria até transtornados em alguns momentos e tivemos reações às acusações levianas que sofremos, principalmente naquele episódio ridículo “daquela entrevista fajuta, deturpada e louca” que alguns acreditaram e divulgaram somente com intuito de nos prejudicar!
Porque hoje analisando friamente “é simplesmente inaceitável alguém em sã consciência acreditar em uma baboseira daquelas!”. Mas enfim, como já disse isso são águas passadas... Já foi e o passado não importa, até porque ele já foi corrigido até pela nossa justiça! E será de novo e de novo! Não tenho duvida! Hoje quero apenas paz em meu coração, nada mais...
Pois bem, Pedra Angular vem de uma maneira especial sustentar de vez e divulgar aos quatro ventos uma realidade que muitos ainda não queriam enxergar, mas que já existia desde 2000: nós não temos preconceitos e nem fronteiras! Nossa música é universal e atemporal! Sempre foi extremamente popular no sentido de ser para todos! E sempre será!

Não devemos nada a ninguém e muito menos temos que dar quaisquer explicações a A ou B! Somos diferentes graças a Deus! Seguiremos a nossa trilha com a mesma singularidade e coragem! Faremos os CDs que quisermos fazer! Nosso compromisso não é com rótulos e NUNCA mais será! Nosso compromisso é com o nosso coração, é com o nosso dom, com a nossa música, é com o nosso Deus!
O CD já está disponível nas lojas e no site da Line Records. Para mais informações sobre a banda e os lançamentos acesse www.bandacatedral.com.br ou www.linerecords.com.br .
Fonte: KIm Blog

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

III Bolacore- Dia 23 de outubro

Ainda tem outra banda a confirmar sua presença
nesse grande evento!
esperem um pouco e saberam...
God bless all
Edy

domingo, 26 de setembro de 2010

Novas sobre o Antestor

O nórdico ANTESTOR finalmente deu entrada no estúdio para a gravação de seu primeiro álbum após o retorno.
 Ronny informou que o som estará mais agressivo e com mais elementos folclóridos noruegueses.
 O grupo também estará se apresentando também pela primeira vez após o retorno no Nordic Fest
 em Outubro em Oslo, capital. Em breve, myspace. A formação atual conta com Lars Stokstad 
(guitarra, sintetizadores e vocais limpos), Ronny Hansen (vocais e letras), Thor Georg Buer (baixo)
 que também é membro do GRAVE DECLARATION, Jo Henning Børven (bateria), Robert Bordevik 
(também membro do VARDOGER) e Nickolas Main Henriksen (teclados). 
Confira um teaser do novo material:
Sobre o MySpace oficial, está em construção:www.myspace.com/antestorofficial
Confira uma entrevista com a banda na edição do EXTREME BRUTAL DEATH#20.

Fonte: Rock White 777

David Ellefson-Música é uma reflexão do Espírito Santo fluido



Shannon Joy, do "LA Music Blog", entrevistou o baixista do Megadeth (David Eleffson). Seguem trechos da conversa.

LA Music Blog: Você acha difícil manter-se sóbrio durante as turnês?

Ellefson: Não. A dificuldade foi fazer a escolha e deixar essa vida pra trás. Eu não queria mais ser um viciado e drogado, mas eu também não sabia que eu queria uma vida totalmente limpa e sóbria. Eu tinha uma visão errada desse "estilo de vida sóbrio", eu achava muito sem graça e inocente. Quando você está vindo das trevas e do decadente mundo das drogas e álcool, a vida de cara limpa não parece muito boa [risos]. Mas quando eu finalmente fiz a escolha eu me senti abençoado e pensei "Isso é ótimo". Felizmente eu consegui manter a disciplina durante a vida e eu não tive mais pensamentos obsessivos e tentações que me levassem a retornar e ser como era antes. É interessante, uma das coisas mais difíceis pra mim ao compor o material do "Rust in Peace" era a dor causada pelo aço das cordas do baixo (justamente por eu estar saindo das drogas que me anestesiavam de qualquer sofrimento). Era muito doloroso e eu pensei "Oh, Deus, eu não sei mais se eu quero tocar". Esse pensamento me assombrou durante algum tempo, pensar que eu não poderia mais tocar era péssimo, então eu pensei na minha infância com 11 anos, onde tudo começou... Eu era jovem, tinha 11 anos e não tinha nada a ver com "Sexo, Drogas e Rock"n Roll". Lembrei que eu tocava porque simplesmente amava a música, eu adorava agitar nos shows. Esse era um pensamento inocente e que me trazia um grande bem-estar. Então eu me mantive firme nessa visão para voltar a ter inspiração, como era no começo. Isso me deu muita força durante a desintoxicação. Então, depois disso tudo eu voltei a ter muito prazer em tocar novamente.

LA Music Blog: Qual foi a importância da sua fé para manter-se livre do álcool?

Ellefson: A fé é tudo. É ela que me dá forças para manter esse estilo de vida. Eu sei que é meio esquisito um cara do metal, como eu, falar tanto em Deus e nessas coisas. Mas esse é o caminho, ter muita fé. Eu cresci numa família boa, num ambiente ótimo. Quando eu comecei a beber/usar drogas e frequentar festas, essa atitude não somente me afastou da minha fé, mas também estava destruindo meus sonhos de ser um músico de Rock. Essa é a verdadeira face das drogas e do álcool, essas coisas não fazem o Rock melhor, na verdade o destroem. É muito engraçado e irônico, aqui estamos nós com a turnê do "Rust in Peace", tocando essas ótimas músicas, nos divertindo muito. Durante todo esse tempo eu estive cultivando a minha fé e tentando ser uma pessoa melhor, eu realmente me envolvi muito nisso tudo, iniciei o "Mega Life Ministries" em Scottsdale e estive envolvido em muitas outras coisas. Quando estávamos gravando o "Risk" em Nashville, um pastor de Scottsdale me perguntou se eu poderia me sentar com ele durante um culto e tocar alguma coisa. Uma parte de mim pensou "Fala sério, isso é vergonhoso", a outra parte disse "Qual o problema de ler algumas tablaturas?" [Risos]. Então eu comecei a tocar e tudo isso ampliou meus horizontes, é como se a minha fé se tornasse cada vez maior e mais forte a cada dia. E essa fé só me tornou um músico melhor, eu sinto que quanto mais eu desenvolvo a minha fé, melhor músico eu me torno. Eu percebi que a fé sempre deve estar em primeiro lugar e as notas fluem naturalmente através dela.

LA Music Blog: Com tudo isso em mente, você acredita que a sua música agora é uma reflexão direta da sua fé?

Ellefson: A música em si é um tipo de reflexão do Espírito Santo fluindo através de você. Eu odeio soar como um maluco religioso aqui, eu não quero que pareça isso. Quando eu vivia drogado e tocava não havia música, pois não havia nada vindo dentro de mim, nada mesmo. Tudo funciona como se você fosse um canal para a música, por isso eu admiro tanto as pessoas que possuem esse talento musical. O Dave [Mustaine] pega a guitarra e um riff simplesmente aparece, do nada, e eu penso "Porra", como ele teve essa ideia? Soa tão simples, e eu sempre admirei isso nele. Então, se você toca Metal ou qualquer outro tipo de música, é simplesmente fascinante quando você vê a habilidade da pessoa em canalizar a música através de si. É uma admiração que eu tenho. Quando eu componho meu material, muitas vezes eu penso "Nossa, de onde veio essa ideia? Simplesmente fluiu através de mim."

Fonte desta matéria: 
Whiplash

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

AKIRA-ÉPIC/POWER METAL

AKIRA - Uma ótima banda da cidade de Campina grande
 indicação por Bruno ..

Banda Cristã  de Épic/Power metal com influências de Rhapsody of fire
     vale a pena conferir!
God bless all




Batalha espiritual
download

Fonte de Vida
download

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Bíblia do surfista' chega com Salmos, Provérbios e um encarte com depoimentos de atletas profissionais !


RIO - Muito antes de o rei polinésio Tahíto inventar o surfe no Havaí, consta que Jesus Cristo foi o primeiro surfista porque, segundo relato no Evangelho de Mateus, andou sobre as águas, assustando até seus próprios discípulos. Com certeza, não os assustaria se eles fossem surfistas. O episódio deu origem ao nome de uma ONG evangélica, a Walking on Water (Andando sobre a Água), com sede na Califórnia, e parceira, no Brasil, da Missão Surfistas de Cristo (MSC), que reúne atletas que acreditam que Jesus não só andava sobre as águas como, sendo filho de Deus, controlava o tamanho das ondas. U-hu! Pois a tribo de surfistas cristãos está exultante com a "Bíblia do surfista" - uma edição do Novo Testamento, Salmos e Provérbios com a Nova Tradução na Linguagem de Hoje (uma adaptação contemporânea do texto bíblico), que tem um inédito encarte com depoimentos de surfistas cristãos num projeto gráfico que não fica a dever nada a nenhuma revista especializada em surfe.
A "Bíblia do surfista" é uma publicação da Sociedade Bíblica do Brasil - entidade que há 62 anos imprime Bíblias no país - em parceria com a Missão Surfistas de Cristo, que desde 1989 reúne atletas cristãos e divulga a fé evangélica entre os praticantes do surfe. Metade da tiragem de 20 mil exemplares foi financiada por doações de surfistas e adeptos de igrejas evangélicas sintonizados com o estilo de vida da galera que curte o mar, as ondas e a adrenalina.
- O surfista tem um coração sensível à fé por causa de seu contato com a natureza, obra da criação divina - ressalta o veterano surfista Chico Paioli, "jovem de 52 anos", três vezes campeão brasileiro de surfe na faixa acima dos 50 anos.
Chico também foi técnico de Jairzinho de Oliveira e Jojó de Olivença, bicampeão nacional na década de 90. Pioneiro do esporte nas águas brasileiras, Chico é um dos que dá na "Bíblia do surfista" o depoimento de sua conversão ao cristianismo, em 1979.
Ele conta que aumenta a cada dia o número de surfistas que aderem às práticas evangélicas, sobretudo em São Paulo e no Rio, onde a Igreja Bola de Neve, na Barra da Tijuca, tem um púlpito em forma de prancha de surfe e reúne fiéis de bermudas, camisas no estilo surfwear e tênis. Com eles, a tradicional Bíblia de capa preta e com letras douradas corre o risco, agora, de dar lugar à nova edição do livro sagrado.
- A Bíblia continua sendo um dos maiores best-sellers de todos os tempos. No Brasil, é o livro mais lido, segundo pesquisas. A "Bíblia do surfista" nasceu da necessidade de atender a um público jovem - explica Paulo Teixeira, desde 1994 como secretário de Tradução e Publicações da Sociedade Bíblica do Brasil, que publica atualmente 300 Bíblias diferentes em quatro traduções do textos originais.
Fundada em 1948, a Sociedade Bíblica do Brasil imprime 10 milhões de Bíblias por ano e exporta o livro sagrado para 104 países. No Brasil, só em 2009, a SBB distribuiu mais de 6 milhões de exemplares, superando em 300 mil a marca do ano anterior. Somente para jovens, a SBB lançou três tipos de Bíblias, um deles à prova d'água, em plastic paper, que pode ser usado na praia. É o processo de dessacralização do texto bíblico.
Além do Novo Testamento - que traz os textos bíblicos que são os pilares do cristianismo, e dos livros de Salmos e Provérbios, a "Bíblia do surfista" tem depoimentos de 18 atletas, entre os quais a americana Bethany Hamilton, que não desistiu do sonho de surfista mesmo após perder um braço num ataque de tubarão. Mandam bem ainda Jair de Oliveira, Tim Curran e Jojó de Olivença. No encarte com design de estilo pop e ilustrado com fotos de boas ondas, há também uma HQ sobre uma parábola dirigida a surfistas e inspirada no Evangelho de Marcos.

Globo/Notícias Cristãs
 
;